quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

CONFRONTO.

ü Olhando para a situação pecaminosa desse período, poder-se-ia pensar que o Deus santo dos céus estava adormecido, ou pelo menos fazendo vista grossa – que o pecado na verdade compensa, que não há cobranças. Mas não é esse o caso;
ü Precisamos lembrar que, como muitos pecados, os de Davi ficaram em segredo – pelo menos por algum tempo;
ü E os atos de Davi foram deliberados. Não se trata de um erro momentâneo;
MUITOS MESES EM RETROSPECTO
ü Durante essa época, o pecado de Davi não passou despercebido para Deus. O último verso do capítulo onze diz: “Porém isto que Davi fizera, foi mal aos olhos do Senhor”;
ü É possível que ninguém mais notasse, mas Deus notou. E ele preparou uma estratégia para colocar Davi de joelhos. Deus sabe muito bem como fazer isso. Ele não acerta suas contas no fim de cada mês ou ano. Mas ele um dia as ajusta. Gl. 6.7;
ü Para que você não pense que a vida de Davi tornou-se agradável e que ele teve longas noites de prazer com sua nova esposa, livre de remorsos, e para que não pense que Davi se sentia maravilhosamente bem disposto durante os meses que se seguiram, leia o Salmo 32;
ü O cristão carnal fica dançando à sua volta e tenta dizer-lhe: - Tudo está em ordem. Não me pressione... estou me divertindo... Você não tem idéia de como me sinto bem. – Mas lá dentro está a verdade. Tudo parece vazio, oco, tristonho, sem objetivo. O verdadeiro cristão não pode negar isso. É por isso que Davi diz: “Renova dentro de mim um espírito inabalável”, deixando implícito, “Não o tenho há muito tempo”. Nata entro, portanto na vida de Davi e lhe disse a verdade. Foi um confronto incrível.
UM MOMENTO SÚBITO DE VERDADE

ü Quando Nata foi enviado? Deus esperou pela oportunidade certa. Ele permitiu que as rodas trituradoras do pecado completassem a sua obra e então entrou em cena;
ü Há ocasiões em que questionamos o tempo de Deus. Tempos em que não sabemos porque ele é tão lento para fazer o que achamos que deve fazer. Mas cada vez que fazemos um retrospecto, percebemos quão maravilhosamente ele põe em prática o seu plano, quão perfeitamente o seu plano se realizou. Deus não faz só a coisa certa, ele faz o que é certo na hora certa;
ü Ao confrontar alguém em seu pecado, a oportunidade é tão importante quanto as palavras;
ü Em seu pecado, Davi desprezara o Deus a quem servia. Agora, como resultado desse pecado, nos dias e anos futuros, Davi iria experimentar tristeza em sua própria casa. Que predição! O que significa isso? Tumulto e tragédia, estupro e vingança. Um filho incontrolável. Um filho traidor e que chega a expulsar o pai do trono. – 2 Sm. 12. 11-12;
ü Davi então, compreendendo que era absolutamente culpado, admitiu sem hesitação: - Pequei, pequei contra o Senhor. – Com essa confissão a restauração começou. – 2 Sm. 12. 13;
ü É possível que ele tenha escrito o Salmo 51 naquela mesma noite.
DUAS APLICAÇÕES IMPORTANTES

Ao pensar na vida de Davi, pelo menos duas lições se destacam para nós. Uma tem a ver com o confronto efetivo e a outra com o arrependimento genuíno;

“Leias são as feridas feitas pelo que ama, porém os beijos de quem odeia são enganosos” Provérbios 27. 61º Para que o confronto seja eficaz precisamos nos preparar em quatro aspectos:
- Verdade absoluta;
- O tempo certo;
- As palavras sábias e
- Grande coragem.

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”
1 João 1. 92º O arrependimento é genuíno quando:
- Há confissão aberta;
- Existe o desejo de deixar completamente o pecado;
- O espírito se mostra quebrantado e humilde; e
- Há o pedido de perdão e a restauração de Deus.
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O QUE É NOVA ERA? FINAL.

(Continuação...)
“ANARQUIA”

O movimento prega a destruição de toda e qualquer organização que não queira se integrar ao novo sistema. Declara a anarquia do inferno a essas organizações que resistem à adesão universal.

“CRUZ SATÂNICA” ou “CRUZ DA CONFUSÃO”

O nome por si já diz o que significa, qual o seu uso, e o objetivo do porque usa.

“UNICÓRNIO”

É o símbolo da liberdade e promiscuidade sexual: homossexualismo, lesbianismo, heterossexualismo, fornicacionismo, sexo grupal, etc.

“CRUZ COM LAÇO”

Simboliza o desprezo da virgindade, troca de parceiros conforme a escolha pessoal. A Nova Era ensina que a sexualidade é a parte que purifica o ser humano, eleva o espírito e embeleza o corpo. É a volta ao paganismo antigo, cujos "deuses" promoviam as danças com barulho excessivo, as orgias, a prostituição ritual, etc.

“CASAL TRANSPESSOAL”

Símbolo do fim do casamento representado pela letra Ômega, última letra do alfabeto grego. Os adeptos da Nova Era dizem que o ser humano não deve pertencer a nenhuma família possessiva, mas deve ficar sempre livre para buscar outros parceiros.

“CABEÇA DE BODE”


É um símbolo de zombaria, contrário ao cordeiro de Deus "Jesus".

“MANCHA”

Usada principalmente em automóveis. É uma gota de sangue em zombaria ao sangue redentor de Jesus.

“NETUNO”

Simboliza a transformação das crenças. A cruz para baixo significa que todas as crenças serão destruídas para que o planeta Terra seja governado por Maitreya o "Novo Messias".

“PLUTÃO”

Simboliza a "união planetária”, construção da "Aldeia Global", é o novo nascimento do planeta Terra com a união sem fronteiras, acima de credos, cor e raça. Simboliza também a "paz universal " dentro da nova era.

“OLHO DE SATÔ

Usado em roupas e outros meios. Simboliza o olho de satanás vendo tudo e chorando por aqueles que estão fora do seu alcance (judeus e cristãos principalmente).

Como podemos notar, Satanás também utiliza símbolos que fizeram parte da história cristã, pois assim pode confundir grandemente a cabeça das pessoas.

Essa listagem dos símbolos da Nova Era não é para que ergamos uma placa de “temporada de caça aos aquarianos”. Devemos ter muito cuidado para não classificarmos como aquariana uma pessoa ou instituição que use um desses símbolos. O importante é que, conhecendo-os, estejamos aptos a reconhecer e rejeitar mensagens que venham acompanhadas por algum deles.

Que Deus abençoe!

Ricardo Hilário

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

E ERA NATAL... (VÍDEO)

Eis o resultado de muitos ensaios...

Simples, mas tudo para a glória de Deus!

Esse vídeo é da música "Um de nós", com solo da irmã Leilinha; ficou muito bom!

"Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus," 2 Cor. 3:5

video

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O CASO DA JANELA ABERTA.


§ A Bíblia nunca lisonjeia seus heróis. Todos os homens e mulheres da Escritura têm pés de barro e quando o Espírito Santo pinta um retrato de suas vidas, ele é extremamente realista. Não ignora, nega, ou esquece o lado escuro;
§ Se estalar a língua ou menear a cabeça com vergonha de Davi, terá então deixado de atentar no aviso: “Aquele, pois, que pensa estar de pé, veja que não caia” (1 Co 10.12). Espremida entre “de pé” e “caia” estão as palavras “veja que” (preste atenção). Precisamos fazer isso regularmente. Se não “prestarmos atenção” fugindo tão depressa quanto pudermos desse tipo de tentação, iremos cair, como fez Davi;

UM PANO DE FUNDO ESCURO

§ Davi tinha cerca de 50 anos, talvez um pouco mais. Ele reinara aproximadamente 20 anos e se distinguira como um homem de Deus, compositor de salmos, pastor fiel, guerreiro valente no campo de batalha e líder do seu povo;
§ A vida de Davi neste ponto era como uma onda que, perdendo o rumo, batia constantemente contra a barragem da maré, chocando-se contra as demais ondas num mar revolto. Desprevenido e num momento de fraqueza, ele desmoronou e pagou um preço terrível;
§ Mas Davi não caiu de repente, algumas brechas já tinham começado a se abrir em sua armadura espiritual – 2 Sm 5.12-13;
§ Havia três coisas que um rei não deveria fazer: (Dt. 17. 14-17)
1. Multiplicar cavalos para si mesmo ou permitir que povo voltasse ao Egito para multiplicar cavalos;
2. Não deveria multiplicar mulheres para si mesmo; e
3. Não deveria aumentar muito seu tesouro de prata e ouro.
§ Davi, por ser um homem de forte apetite sexual, pensou erradamente: Para satisfazer-me, vou arranjar mais mulheres;
§ Mais ele era rei. Não precisava prestar contas. Ele já tinha um Harém cheio delas, uma a mais não faria diferença. Mas fez. Primeiro porque fez o coração dele se desviar do Senhor, Segundo, isso o tornou vulnerável;

Nossos períodos mais difíceis não são aqueles em que as coisas estão complicadas. Os tempos difíceis geram indivíduos dependentes. Você não se deixa levar pelo orgulho quando depende de Deus. O desejo de sobrevivência o mantém humilde. O orgulho surge quando tudo está indo bem na sua vida. Quando acabou de receber aquela promoção, quando olha para trás e pode ver um registro quase imaculado nos últimos meses ou anos, quando seu prestígio, fama e importância estão crescendo, essa é a hora de vigiar... especialmente se você não tiver de prestar contas a ninguém.

