quinta-feira, 29 de abril de 2010

CARREGANDO MINHA CRUZ.

"E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me"
Lucas 9.23

Hoje o "evangélho" é pregado de diversas formas. O mais conhecido é o do "receber, pois sou filho de Deus"; infelizmente, parece que é esquecido o que Jesus disse: "Toma cada um a sua cruz e siga-me".

Não devo ficar pensando em meus próprios interesses, antes devo seguir aquele que é o autor da minha fé, sabendo que Ele tem um plano pra mim e tudo de melhor acontecerá em minha vida.
Se sua cruz está pesada, lembre-se que Deus está a te ajudar e certamente precisará de sua cruz para um momento especial em sua vida, como segue nos desenhos a baixo.
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

"Senhor, está muito pesado... Por favor, certe um pedacinho..."



"Senhor, por favor, corte mais um pedacinho... assim será mais fácil carregá-la..."

"Senhor, muito obrigado..."


"Vamos usá-la como uma ponte e atravessar..."
"Ahh, é curta demais, não posso atravessar..."
A grandeza do homem está no que faz, no que constrói, no seu esforço. Não nos privilégios que eventualmente recebe.

terça-feira, 27 de abril de 2010

O CAMINHO DA CRUZ

Jesus não foi uma pobre vítima do destino; Ele não foi um mártir patético. A morte de Jesus foi uma parte necessária – de fato, a parte mais importante – do plano predeterminado de Deus.
Pedro confirmou isto em seu sermão no dia de Pentecostes:

Varões israelitas, escutai estas palavras: A Jesus, o nazareno, varão aprovado por Deus entre vós com milagres, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis;
a este, que foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, vós matastes, crucificando-o pelas mãos de iníquos; (Atos 2: 22,23)

Nas Escrituras você encontrará inúmeras profecias no Velho Testamento, que são referências inequívocas à morte do Salvador. Algumas datam de até nove séculos antes do nascimento de Cristo, num tempo em que a crucificação não era nem conhecida. Por exemplo, Davi dá uma descrição específica da morte do Salvador em Salmo 22: 16-18.

ENTREGUE PARA SER CRUCIFICADO (João 19: 13-16)

A caminhada começa depois do sexto e último julgamento entre 7h30 e 8 horas. O relato de Marcos nos diz que as mãos e os pés de Jesus foram pregados na cruz ás 9 horas da manhã; então, sua caminhada para a cruz começou cerca de uma hora ou uma hora e meia antes.

TORTURA FÍSICA: ESPANCAMENTO

“Então lhes soltou Barrabás; mas a Jesus mandou açoitar, e o entregou para ser crucificado.” (Mt. 27. 26)

- Dois tipos de espancamento ou açoitamento: O Judeu e o Ronamo.
- O método judeu se encontra em Dt. 25:1-3, que nos mostra um número limite;
- O método romano não tinha limites.
- A vítima era despida de todas as suas roupas e colocada numa posição encurvada sobre um tronco ou poste largo e baixo;
- O espancamento era conduzido por um lictor;
- O instrumento usado se chamava “flagelo”;
- Os açoitamentos romanos eram tão brutais que algumas vezes a vítima morria antes da crucificação.

HUMILHAÇÃO PÚBLICA: ZOMBARIA E CRUELDADE (Mt. 27: 27-30)

- Foi colocada a coroa de espinhos;
- Um manto vermelho, que provavelmente ia até o cotovelo;
- Depois de zombarem, vestiram-lhe suas próprias roupas;

A CAMINHO DO GÓLGOTA
Tanto no evangelho de Mateus como em Marcos está registrado simplesmente que os soldados “o levaram para crucificá-lo” (Mt. 27:31; Mc. 15:20). Lucas nos diz que “lês o levaram” (Lc 23:26). E João escreveu: “Levando a sua própria cruz, ele saiu para o lugar chamado Caveira (que em aramaico é chamado Gólgota)” (Jo. 19:17).
Entretanto Mateus, Marcos e Lucas nos dão um detalhe interessante: Mt. 27.32/ Mc 15.21 e Lc. 23.26.

TOMANDO A SUA CRUZ

“Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me;” (Mt. 16:24)
Os judeus estavam acostumados a ver prisioneiros condenados carregando a viga horizontal de suas cruzes, e quando viam alguém nessa situação, eles sabiam que aquela pessoa conhecia profunda tristeza e sofrimento e tinha apenas uma coisa diante de si: a morte.
Você entende o que Jesus estava dizendo? Você pode dizer sinceramente que deseja “segui-lo” com tal intensidade e devoção” Ele certamente concederá a você graça suficiente para permanecer firme, mas a decisão de morrer para a sua vontade – tomar a sua cruz – é sua, apenas suas.