UMA CENA SENSUAL

§ O erro começa quando Davi deixa de estar onde deveria – 2 Sm. 11.1;
§ Então a tentadora veio. E se você não correr, irá cair. É só uma questão de tempo;
§ O diabo nunca mostra as cartas da tentação. Ele só mostra a beleza, o êxtase, o divertimento, a excitação, a aventura estimulante dos desejos roubados. Mas nunca diz ao embriagado: - Você vai ficar com ressaca amanhã, acabará arruinando a sua família. Quando o pecado é cometido, e cobrado todo o castigo dele decorrente, o diabo nunca se encontra por perto. Ele sorri quando você cai... mas não dá a você qualquer encorajamento quando surgem as conseqüências;

UM PLANO EM MEIO AO PÂNICO

§ Quando entramos em pânico, não tomamos decisões prudentes;
§ 2 Sm 11. 6-13;

UMA FRAUDE COMPLETA

§ Vemos agora um rei em pânico, frustrado e cheio de raiva com o fracasso do seu plano. Davi põe em ação o passo seguinte do seu plano; 2 Sm 11. 14-15;
§ Se Urias tivesse vivido e voltasse para casa depois da batalha, encontrando a esposa grávida, quem teria associado esse fato com Davi? É duvidoso que ela dissesse uma única palavra a respeito. Então, depois da morte de Urias, Davi a leva imediatamente para o palácio e se casa com ela. Portanto, de quem Davi realmente se escondia?
§ No desespero nós não pensamos logicamente apenas reagimos. Tentamos encobrir e negar nosso plano até que nos encontramos num labirinto de mentiras do qual nunca poderemos escapar nem explicar a confusão, até que finalmente alguém suficientemente sincero que lhe diga: - Você é o homem!
§ Enquanto isso, no final deste medonho episódio lemos onze palavras simples: “Porém isto que Davi fizera, foi mal aos olhos do Senhor” (11. 27).

Se você estiver brincando com a idéia de cometer pecados da carne, está vivendo em tempo tomado de empréstimo como filho de Deus. Não há nada mais que faça sofrer tanto, que prejudique tanto a vida como os pecados ocultos da carne. Não há que forneça mais munição ao inimigo para enviar essas declarações blasfemas em relação à igreja de Deus do que esse tipo de transigência secreta. Você pode também tomar indiretamente parte se não se posicionar contra isso.
texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O QUE É NOVA ERA? PARTE 5.

Muitos símbolos não é?
Continuação...

“SS”.
Usado por grupos nazistas e grupos de Rock também em roupas, broches, tatuagens, etc. Simboliza o louvor e invocação de satanás.

“RAIO”.
É o reconhecimento do poderio de satanás, senhor Satã, e a disposição de estar a seu serviço.

“LUA-ESTRELA”.Usados em roupas, adereços, artes e também em centros espíritas. Simboliza poder para transportar através do cosmos.


“OLHO DE LÚCIFER”.

Simboliza o olhar de satanás sobre as finanças do mundo. (ver nota de um dólar).


“CRUZ SUÁSTICA”.

Para o Movimento Nova Era simboliza o movimento cósmico. É bem conhecida sua conotação com a pessoa de Adolf Hitler e seu movimento nazista que dizimou milhões de seres humanos na Segunda guerra mundial. É conhecido, também no Brasil e em outras partes do mundo, o renascimento deste movimento nazista. A cruz suástica é inspiração de Chamberlain, um vidente satânico e conselheiro de Hitler. Foi ele que inspirou a Hitler as idéias de um reino de terror e poder.

(Continua...)

AVISOS E MENSAGEM 20/12/2009.

video

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

O QUE É NOVA ERA? PARTE 4

(Continuação)

“A PIRÂMIDE”.

Símbolo egípcio ligado à religião. As pirâmides além de terem sido usadas como túmulos sagrados dos Faraós que eram considerados como deuses, também têm sido usadas como captadoras de energia cósmica.


“ARCO-ÍRIS”.

Simboliza uma ponte que une o céu e a terra, os seres humanos com essa essência divina; assim como o arco-íris é comporto por sete cores diferentes, mas é um só, da mesma forma na Nova Era todas as linhas de pensamentos contrários se fundirão num só segmento dando origem a uma sociedade única.

“BORBOLETA”.

Simboliza o aquariano que saiu das trevas do casulo de peixes para a dimensão celestial de Aquário. Pode também significar o próprio movimento Nova Era, tendo o mesmo sentido de libertação do casulo das trevas da Era de Peixes.


“POMBA COM RAMO”.

Simboliza a luta dos aquarianos pela paz e a esperança de que as águas de Peixes se sequem dando lugar à nova era.



“SÍMBOLO DA BESTA”.


Este número tem qualidades sagradas e por isso, deveria ser usado com maior freqüência possível para representar a Nova era, segundo os ensinamentos da Alice Bailey, suma-sacerdotisa da Sociedade Teosófica.


“SIGNO DE LÚCIFER”.

Este sinal é o símbolo da bandeira de Lúcifer. O círculo representa o planeta Terra como reino de satanás. O ponto, são os homens, instrumentos a serviço deste reino.


“CHIFRE”.


Usado em colares, pulseiras, brincos, etc. Simboliza o afastamento de fluídos negativos (mal olhado, olho gordo...).



“MÃO CHIFRADA”.

Usado por artistas ligados à música (principalmente Rock) e seus fãs. Simboliza o louvor em rituais satânicos.



“CRUZ VIRADA PARA BAIXO”.

Usado por grupos de Rock e adeptos da Nova Era. Simboliza zombaria da cruz de Jesus. Usado também em rituais satânicos.

(Continua)

MAKING OFF DO MUSICAL NO PÉROLA II.

video

Um doa essaios do Musical: "E era Natal..."

Apresentação no dia 24/12/2009 as 19h30.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O QUE É NOVA ERA? PARTE 3

Símbolos da Nova Era

Todas as empresas têm uma logomarca, todas as pessoas têm nome, todas as ideologias sejam políticas ou religiosas também têm os seus símbolos com os quais se relacionam, sendo a filosofia da Nova Era baseada em alguns dos símbolos bastante comum entre a população mundial.
Não podemos dizer com isso que todos quanto exibem um destes desenhos a seguir, estejam ligados ao movimento, todavia sabemos que grupos esotéricos estão investindo na divulgação dos mesmos, principalmente entre os jovens, pois é mais fácil vender um produto cuja marca já está solidificada no mercado.
Eis a seguir uma relação dos principais símbolos e alguns não tão comuns assim que propagam a mensagem da Nova Era.

“YIN-YANG” (Símbolo Taoísta)

Esse símbolo representa dentro da ótica taoísta o negativo e o positivo, o bem e o mal, significa também que estas forças opostas pertencem a uma mesma fonte e caminham evolutivamente para um equilíbrio cósmico, em outras palavras, Deus tem uma parcela da maldade de Satanás e Satanás tem uma parcela de bondade de Deus, ou seja, não existe maldade toda má e bondade toda boa.

“CRUZ DE NERO” ou “PÉ DE GALINHA”.

O imperador Nero foi quem a projetou no primeiro século. É uma cruz de cabeça para baixo, também chamada de "pé-de-galinha". Simboliza a "verdadeira" paz sem Cristo. O pé-de-galinha é uma cruz com os braços quebrados. O círculo representa o inferno. Na década de 60 foi usada pelos hippies; também foi símbolo de ecologia no mundo, pois representa uma árvore de cabeça para baixo. Esse símbolo simboliza a Igreja de Satã nos Estados Unidos. Este símbolo tem sido usado em marchas pela paz e pró-ecológicas em todo o mundo.

“A FITA ENTRELAÇADA” ou “ARCO SEM FIM”.

Simboliza a interdependência global de todos os setores. Foi utilizado por Marilyn Ferguson em seu bestseller “A Conspiração Aquariana” em 1.980.



“ESTRELA DE DAVI”.

Simboliza os ciclos divinos de involução-evolução. O triângulo que aponta para baixo demonstra a trajetória da energia divina, descendo às formas primárias de vida, e o triângulo que aponta pra cima demonstra essas formas no seu trajeto evolutivo até se confundirem com o divino.

“ESTRELA DE DAVI EM CÍRCULO”.

É usada pelo movimento Nova Era como símbolo da unificação da humanidade com as forças cósmicas.



“ESTRELA DE CINCO PONTAS”.
As duas pontas para cima significam Lúcifer e seu reino; duas pontas para baixo significam o homem como deus, no lugar de Deus. É símbolo da adoração a Satanás já estabelecida em várias partes do mundo. Alguns conjuntos musicais de "Rock" adoram este símbolo para garantir sucesso.
(Continua...)
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O QUE É NOVA ERA? PARTE 2

Continuando os pontos doutrinários do movimento "Nova Era".


Jesus Cristo

No pensamento Nova Era cristo não é qualidade redentora exclusiva de Jesus. Acreditam que cristo é um nível evolutivo que qualquer um pode alcançar e que está potencialmente dentro de cada ser existente.
Para eles Jesus foi apenas um dos muitos mestres cósmicos que tiveram papel importante de auxílio no processo evolutivo da humanidade. Jesus seria, nessa visão, um ser de alto desenvolvimento crítico e por isso acabou sendo conhecido como Jesus Cristo.
O papel de Jesus Cristo, segundo os adeptos da Nova Era, foi de muita importância para a humanidade, pois, por se tratar de um ser de alta evolução, foi escolhido para implantar a Era de Peixes. Afirmam isso também por que Jesus usou como símbolo da fé cristã, um peixe.

Lembremo-nos do que nos disse o apóstolo João:

“Quem é o mentiroso senão aquele que nega que Jesus é Cristo? É o anti-cristo esse mesmo nega o Pai e o Filho”.
I João 2:22

É exatamente o que faz a Nova Era: nega o Pai e o Filho. Segundo o apóstolo João, essa doutrina não é apenas diabólica, mas a própria doutrina do anti-cristo, pois nega a existência do Pai como um Deus todo poderoso, como nega a glória e a majestade do Filho.
Mas, de acordo com as Sagradas Escrituras, Jesus é o Rei único e soberano.

“... Deus o exaltou sobremaneiramente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.”
Filipenses 2:9-11

Pois, “Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente”.
Hebreus 13:8

O messias

Os adeptos da Nova Era esperam por um messias (avatar) que coloque ordem no mundo e estabeleça a paz. Acreditam que cada era possui o seu avatar e que para a Era de Aquário também se levantará uma espécie de messias.
Os seguimentos da Nova Era usam nomes diferentes para designar o avatar; os mais correntes são Saint Germain e Lord Maitreya. No entanto, crêem unanimente na vinda desse avatar, e esperam que essa personagem unifique todo o mundo debaixo de um único governo e estabeleça a paz para a humanidade.

O quê pretende a Nova Era

1. Estabelecer uma nova religião universal.
2. Estabelecer uma nova ordem política e social.
3. Renascimento do reinado babilônico.
4. A sua concretização terá o auge com o aparecimento do messias da Nova Era, a aplicação do número 666 e Jesus não poderá ser mais considerado como Cristo.
5. Espíritos ajudarão na implantação do movimento proclamando um homem como deus da Nova Era.
6. O cristianismo e outras religiões devem ser incorporados à nova religião, a religião universal.
7. As crianças serão educadas em escolas especiais para que desde cedo sejam ensinadas nos princípios da Nova Era.
8. A ciência e a religião serão unificadas.
9. Os cristãos que resistirem serão transportados para uma outra galáxia para que lá alcancem a consciência da Nova Era. (Essa é a desculpa para o desaparecimento, ou seja, arrebatamento dos salvos em Jesus Cristo).
(Continua...)
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O QUE É NOVA ERA? PARTE 01

No final da década de 90, foi muito falado sobre o assunto "Nova Era". Pois é, os maiores propagadores do movimento foram os próprios cristãos, onde ia desde alertas, até grandes palestras.
Quero aqui trazer esse assunto que é muito curioso e também servirá de lembretes sobre o que se ouve, fala ou se usa por aí.

Não quero com esse estudo dizer que todas as marcas que usam os símbolos aqui expostos são adéptos ao movimento e nem quero que saia rasgando suas roupas, por ver o significado dos símbolos nelas impressos.

Vamos abordar:

§ O que é "Nova Era";
§ Quem é o homem;
§ Quem são os extraterrestres;
§ Quem é Lúcifer;
§ Alguns símbolos usados;
§ Quais os significados dos símbolos, entre outros assuntos.

Esse foi um estudo preparado por mim, com finalidade de aula bem como palestra. Acompanhe conosco a cada postagem.
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

"Nova Era" - Conhecendo mais
os perigos que estão ao
nosso redor.

O MOVIMENTO NOVA ERA

Diferentemente de outros movimentos religiosos a Nova Era é um sistema unificado de crenças e práticas. Não há um líder oficial, nem sede central e muito menos rol de membros.
É bom lembrar que esta organização esteve trabalhando na clandestinidade por quase 100 anos, ou seja, foi só em 1975 que as suas doutrinas começaram a ser reveladas publicamente, já que, segundo eles, só a partir de então o mundo estava preparado para entender o movimento.

DOUTRINAS DA NOVA ERA

O que é Deus?

Para seus adeptos , o conceito sobre Deus é resgatado dos antigos conceitos orientais, que acreditam na idéia de um Deus pessoal, detentor* de atributos pessoais. Segundo eles, Deus não está sentado em seu trono como Rei soberano regendo todas as coisas; é apenas uma energia universal de onde derivam todas as coisas.

O que é a vida?

Acreditam na reencarnação, um ponto fundamental no pensamento Nova Era. Essa doutrina diabólica afasta definitivamente da cruz de Cristo aqueles que nela crêem, pois passam a crer que podem se salvar por intermédio do autoconhecimento, através de várias encarnações.
A bíblia nega, do princípio ao fim, a doutrina da reencarnação, através do plano da salvação na cruz de Cristo.- Leia (aos Hebreus 9:27 e 28)

O que é o homem?

O homem é o centro de toda a doutrina da Nova Era. Como acreditam que tudo o que existe é Deus, o homem se torna a expressão máxima de evolução divina na terceira dimensão, que é a dimensão física. Dentro desse conceito o homem nada menos é do que deus.

Os extraterrestres

A ufologia também é uma questão importante no que diz respeito ao movimento Nova Era.
Eles acreditam que os extraterrestres são seres que vivem em outros planetas, localizados em outras galáxias. Entre esses seres deve haver os que estão menos evoluídos e os que nós e os que se encontram em estágios mais avançados. Essa evolução se dá em termos tecnológicos, onde pode haver civilizações muito menos evoluídas que a nossa, ao mesmo tempo que outras estão bem mais adiante, desenvolvendo inclusive naves espaciais que lhes permitem realizar viagens intergalácticas, que ainda são um desafio para a nossa tecnologia.

O que é Lúcifer?

O ponto básico no pensamento Nova Era é a existência de um ser superior a todos os outros em nível de evolução. Alguns segmentos chamam abertamente esse ser de Lúcifer, outros utilizam outros nomes. Suas características são as mesmas em todos os segmentos. Daí surgiu o nome para essa questão; “Fator Lúcifer”, já que existem vários nomes para descrever um mesmo ser.

O que são as Eras?

A razão por que tem-se ouvido tanto sobre uma nova era fundamenta-se na crença de que os ciclos divinos de evolução são desenvolvidos através de diferentes eras astrológicas, cada uma com sua característica distinta.
Acreditam que a humanidade evoluiu dentro das seguintes eras:

· Era de Touro: de 4304 a 2154 a.C.
· Era de Carneiro: de 2154 a 4 a.C.
· Era de Peixes: de 4 a.C. a 2146 d.C.
· Era de Aquário: 2146 a 4296 d.C.

Cada era corresponde um período de 2150 anos. Nem todos os seguimentos concordam com essas datas, mas são unânimes na seqüência das eras: Touro – Carneiro - Peixes – Aquário.

(Continua...)

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

GRAÇA NUM LUGAR ÁRIDO.

A palavra GRAÇA significa muitas coisas para muitas pessoas;
Mais importante que tudo é saber que GRAÇA pode significar favor imerecido – estender favor especial a alguém que não merece, que não o adquiriu, que nunca poderá pagá-lo. De vez em quando chegamos a uma passagem das Escrituras onde temos uma ilustração belíssima desse tipo de graça e ficamos admirados com esse dom tão surpreendente;
Encontramos um desses momentos na vida de Davi. O episódio envolve um homem obscuro, com um nome quase impronunciável, Mefibosete.

GRAÇA: UM EXEMPLO
Na aula passada, vimos um interlúdio de paz e tranqüilidade na vida de Davi, durante o qual ele passou algum tempo refletindo sobre o seu passado e todas as bênçãos que recebera. Pode ser que Davi tenha pensado no amor do seu amigo Jônatas, morto na guerra, e sobre o pai de Jônatas, Saul, predecessor de Davi. Enquanto meditava sobre esses dois homens e o impacto que haviam causado em sua vida, Davi começou a lembrar de duas promessas que fizera:
1. 1 Samuel 20. 13-17;
2. 1 Samuel 24. 20-22;
Refletiu e em seguida agiu: 2 Samuel 9. 1;
A resposta dada por Ziba (v. 2 e 3) insinua uma rejeição ao rapaz, objeto de busca de Davi.
Davi pergunta simplesmente: “E onde está?”
A graça é assim. A graça não procura feitos que mereçam amor. A graça opera em separado da resposta ou da capacidade do indivíduo. A graça é unilateral, Graça é Deus se dando em plena aceitação de alguém que não a merece, jamais poderá adquiri-la e jamais poderá pagá-la. É isto que torna a história de Davi e Mefibosete tão notável. Um rei forte e famoso se humilha e se dá para alguém que representa tudo que Davi não era!;
Davi não pergunta como este homem ficou aleijado, mas nós ficamos curiosos e descobrimos a resposta no capítulo 4;
Mefibosete tornou-se membro da família de Davi como também comia regularmente à mesa com ele.
2 Samuel 9. 8-13 mostra outros benefícios dados por Davi.

GRAÇA: COMPREENDENDO A SUA EXTENSÃO

Esse não é, porém, o fim da história. De modo algum. Essa história continua até hoje na vida de todos os filhos de Deus. Existem pelo menos oito analogias para indicar isto:

1. Em certa época Mefibosete gozou de comunhão ininterrupta com seu pai. O mesmo aconteceu com Adão;
2. Quando o desastre ocorreu, a ama fugiu amedrontada e Mefibosete caiu. Isso o deixou aleijado pelo resto de seus dias. Da mesma forma, quando veio o pecado, Adão e Eva se esconderam com medo. Como resultado, a humanidade tornou-se espiritualmente inválida;
3. O rei Davi, por amor a Jônatas, demonstrou graça ao seu filho aleijado. Deus também demonstra ao pecador crente por amor a seu Filho, Jesus Cristo, e o preço que ele pagou na cruz;
4. Mefibosete não tinha nada, não merecia nada, não podia pagar nada. O mesmo se aplica a nós;
5. Davi restaurou Mefibosete de uma lugar árido a um lugar de honra. Deus nos tirou de onde estávamos e nos levou para onde ele está – a um lugar de comunhão com ele restaurando-nos;
6. Davi adotou Mefibosete em sua família e ele se tornou um dos filhos do rei. É isto que Deus fez pelo pecador crente: nos adotou na família do Rei celestial;
7. O problema físico de Mefibosete era uma lembrança constante da graça. Nosso problema contínuo com o pecado é um lembrete da sua graça;
8. Quando Mefibosete sentou-se à mesa do rei, ele foi tratado como qualquer outro filho do rei. É isso que acontece agora... e o que vai acontecer durante toda a eternidade, quando festejarmos com o Senhor.
texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

sábado, 12 de dezembro de 2009

QUANDO DEUS DIZ NÃO.

§ Por ser um homem de guerra – de fato, um guerreiro muito corajoso -, Davi se envolvia freqüentemente em batalhas e em situações estressantes. Todavia, houve um interlúdio de calma e tranqüilidade em sua vida;
§ 2 Samuel 7. 1;
1º lugar – Ele teve paz doméstica
2º lugar – Ele teve descanso nacional
§ Davi, ao começar a refletir sobre o período de paz, em sua bonita casa decorada de cedro, põe-se a sonhar e fala sobre este sonho ao profeta Nata – 2 Samuel 7. 1-2;
§ Vimos na aula anterior como Davi levou a arca de Deus para Jerusalém, devolvendo-a ao povo de Israel. Mas ele começara a preocupar-se com o fato de a arca estar numa tenta enquanto ele morava numa linda casa;
§ Durante os interlúdios da vida é que temos tempo para concretizar um sonho ou um objetivo ideal. Alguns de nós, nos momentos tranqüilos de nossas vidas, percebemos a vocação para a qual Deus os estava chamando;
§ Quero, porém, acrescentar isto: Algumas vezes o sonho vem de Deus; outras vezes não. Ambos são nobres. Ambos são grandes decisões. Ambos são ideais. Mas, quando não são de Deus, não irão realizar-se... nem devem;

UMA RESPOSTA DO CÉU

§ 2 Samuel 7. 4-5 e 1 Crônicas 17. 3-4;
§ Que resposta dura para levar ao rei. Mais cedo, naquele mesmo dia, Nata dissera a Davi: “O Senhor está com você, Davi. Vá em frente e realize seus planos”. Agora, poucas horas depois, Nata ouve o Senhor dizendo: “Nada disso, nada disso!”;
§ Deus lembra Davi do seu passado: 2 Samuel 2. 7-9;
§ Davi estava errado no começo – errado em pensar na construção de um templo? Não se trata de estar ou não errado, mas de aceitar o “não” de Deus;

UM POUCO DE SABEDORIA HUMANA

ü Quando Deus diz “não” não se trata necessariamente de disciplina ou rejeição. Pode ser simplesmente redireção;
ü Deus não chama todos para construir templos;
§ Qual foi a resposta de Davi? Foi belíssima; 2 Samuel 7. 18-20;
§ É importante que de vez em quando nos sentemos, façamos um breve retrospecto das nossas curtas vidas e contemos as nossas bênçãos;
§ Que homem agradecido! Mesmo assim, quase temos de perguntar: Davi queria mesmo dizer o que disse? Uma outra passagem será útil. Tendemos a pensar: Isso é ótimo em teoria mas Davi realmente apoiou seu filho neste projeto que tinha sido originalmente um sonho seu? Sim, ele apoiou – 1 Cr. 22. 1-5;

ESPERANÇA PROVEITOSA PARA OS SONHOS DESFEITOS

Podemos aprender duas grandes verdades com tudo isso:
Quando Deus diz “não”, significa que ele tem um meio melhor e espera que eu o apóie;
Minha melhor atitude é colaboração e humildade.

Para alguns, Deus diz “sim”. Para outros, “não”. Em qualquer dos casos, a resposta é a melhor. Porquê? Porque as respostas de Deus, embora surpreendentes, nunca são erradas.

texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

ENTÃO, MOISÉS VIU OU NÃO A DEUS?


Existem alguns ensinamentos religiosos que afirma que Moisés viu a Deus.

Ainda existe uma "Seita", que por questões éticas não mencionarei o nome, que além disso, ensina que os dez mandamentos devem ser guardados até hoje, porém não abordarei essa questão hoje.

Nosso assunto do dia é: "Moisés viu ou não a Deus?"

Êxodo 33.11 diz: "Falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala a seu amigo; então, voltava Moisés para o arraial, porém o moço Josué, seu servidor, filho de Num, não se apartava da tenda." Mais adiante, porém, no versículo 20 do mesmo capítulo, Deus teria dito: "Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá." Como se deve entender essa aparente contradição? Pois Moisés não morreu quando ficou "face a face"com Deus.

A resposta é simples: O fato do Senhor ter falado face a face com Moisés, como está escrito no versículo 11 de Êxodo 33, está confirmado em Números 12.8 e Deutoronômio 34.10. Existem comentaristas bíblicos que entendem a expressão "face a face" como uma expressão figurada, exprimindo amizade e franqueza. Assim, nossa pergunta seria facilmente respondida.

Mas penso que essa é mais que uma expressão figurada, porque o Senhor, por exemplo, apareceu outras vezes: a Abraão (compare Gn 12.7; 17.1; 18.1), a Isaque (Gn 26.2) e a Jacó (Gn 35.9). Em relação a Moisés também está escrito em outra passagem que o Senhor lhe apareceu (Êx 3.16).

Portanto, será que existe de fato uma contradição quanto à afirmação: "Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá" Êx 33.20?

Não, pois Deus não se contradiz; Ele não é homem para que minta. Na Bíblia Anotada por Scofield (p. 22) temos a seguinte explicação sobre esses aparecimentos de Deus:

"Teofanias são aparecimentos preencarnados do Deus Filho, em forma angélica ou humana, através de manifestações de glória (Ez 1), ou de maneira não descrita (Gn 17.1)".

Mas Deus, o Pai, o Criador do céu e da terra, nunca pode ser visto por uma pessoa face a face. Somente em Jesus Cristo, Deus assumiu a forma humana e ao mesmo tempo revelou a Sua natureza interior, que é o amor:

"a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra de reconciliação"

2 Co 5.19

Por isso está escrito em João 1.18: "Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou."

Sei que é um assunto que rende para muito tempo, porém um assunto que não pode ser discutido de forma alguma, é o Senhorio e plano redentor de Deus para nós, através do sacrifício de Jesus na cruz.

Jesus é o próprio Deus, o Espírito Santo é o próprio Deus, assim como o Deus Pai é Deus!

A Tri-unidade de Deus é indicutivelmente a primeira doutrina a ser defendida, pois se não for assim, as demais "doutrinas" não tem fundamentação.

Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

MUSICAL DE NATAL NO PÉROLA II.

É com imensa alegria que Deus tem nos abençoado! Os desafios são grandes, mas Deus tem nos abençoado muito!

Vamos apresentar o musical que é muito conhecido, porém lindo, que fala do real sentido do Natal, e é com grande alegria que quero postar o convite.

Você, amigo blogueiro e leitor que está sempre nos acompanhando, quero dizer que será uma imensa alegria recebê-lo em nosso meio e será um enorme prazer conhecer você pessoalmente (se é que não nos conhecemos).

Que toda a Glória e Honra seja dada ao Senhor e Salvador Jesus, o Cristo!

Que Ele nos abençoe!
Ricardo Hilário

CRENTE OU DISCÍPULO?

Um crente só espera pães e peixes;
Um discípulo é pescador;
Um crente luta para crescer;
Um discípulo luta para reproduzir;
Um crente se ganha;
Um discípulo se faz;
Um crente gosta de elogios;
Um discípulo de sacrifício vivo;
Um crente entrega parte de suas ganâncias;
Um discípulo entrega sua vida;
Um crente espera que lhe dêem tarefas;
Um discípulo é solícito em assumir responsabilidade;
Um crente murmura;
Um discípulo obedece;
Um crente reclama que o visitem;
Um discípulo visita;
Um crente diz: “eu sou”;
Um discípulo diz: “somos nós”;
Um crente vale para somar;
Um discípulo para multiplicar;
Um crente espera milagres;
Um discípulo opera milagres;
Um crente pensa como cristão;
Um discípulo vive como cristão;
Um crente louva;
Um discípulo adora;
Um crente tem que trocar fralda;
Um discípulo já trocou;
Um crente vai à igreja;
Um discípulo é a igreja;
Um crente trás saudades do Egito;
Um discípulo trás saudades do céu;
Um crente crê em Deus;
Um discípulo serve á Deus;
Um crente traz o mundo para a igreja;
Um discípulo leva a igreja para o mundo;
Um crente espera um avivamento;
Um discípulo é o avivamento;
Um crente diz: oxalá, eu pudesse ir;
Um, discípulo diz: eis me aqui, ensina-me a mim!

Que possamos ser discípulos e não apenas crentes, pois até os demônios são crentes e estremecem sob a potente mão de Deus!

Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

O QUE ESTAMOS PEDINDO?

"E Jesus, parando, chamou-os e disse: Que quereis que vos faça?"
Mateus 20:32
Nas estórias infantis encontramos muitos personagens, um deles é o gênio da lâmpada, que sendo liberto da lâmpada realizava três desejos de seus donos, o dono tinha que pensar bem o que desejava, pois eram só três e se ele fosse inteligente teria tudo que desejava.
Hoje se pudéssemos ir até o presidente da república o que pediríamos, alguns diriam “que nosso país seja mais justo”, mas na realidade o que cada um pediria era um bom e seguro emprego.
Jesus perguntou aos cegos o que eles queriam e eles sabiam qual era a sua maior necessidade: era ver, era conhecer a luz e as belezas do mundo que os cercava; resposta certa e milagre realizado.
Só uma oportunidade e os cegos fizeram o pedido certo, Pilatos também perguntou a multidão o que fazer de Cristo e eles responderam “ crucifica-o”; resposta errada, escolha terrível.
Jesus nos prometeu que tudo que pedirmos em seu nome ele daria, então o que temos pedido? Muitos tem usado Jesus como gênio da lâmpada, para realizar os seus desejos. Jesus está perguntando, “que quereis que vos faça?”. Talvez a melhor resposta seria: Senhor me faça um servo fiel.
Servos fiéis tem tudo que desejam, pois seu maior desejo é servir ao seu Senhor, e seguem agradecidos pelo privilégio de saber que temos um Senhor que nos ouve e está pronto a nos responder, basta pedir com sabedoria.
Textos para leitura: Mateus 20:29 a 34
Lucas 18: 35 a 43 – João 14: 01 a 14
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

PARA OS INGÊNUOS!

Num de seus espetáculos de circo, Mazzaropi, o comediante, pôs-se a ensinar como chegar à lua. Ele dizia que em uma noite de lua cheia bastava pegar alguns bambus bem grandes, emenda-los e assim chegaríamos lá. É lógico que todos riam de sua inocência.

Mas o que esta estória tem a ver com religião? A ingenuidade. Muitos religiosos são tão ingênuos quanto aquela criança que tenta alcançar a lua com varas de bambu. Eles pensam que podem chegar até Deus acendendo velas, através de rituais ou ídolos inanimados.
Há um grande abismo separando o ser humano de Deus. Este abismo se chama pecado. E só há uma maneira de alcançar a Deus. Jesus o apontou quando disse:

“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

João 16:6

Só por Jesus você pode chegar ao céu.
Arrependa-se hoje dos seus pecados.
Entregue sua vida a Jesus e proponha-se a seguir somente os seus ensinamentos.

Leia a Bíblia e freqüente uma igreja para conhecer melhor o caminho para os céus.
Para maiores informações e textos bíblicos, conheça o plano da Salvação na barra lateral.

Que Deus abençõe!
Ricardo Hilário

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

REI NOVO, TRONO NOVO, O MESMO SENHOR.

§ Já chegamos quase à metade de nosso estudo da vida de Davi. Vamos fazer aqui uma parada para obtermos uma visão panorâmica das coisas. Já consideramos os detalhes da vida de Davi até os 30 anos de idade. Antes de examinarmos os 40 anos seguintes da sua vida, devemos obter primeiro uma perspectiva geral;
§ Nos primeiros cinqüenta anos de sua vida, Davi andou na integridade do seu coração. Embora houvesse algumas excursões temporárias na carne, a maior parte dos anos de Davi como adulto foram de triunfo. Veio então a tragédia dos últimos vinte anos de sua vida, na primeira parte ele é um modelo de caráter e integridade, enquanto a última parte da sua vida é uma descida morro abaixo até que, segundo creio, Davi morreu, quebrantado e com o coração partido;
§ Nossa tendência é enfocar o momento presente e esquecer os ontens e os amanhãs. Alguns dos ontens precisam ser esquecidos e alguns dos amanhãs precisam ser deixados para o Senhor, sem preocupar-nos com ele, mas é necessário ter uma perspectiva de como Deus mantém a vida;
§ Em vista dos muitos atos poderosos de Davi e do legado que deixou, é fácil esquecer que durante 12 anos ou mais ele viveu como fugitivo e passou muitas horas de desânimo e desilusão no deserto. Ele tornou-se um homem quebrantado e humilde no decorrer de seus dias como fugitivo. Davi aprendeu muito nesses anos de sofrimento, mas pouco bem resultaria se revivesse a dor que eles trouxeram à sua vida;
§ Finalmente é coroado rei, o segundo rei de Israel, escolhido e ungido pelo próprio Deus. Como subiu ao trono? Apossou-se do cargo e exigiu que todos se submetessem ao seu jugo? Não. Davi era um homem sensível. Ele havia aprendido como guiar e como reunir outros ao seu redor nas aflições do seu passado... especialmente enquanto foi um habitante das cavernas... lembra-se?

“Somos muitas vezes melhor sucedidos em tratar da aflição do que em lidar com as promoções.”


DE FUGITIVO A MONARCA
§ Davi tinha cerca de 30 anos quando Saul morreu, mas ele não marchou imediatamente para Jerusalém, a fim de tomar a nação. Em vez disso, seguindo as instruções de Deus, ele vai para Hebrom, onde exerce um reinado limitado sobre o povo de Judá durante sete anos e meio. Ele não se queixa. Não se mostra ansioso. Davi aprendeu a esperar em Deus;
§ Infelizmente, enquanto se achava ali, Davi tomou algumas decisões que lamentou mais tarde – 2 Sm. 3. 1-5
§ De acordo com 2 Sm. 5. 13-16 e 1 Cr. 3. 1-9, Davi teve muitas outras mulheres e concubinas que lhe deram filhos em Jerusalém. Nada sabemos sobre a maioria delas.

A AUTORIDADE DE DAVI
§ Com seu quartel-general em Jerusalém, Davi teve finalmente o reino ilimitado prometido ao líder ungido do Senhor. Ele recebeu grande poder e grandes bênçãos de Deus;
§ 2 Samuel 5. 6-12;
§ Quando as bênçãos começaram a cair, elas fizeram transbordar a taça de Davi. Poucos monarcas conheceram tanto poder e prestígio;
§ As realizações de Davi foram maravilhosas. Na questão territorial, ele expandiu as fronteiras de Israel de 24.000 Km2 para 240.000 Km2. Ele estabeleceu rotas comerciais extensas queriam a todas as partes do mundo conhecido. Essas medidas introduziram riquezas em Israel como a nação nunca havia conhecido antes. Davi unificou a nação sob Deus, despertando o interesse nacional pelos assuntos espirituais. Destruiu também os altares dos ídolos. Era também um homem brilhante no campo de batalha, permanecendo como líder na defesa militar.


A HUMANIDADE DE DAVI
§ Davi era também humano – muito humano – de fato; tinha três fraquezas principais em sua vida, três características decepcionantes:

1. Envolveu-se nas questões publicas a ponto de perder o controle sobre a família;
2. Entregou-se a extremos impetuosos de paixão; e
3. Tornou-se vítima da auto-suficiência e do orgulho.

DUAS VERDADES ETERNAS QUE SOBREVIVERAM AO REI DAVI
§ Podemos aprender pelo menos dois princípios eternos com o reinado de Davi, os quais se aplicam diretamente à nossa vida:

1. Nenhuma ambição é mais importante do que o cultivo de uma família piedosa;
2. Nenhum traço de caráter é mais necessário do que a integridade genuína.

TRÊS DERRADEIRAS LIÇÕES APRENDIDAS COM DAVI

1. OS TEMPOS DE PROSPERIDADE E DESCANSO SÃO TEMPOS PERIGOSOS E NÃO SIMPLES BENÇÃOS;
2. O PECADO GRAVE É A CULMINAÇÃO DE UM PROCESSO E NÃO UM ATO SÚBITO;
3. A CONFISSÃO E O ARREPENDIMENTO AJUDAM A CURAR UMA FERIDA, MAS JAMAIS APAGAM TODAS AS CICATRIZES.
texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

DUAS MORTES... UM ESTUDO DE CONTRASTES.

· O que você acha que os que sobreviverem a você dirão ao seu respeito?
· A vida de Saul se resume numa tragédia. Ele foi um Rei que poderia ter sido o modelo e mentor de Davi; mas, em vez disso, quase se tornou seu assassino.
· Em 1 Samuel 26.21 Saul diz: “...tenho procedido como louco...”.
· Saul não só teve uma vida trágica, como também morreu tragicamente. Ao ler o relato, é difícil acreditar que se trata do mesmo Saul de quem Samuel disse antes:
“Então Samuel tomou um vaso de azeite, e o derramou sobre a cabeça de Saul, e o beijou, e disse: Porventura não te ungiu o Senhor para ser príncipe sobre a sua herança? E o Espírito do Senhor se apoderará de ti, e profetizarás com eles, e serás transformado em outro homem. Quando estes sinais te vierem, faze o que achar a tua mão para fazer, pois Deus é contigo.”
(1 Sm. 10: 1,6-7)

A MORTE DE SAUL: UMA TRAGÉDIA PATÉTICA

· 1 Samuel 31. 1-4,6
· A cena é o desfecho da batalha, um massacre, um lugar de horror inimaginável. Os filisteus queriam terminar a todo custo o trabalho;
· Já tinham matado os três filhos de Saul e agora estavam atrás dele;
· Saul se joga na espada. Não seria melhor para Saul se ele olhasse para Deus?
· Os filisteus não só saquearam a região como também começaram a morar nas cidades que antes pertenciam aos israelitas – 1 Sm. 31. 7;
· O corpo de Saul e seus filhos viram motivo de alegria e comentários profanos sobre o Deus dos Israelitas – 1 Sm. 31. 8-10;
· É isso que acontece quando permitimos que as concessões e a desobediência invadam silenciosamente a nossa vida, um dia após outro, anulando o nosso testemunho, vivendo na mediocridade, escolhendo o caminho fácil, vivendo como o mundo perdido; Saul escolheu essa vida. Não precisava ter sido assim.

A MORTE DE CRISTO: UMA ANALOGIA CLÁSSICA

Por trás da grande tragédia da vida de Saul encontra-se uma interessante analogia – uma analogia entre a morte de Saul e a de Cristo. Ao primeiro olhar, poderíamos dizer: O que pode haver de comum entre Saul e Cristo? Existem, entretanto, seis analogias dignas de nota.

1. A MORTE DE SAUL PARECEU EXTINGUIR TODA ESPERANÇA NACIONAL;
2. COM A MORTE DE SAUL A IMPRESSÃO ERA QUE O ADVERSÁRIO VENCERA O ÚLTIMO ROUND;
3. A MORTE DE SAUL ABRIU CAMINHO PARA UM PLANO DE AÇÃO INTEIRAMENTE NOVO E INTRODUZIU DAVI NA LINHAGEM REAL, QUE LEVOU FINALMENTE AO MESSIAS;
4. A MORTE DE SAUL OFECEU A DAVI A OPORTUNIDADE DE SER INCLUÍDO NA LINHA DE BÊNÇÃO DE DEUS;
5. A MORTE DE SAUL TERMINOU NUMA ERA DE INSATISFAÇÃO E FRACASSO;
6. A MORTE DE SAUL MOSTROU A INSENSATEZ DO HOMEM.

NOSSA MORTE: UMA REALIDADE INEVITÁVEL

Como Saul e seus filhos, todos vamos morrer. Não é possível escapar. Isso significa que em vez de negar a morte, devemos aceitá-la.
A morte é algumas vezes repentina. Outras é longa e arrastada. Ocasionalmente é bela, doce e pacífica. Em outros casos é excruciante e terrível, sangrenta e medonha. Pelo nosso ponto de vista, há ocasiões em que ela chega precocemente. Em outras ocasiões parece que os dedos frios da morte demoram demais enquanto uma alma querida suporta sofrimento e tristeza, solidão e senilidade. Mas, qualquer que seja a forma em que venha..., virá para todos nós. Não há meios de fugir dela.
Nós que conhecemos Jesus Cristo, levamos em nosso interior uma alma e espírito renovados, aquela parte de nós que ele invadiu no momento em que nascemos do alto – quando nos tornamos cristãos. Ele passou a habitar em nós e nos deu uma nova natureza. Embora nossa estrutura exterior esteja ferida, sofrendo e morrendo, nosso “eu” interior está vivo, aguardando sua habitação com o Senhor. Essa ligação ocorre no momento em que morremos, exatamente nesse momento.

“Por isso não desfalecemos; mas ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória; não atentando nós nas coisas que se vêem, mas sim nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, enquanto as que se não vêem são eternas.”
(2 Coríntios 4. 16-18)
Que papel você está representando hoje? É autêntico? É realmente cristão? Caso positivo, permita que eu volte à primeira pergunta desta aula. O que você acha que os que sobreviverem a você dirão ao seu respeito?
texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

ENTREGANDO E CONFIANDO!


Filipenses 4:17 “Não que eu procure o donativo, mas o que realmente me interessa é o fruto que aumente o vosso crédito.”
Salmos 131:1 “SENHOR, não é soberbo
o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim.”

Queridos blogueiros e leitores, quero compartilhar com vocês algo que acredito ser emancipador, libertador e poderoso. O assunto é: “Entrega total a Deus”. Isso pode ser uma surpresa para você, mas não existe nada no mundo que traga maior libertação do que uma entrega total a Deus. Não existe vida mais poderosa do que a vida de entrega total.
É muito difícil, é verdade, fazer uma entrega de nós mesmos. É difícil para nós abandonarmos as coisas que temos, quanto mais deve ser entregar-nos a nós mesmos! Como nos apegamos a nós mesmos! Temos medo de nos perder! Pensamos que se perdemos a nós mesmos, perdemos tudo! Por isso existem tantas pessoas com depressão e lutando a qualquer preço para “passar a perna” nos outros. É difícil de dedicarmos um dia totalmente a Deus, à fazer visitas, à orar, à comunhão... “Para que fazer isso? Tenho minhas tarefas a fazer...” Esse é o pensamento de muitos! Do ponto de vista da carne, isso é verdade, mas quanto ao Espírito é o oposto. A menos que saibamos como nos entregar a Deus, não poderemos entrar na vida que Ele preparou para que vivêssemos.
Se temos um relacionamento correto e intimo com Deus, sem dúvida há em nosso coração um profundo desejo de sermos úteis para Ele, de agradá-lo, de podermos ser usados por Ele de acordo com Sua vontade. Se vivemos uma vida de entrega, o resultado disso, segundo C. Spurgeon, somos feitos alvo das atenções do principe das trevas, como aconteceu com Jó. Mas vale lembrar que a melhor satisfação é ver o inimigo ser derrotado a sua frente, pelo poder do Espírito Santo, o próprio Deus que habita em nós!!!

ENTREGA A DEUS NÃO É FATALISMO!

A entrega a Deus é bem diferente do fatalismo. O fatalismo é passivo, revelado pro frases como: “Se isso é vontade de Deus, que posso eu fazer?”. Assim as pessoas simplesmente se submetem ao destino. Isso é passividade e não é o ensinamento das Escrituras. A entrega a Deus é algo bastante positivo, pois se trata de entregarmos a nós mesmos a Deus de tal modo a capacitá-Lo a cumprir Sua vontade em nós. Se não nos entregamos a Deus, Ele não tem como realizar sua vontade, Seu propósito em nossa vida. A única maneira de Deus operar sua vontade em nós é por meio de nossa entrega total a Ele. Isso não significa apenas entregar coisas, mas desistir de nós mesmos, e não é apenas desistir, mas é entregar-nos a Ele.
É por isso que tem se levantado uma gama muito menor de obreiros e pastores nesse século; pessoas estão pensando em sua própria vida e esquecendo quem é o real dono da vida: Deus e nosso Salvador Jesus Cristo.

Se lermos a vida dos santos, conforme os registros do Antigo e do Novo Testamento, veremos que existe uma característica comum a todos eles. Em todos aqueles que receberam testemunho da parte de Deus vemos isso: a entrega de si mesmos a Deus.

Que possamos agir de forma a nos entregarmos totalmente àquele que nos salvou das trevas e nos conduziu para a sua maravilhosa luz! O nosso Deus merece tudo o que sou e tudo o que tenho! Como aquele corinho que cantamos, diz: “Tudo que sou, tudo o que tenho, estão diante de ti Senhor, minhas tristezas e alegrias a ti entrego agora Senhor; ofereço minha vida a ti, que seja o meu viver para Tua glória; os meus dias são teus Senhor, que seja o meu louvor sacrifício agradável; minha vida eu te dou...”

Que tenhamos essas palavras em nosso coração!

Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

terça-feira, 17 de novembro de 2009

CONHECENDO ISRAEL.

video

COMO ALIMENTAR A IRA DE UM HOMEM.


· A ira é uma das emoções mais debilitantes com que nos defrontamos. Um motivo para ela nos enfraquecer e paralisar é por ser muito imprevisível – pode invadir-nos antes que percebamos... e pode usar muitas faces diferentes. Algumas vezes não passa de uma irritação, ou de uma frase ou palavra impensada que mais tarde nos arrependemos de ter dito. Ocasionalmente, porém, ela explode com tamanha força que resulta em atitudes hostis;
· Outra razão de ser debilitante é por ser tão pública. Não é possível ocultar a ira; ela se manifesta para quem quiser ver e lembrar;
· Davi, o homem notável que foi um exemplo de paciência durante anos sob a ameaça de Saul, finalmente perdeu o controle e, francamente, durante um período de tempo a ira o deixou temporariamente insano. Se não fosse por uma mulher chamada Abigail, ele teria cometido um assassinato.

UM RETROSPECTO, POR FAVOR...
· Naqueles dias a maior parte das pessoas que trabalhava no campo eram pastores. Elas cuidavam dos rebanhos de ovelhas e das manadas de cabras que pertenciam aos ricos senhores;
· Davi e seus 600 guerrilheiros lutavam contra várias tribos no deserto de Parã. Como tal, eles estavam protegendo também esses pastores do ataque de tribos selvagens que subitamente invadiam uma área, roubavam o gado e atacavam pequenas aldeias;
· Segundo o costume da época, quando havia a tosquia das ovelhas, era comum que o proprietário dos animais separasse um parte do lucro e desse aos que haviam protegido os pastores enquanto eles estavam nos campos;
· Davi e seus homens haviam vigiado fielmente os rebanhos de um homem chamado Nabal e ficaram sabendo que ele estava tosquiando as suas ovelhas. Vai haver então pagamento, pensou Davi, é lógico que depois da proteção cuidadosa que ele e seus homens haviam dado receberiam alguma remuneração. O problema é que Nabal é um homem mesquinho e não quer pagar.

OS PRINCIPAIS PERSONAGENS
· NABAL – Era um homem muito rico, seu nome significava “insensato”, mas era maligno em todo seu trato (1 Sm. 25. 2,3);
· Sua Esposa ABIGAIL – Era justamente o oposto. As Escrituras nos diz que era tanto inteligente como bonita (25. 3);
· DAVI – Cujos homens bem treinados haviam feito um trabalho de vigilância voluntário nos campos de Parã, no deserto perto do monte Carmelo.

OCORRÊNCIAS DE CONFLITOS NATURAIS
1º conflito era entre marido e mulher;
2º conflito é entre patrão e empregado;
- 1 Sm. 25. 5-8 – É interessante que Davi não tivesse procurado Nabal pessoalmente. Ele fez isso para não intimidar Nabal;
- A resposta de Nabal foi: 1 Sm. 25. 10-11
- Foi neste ponto que o problema começou. Davi perde o controle e se prepara para atacar uma “barata com uma espingarda”;

SOLUÇÕES SOBRENATURAIS
· 1 Sm. 25. 14-19 – Abigail decidi ajudar o seu marido;
· 1 Sm. 25. 20, 23 – Abigail já planejara o que fazer e o que dizer. Esse é o lado prático da sabedoria. Ela sabia exatamente como abordaria Davi ao encontrar-se com ele. Não se tratava de um improviso, mas de um plano bem pensado, e três coisas se destacam nele;
1. O tato com que ela tratou o assunto – 25. 24-25
2. Sua fé – 25. 30-31
3. Sua lealdade ao marido – 25. 36-37
· Depois de saber da notícia Nabal teve um derrame. Literalmente. Ele ouviu a história de como 401 guerreiros estavam a caminho para cortar-lhe a cabeça e ficou imóvel, com os olhos vidrados. Dez dias mais tarde: “feriu o Senhor a Nabal, e este morreu” 25. 38;
· Para Abigail e Davi, esta história tem um final feliz. Ao saber da morte de Nabal, Davi envia um pedido de casamento a Abigail e ela aceita!

LIÇÕES APRENDIDAS

1. ENFRENTE COM SABEDORIA OS CONFLITOS QUE SURGIREM;
2. RESOLVA CADA CONFLITO QUE SURGIR... E LIDE COM ELE SEPARADAMENTE;
3. SEMPRE QUE VOCÊ PERCEBER QUE NÃO PODE FAZER MAIS NADA, ESPERE.
texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A TENTAÇÃO MAIS SUTIL DA VIDA.


E Davi ficou no deserto, em lugares fortes, permanecendo na região montanhosa no deserto de Zife. Saul o buscava todos os dias, porém Deus não o entregou na sua mão. (1 Sm. 23.14)

· Davi não tinha que esconder-se só de Saul, como da face de todo o exército de Israel que desejava a morte de Davi;
· Saul precisou defender seu povo do ataque Filisteu. Isto foi suficiente para Davi e seus homens se dirigirem para En-Gedi (1 Sm. 23.29);
· En-Gedi era um oásis no deserto, onde havia fontes de água fresca, cachoeiras, vegetação abundante, e várias cavernas de pedra calcária nos rochedos, bem acima do Mar Morto, En-Gedi era um refúgio incomparável. Oferecia proteção, água e um mirante natural de onde se podia avistar quilômetros ao redor, a fim de proteger-se contra qualquer aproximação do inimigo;
· Davi e seus homens se ocultaram entre as rochas e cavernas de En-Gedi. Essas cavernas salpicavam os penhascos e serviam para camuflar sua presença. Na batalha, o lugar mais elevado é sempre melhor que o mais baixo e era ali que Davi se encontrava – num lugar alto.

UMA SITUAÇÃO SINGULAR - 1 Sm. 24. 1-4

· Saul termina seu confronto com os filisteus e volta a perseguir o homem que odeia com todo ardor;
· Num instante, ele se vê obrigado a obedecer um chamado da natureza, mais não imaginava que Davi e os seus estavam no fundo da mesma caverna;
· Se quiser testar a carnalidade de alguém, pergunte a ele o que você deve fazer quando o inimigo está vulnerável. Foi isso o que os homens de Davi disseram.

UMA TENTAÇÃO SUTIL

· Davi poderia ver essa situação como sendo a “VONTADE DE DEUS”;
· O que ele fez? (24.4), mas em vez de vangloriar-se mais tarde do que fizera, Davi ficou perturbado. Mas porque, nos diríamos? Qual o mal em cortar um pedaço do manto do rei? Ele não matou Saul;
· É assim que racionalizamos ao ceder à tentação. “Quem se incomoda se você tirar um pouco de dinheiro da firma, Eles têm tanto! Não vão dar falta desses selos ou de algumas folhas de papel timbrado”.
· Quando deixamos as coisas passarem e dizemos a nós mesmos: “Isso não tem importância!”, é que estamos a ponto de escorregar na lama e afundar até o pescoço;
· Davi ficou preocupado – 1 Sm. 24.6;
· Davi declarou, então, um princípio de justiça – 1 Sm. 24.7;
· Davi persuadiu aos homens porque ele tinha absoluta confiança em Deus. Seu filho Salomão, mais tarde, disse em seus provérbios: “Sendo o caminho dos homens agradável ao Senhor, este reconcilia com eles os seus inimigos” (Prov. 16.7);
· Veja o que Davi fez: 1 Sm. 24.8.

UMA ESTRANHA CONVERSA – 1 Sm. 24. 9-22

· Tendemos a afirmar: “Oh, deixe o barco correr. Tudo vai dar certo”. Mas Davi não pensava assim. Ele disse: “Rei Saul, o senhor está ouvindo conselhos falsos. As pessoas estão mentindo a meu respeito. Por que lhes dá atenção?”;
· Você é responsável por contar a verdade à pessoa, mas é impossível obrigá-la a mudar de opinião. Ela pode morrer acreditando na mentira. Bem no fundo do seu coração, entretanto, você experimentará a satisfação que é produzida quando agimos corretamente. A sua consciência fica leve;
· Saul reconhece que Davi seria seu sucessor, e lhe faz um pedido.

APLICAÇÃO PRÁTICA

Tudo que foi dito hoje nos ensina três princípios úteis quando se trata da tentação mais sutil da vida. É importante tê-los em mente quando alguém nos maltrata:
1. COMO O HOMEM É DEPRAVADO, ESPERE MAUS TRATOS;
2. DESDE QUE MALTRATAR É INEVITÁVEL, ESPERE SENTIMENTOS DE VINGANÇA;
3. DESDE QUE O DESEJO DE VINGANÇA É PREVISÍVEL, RECUSE-SE A LUTAR NA CARNE.

Quando a tentação mais sutil da vida procurar você, recuse-se a ceder. Pode acreditar... Você jamais se arrependerá de perdoar alguém que não merece ser perdoado!
texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DEUS X HOMOSSEXUALIDADE.

HOMOSSEXUALISMO À LUZ DE Rm 1:26-27

Nessa semana, minha mãe atentou-se a um fato que ocorreu em uma “igreja”, onde o mesmo foi televisionado; o fato é que dois “pastores”, isso mesmo, dois ditos “pastores” se uniram em enlace matrimonial.
Creio que esses “pastores” não conhecem a Bíblia e tão pouco são arrependidos e salvos... não é a toa esse acontecimento, pois nos últimos tempos isso há de acontecer... Jesus está voltando; Maranata!!!

Outro fato muito comum é a “Parada Gay” anual... uma vergonha e a cada ano que passa, aumenta-se o numero de seguidores e apreciadores...

Desde os primórdios da humanidade, as sociedades convivem com os mais variados tipos
de comportamentos sexuais. O relato bíblico da Criação em Gn 1 e 2 mostra que Deus formou o homem e a mulher para viverem em comunhão íntima, tornado-se “uma só carne”. Porém o pecado infiltrou-se nos relacionamentos sexuais entre os seres humanos de tal forma que hoje a sociedade convive com uma variação enorme de perversões sexuais, tais como: narcisismo, homossexualismo, masturbação, sadismo, masoquismo, exibicionismo, pedofilia, gerontofilia, fetichismo, travestismo, incesto, pluralismo, necrofilia, bestialidade, zoofilia, voyeurismo, sexopatia acústica, renifleurismo, coprofagia, frotterurismo, entre outros.
Esta postagem não vai entrar nos detalhes das diversas anomalias sexuais, limitando-se apenas ao estudo do homossexualismo, pois este é o tema tratado pelo apóstolo Paulo em Rm 1:26 e 27, como veremos. O artigo será dividido nas seguintes seções: Estudo da referência paulina em Romanos; conceito e causas da homossexualidade; os motivos pelos quais Deus condena este comportamento sexual; terapia para a regeneração daqueles que apresentam este desvio da sua sexualidade; e, por fim, as minhas conclusões pessoais.

Breve Comentário Sobre Rm 1:26-27

Encontra-se a declaração de Paulo nas seguintes palavras:

“Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.”

Há um consenso geral de que Paulo referia-se aqui à prática do lesbianismo e do homossexualismo masculino. A palavra “natural” (kata physin) em oposição à “contrária à
natureza” (para physin) era usada no tempo de Paulo com muita freqüência como uma maneira de estabelecer distinção entre comportamento heterossexual e homossexual. Harrison acrescenta que “Paulo usa linguagem direta, para condenar a perversão do sexo fora do seu justo lugar: dentro do relacionamento conjugal”. Outro teólogo afirma que a contaminação do corpo humano é claramente manifestada no homossexualismo, pois ele é obviamente antinatural, contrário à natureza sexual.
A prática do homossexualismo era comum no mundo pagão, tendo forte presença na sociedade em geral, sendo designado como o “pecado grego”. Paulo escreveu sua epístola aos Romanos na cidade de Corinto, a capital dos vícios gregos, e certamente já vira ali evidências sobre as práticas homossexuais.
Lovelace ainda diz que “contrária à natureza” significa “simplesmente contra a intenção de Deus para o comportamento sexual humano que é explicitamente visível na natureza, na função complementar dos órgãos sexuais e dos temperamentos do macho e da fêmea”.
No verso 27 Paulo emprega o termo arsen 3 vezes, onde sua tradução é: “homens”. O substantivo arsenokoites (“homossexual masculino”, “pederasta”) é empregado pelo apóstolo como alguém que não herdará a salvação por estar sob a condenação de Deus (1Co 6:9; 1Tm 1:10).
Brown ainda acrescenta que aqui a perversão sexual é vista como resultado de (e, até certo ponto,um julgamento sobre) o pecado do homem em adorar a criatura ao invés do criador.

Conceito e Causas da Homossexualidade

Uma vez comprovado que o tema que Paulo abordou em Rm 1:26-27 foi mesmo a homossexualidade, tanto masculina quanto feminina, faz-se necessário um maior aprofundamento sobre o estudo deste comportamento sexual.
O homossexual é considerado uma pessoa com tendência a dirigir o desejo sexual para outra pessoa do mesmo sexo, ou seja, ele (ou ela) sente atração erótico-sexual por parceiro do mesmo sexo.

Bergler vê a homossexualidade como uma espécie de “síndrome neurótica”, caracterizada por alguns estigmas bem definidos, a saber: uma elevada dose de masoquismo psíquico, levando o homossexual a situações de desconfianças e humilhações; medo, ódio, fuga em relação ao sexo oposto; insatisfação constante e insaciabilidade sexual; megalomania; depressão; sentimento patológico de culpa; ciúme irracional; e inadmissibilidade psicopática.

As pesquisas com relação às causas da homossexualidade ainda não são consideradas de todo consistentes; porém, elas podem ajudar na orientação de uma profilaxia social com relação ao homossexualismo. Gius afirma que “não se verificam quadros de aberração cromossômica ligados primitivamente à homossexualidade”, o que descarta sua origem genética, pois “em todos os casos de homossexualidade masculina examinados, o sexo genético correspondia ao sexo fenotípico (respectivo) e faltavam sinais de qualquer alteração cromossômica verdadeira”.

Mesmo os defensores da origem genética da homossexualidade admitem que a eventual “predisposição inata” só se transforma em efetivo desejo homossexual por força de fatores desencadeadores de natureza psicossocial, dentre os quais: obsessiva ligação com uma mãe autoritária ou possessiva; falta de uma figura paterna significativa como modelo de identificação; experiências de iniciação na infância ou adolescência.
O homossexual é um homem ressentido por acreditar que não tem o corpo que sua mente mereceria. Freud também considerava que o meio onde as crianças se desenvolvem é fator determinante de sua sexualidade.

Snoek divide os fatores determinantes em três categorias:
1. Fisiológicos - Nenhuma das teorias (genética, hormonal, morfológica) foi comprovada até o momento;
2. Familiares - Uma mãe dominante, juntamente com um pai apagado; uma supermãe, tão
envolvente que para o filho só existe uma mulher, que é ela; a mãe frustrada no seu relacionamento com o marido, incutindo na cabeça das filhas que homem nenhum tem valor;
3. Sociais - O unissexismo, que ocorre na forma do segregacionismo ou do igualitarismo; o anarquismo; e a sedução por adultos.

Como Deus Considera o Homossexualismo?

Deus abençoou o homem e a mulher e lhes deu o mandamento de serem fecundos e multiplicarem-se (Gn 1:28). O casamento é a “união de duas pessoas que originalmente foram uma, depois foram separadas uma da outra, e agora no encontro sexual do casamento se uniram novamente”. Lovelace acrescenta dizendo que “não é por acidente que toda forma de expressão sexual fora da aliança do casamento seja explícita ou implicitamente condenada no restante das Escrituras”.
A sociedade atual está cada vez mais perdendo de vista o princípio que Deus definiu para a união sexual entre os seres humanos: um homem e uma mulher, unidos pelo compromisso eterno do matrimônio. Em virtude deste crescente desvio do padrão idealizado por Deus no princípio, é que têm surgido todas estas anomalias sexuais descritas até aqui. Hoje já se convive até mesmo com o “casamento” entre homossexuais e a adoção de filhos por estes “casais”.
O propósito de Deus é que o homem junte-se com a mulher e os dois formem “uma só carne” (Gn 2:24), constituindo-se numa família heterossexual, na qual os filhos poderão ser educados em meio a um ambiente sadio e livre de preconceitos.
Este ideal está totalmente corrompido na sociedade moderna, e as relações sexuais passaram a ser apenas um meio de obter prazer a qualquer custo, sem atentar para as orientações dadas por Deus no passado, e para os perigos de não seguir estas orientações. A atual sociedade já aprendeu a conviver pacificamente com o outrora chamado “pecado grego”, vendo os homossexuais como apenas “um pouco diferentes”.
Portanto, Deus desaprova o homossexualismo porque ele é totalmente contrário ao propósito original das relações sexuais: procriação e/ou prazer. Segundo Boice, apenas em se olhar para a anatomia dos órgãos sexuais do homem e da mulher já deveria haver argumento suficiente para convencer de que as práticas homossexuais não são normais. Tanto o Judaísmo quanto o Cristianismo sempre reconheceram esse fato, defendendo que o homossexual está sob a condenação de Deus.

Há “Cura” Para o Homossexualismo?

Após verificar que o homossexualismo está arraigado fortemente na sociedade moderna, faz-se necessário apresentar ao portador deste desvio da sexualidade um meio de regeneração e retorno ao ideal divino. A terapia de aconselhamento para o homossexual consiste em “escutar a quem pede ajuda, a fim de facilitar-lhe a decifração, por ele mesmo, de seu próprio discurso... levando a uma convivência mais saudável consigo mesmo e, em vários casos, chega-se à heterossexualidade”.
Talvez o maior problema a princípio seja romper as barreiras da solidão e da incomunicabilidade que a sociedade erige em relação aos homossexuais. Gatti defende que o ponto de partida deve ser a total aceitação do homossexual como pessoa, a plena compreensão de seu drama, e a mais leal solidariedade a seus sofrimentos e a seus problemas. Para o auxílio pastoral ao homossexual são sugeridos os seguintes passos:

1. Reconhecimento e confissão de que sua atitude e conduta são errados;
2. Ele deve admitir e reconhecer seu problema;
3. Deve confessar o pecado a Deus e a um conselheiro espiritual, e depois deve pedir a Deus que o purifique e perdoe;
4. O homossexual que busca a cura deve pedir a Deus que lhe dê um espírito de arrependimento;
5. Pode-se considerar a possibilidade de uma libertação de demônios;
6. O homossexual deve concordar em submeter-se a um plano de disciplina que Deus possa usar para concretizar a mudança desejada;
7. Entre o homossexual e o conselheiro deve haver sinceridade absoluta;
8. O homossexual deve começar a participar de uma comunidade cristã compreensiva;
9. O conselheiro deve ser paciente.

Para o homossexual, como para qualquer outro homem, no fim é apenas a graça do Espírito Santo, com Seus misteriosos dinamismos, que é capaz de tornar a cura do homossexual possível. Acima de todos os meios educativos e terapêuticos, é sempre na graça de Deus que o homem pecador deve confiar.
O Dr. José Maria concorda com o pensamento de que a igreja deve ser o conduto para a ajuda aos homossexuais que desejarem um retorno aos desejos sexuais naturais de cada ser humano.
Ele afirma que “a igreja será o último reduto para a consolidação dos conceitos familiares” nos próximos anos.

Resumo e Conclusão
O homossexualismo está presente na história humana desde o seu princípio. Biblicamente, encontram-se referências à homossexualidade já no relato de Sodoma e Gomorra (Gn 19:4-5), de onde advém o termo “sodomia” como referência à homossexualidade e outras anomalias do gênero; bem como no período dos Juízes (Jz 19:22). Moisés também fez referências a esta prática sexual entre o povo de Israel (Lv 18:22; 20:13), condenando-a e considerando-a abominável aos olhos de Deus, punível mesmo com a morte.
No Novo Testamento, a referência clássica à homossexualidade, tanto feminina quanto masculina, encontra-se na epístola de Paulo aos Romanos (Rm 1:26 e 27). Porém, o apóstolo também faz outras referências à condenação divina sobre esta prática (1Co 6:9-10; 1Tm 1:9-11).
O presente texto analisou o texto de Romanos, observando a quase unanimidade entre os teólogos e comentadores de que Paulo realmente referia-se na passagem em estudo ao homossexualismo. Porém, é crescente o grupo de eruditos que não aceitam esta interpretação usual, e tentam reinterpretar as declarações paulinas, aplicando-as aos dias atuais, onde a homossexualidade tornou-se já parte comum do cotidiano das grandes cidades.
Através dos estudos e pesquisas científicas consultadas, verifica-se que é reduzida a probabilidade de que as tendências homossexuais sejam o resultado de uma “deformação genética” ou algum caractere hereditário. Ao contrário, é grande o número de estudiosos da psicologia humana que acreditam que este comportamento sexual advém de fatores psicossociais vividos na infância (até os 5 anos de idade, principalmente), e que acarretam traumas e complexos que podem levar o indivíduo a desenvolver o homossexualismo durante sua vida.
Apesar de Deus condenar este comportamento anômalo, em virtude de desvirtuar-se do Seu propósito para o relacionamento sexual e matrimonial, Ele concede ao homossexual desejoso de regenerar-se uma opção de cura, que está disponível através de Sua infinita graça e misericórdia pelas mazelas que atingem a humanidade.
Como representantes de Deus e instrumentos Seus para distribuição de Sua graça ao mundo pecador, os cristãos não devem olhar o homossexualismo como uma doença típica de pessoas “despudoradas”; mas devem encarar o homossexual com o mesmo amor fraternal e solidariedade que Jesus demonstrou em Seu convívio com o ser humano.
Resta ao homossexual cristão, desejoso(a) de orientar sua sexualidade segundo os ditames divinos, atentar ao conselho do próprio apóstolo Paulo: “Tudo posso, nAquele que me fortalece” (Fp 4:13).

Vamos orar para que Deus nos fortaleça e nos dê graça para amarmos os homossexuais, mas não amar o seu pecado... Podemos até dizer que Deus ama-os, mas é indiscutível que Ele não admite e aborrece as atitudes!

Que Deus nos abençoe!
Ricardo Hilário