Aula com texto baseado no livro "As trevas e o amanhecer" de Charles R. Swindoll.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

O HOMEM QUE ESCAPOU DA CRUZ.

Embora nunca apareça como personagem principal, Barrabás desempenha um importante papel nos bastidores. Ele jamais poderia imaginar que um dia seu nome seria citado pelas Escrituras! Mas no sexto julgamento, que discutimos na aula anterior, lá está ele, no texto sagrado das Escrituras.
Em sua mente, não havia nada pior que a morte por crucificação. Aquele seria o fim da linha, e um torturante. Não queria nem pensar nos pregos atravessando sua carne. Se tivesse sorte, morreria logo. Todos que eram pendurados em uma cruz ansiavam por uma morte rápida.
Mas para Barrabás, sua vida não terminou numa cruz. O carcereiro que abriu sua cela não o conduziu ao local da execução. Em vez disso, ele o libertou!

- Mateus 27:15
- Marcos 15: 6-8

1) Pilatos não queria contrariar o povo;
2) Quando Pilatos apurou todos os fatos, ele declarou sem hesitar que Jesus era Inocente.
Mas por que, de todos os prisioneiros que estavam confinados nas celas romanas, Pilatos escolheu Barrabás?

SEU NOME
Mateus 27: 16

- A expressão, “muito conhecido”, significa “marcar”;
- O Nome Barrabás se divide em duas partes Bar = Filho e abbas = Pai, ou seja Filho do Pai;

SEU CRIME
Marcos 15: 6-7

O Registro do Evangelho de Marcos declara: “Barrabás foi preso com os rebeldes”, o que confirma que os dois que foram crucificados com Jesus faziam parte do grupo de Barrabás.
A história diz que Barrabás foi preso e condenado por insurreição e assassinato. Insurreição é o mesmo que rebelião contra as autoridades governantes.

O LOCAL

Todos os quatro evangelhos declaram ou deixam implícito, que Barrabás estava preso ou confinado pelas autoridades de Roma. (Mt. 27: 16 / Mc. 15: 7 / Lc. 23: 18 / Jo. 18: 39,40)
É bastante provável que Barrabás estivesse preso na fortaleza Antonia, o “grande depósito” de prisioneiros na antiga Jerusalém. O grande movimento na cidade devido à Páscoa, fez com que Pilatos se deslocasse de seu luxuoso quartel-general na cidade de Cesaréia, na Costa do Mediterrâneo para ir a Jerusalém manter a lei e a ordem.
Então onde Pilatos estava hospedado? Ele poderia estar hospedado no Palácio Hasmoneano, porém, este palácio era a residência oficial de Herodes Antipas quando estava em Jerusalém, e Herodes “estava em Jerusalém naquela ocasião” (Lc. 23: 7). Isto sugere que Pilatos estivesse hospedado na fortaleza Antonia, uma vez que esta era uma fortaleza romana e o quartel-general dos soldados romanos na região.

UM SUBSTITUTO PESSOAL

Barrabás, mais do que qualquer outra pessoa nessa sombrio drama do Calvário, sabia que alguém iria substituí-lo naquela cruz do meio. Ele esperava morrer naquele mesmo dia. Ele havia sido condenado e preso, e aguardava a morte por crucificação. E então, de repente, ele ouviu: “Você está livre”.
Sua vida ilustra de maneira intensa a doutrina da expiação. Não devemos esquecer que Jesus foi nosso substituto também.
Como Barrabás fomos libertados, e essa liberdade é eterna.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

SABIAS DECISÕES.


Efésios 6:1-4 “Vós, filhos, sede obediente a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.”

B.L.H. “Filhos, o dever de vocês é obedecer ao seu pai e à sua mãe, pois isso é certo. Como dizem as Escrituras: ‘Respeite o seu pai e a sua mãe.’ E esse é o primeiro mandamento que tem uma promessa, a qual é: ‘Faça isso a fim de que tudo corra bem para você, e você viva muito tempo na terá.’ Pais, não tratem os seus filhos de um jeito que faça com que eles fiquem irritados. Pelo contrário, vocês devem cria-los com a disciplina e os ensinamentos cristãos.”

INTRODUÇÃO: O apóstolo Paulo trás uma exortação aos filhos e pais, nesse trecho da Palavra de Deus. Primeiramente, exorta para que os filhos que sejam obedientes aos pais (v.1-3). V.1 – “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor.” Obediência é um termo mais forte do que submissão, que foi apresentada à esposa. No Senhor. “A esfera na qual ela deve se movimentar, pois a obediência cristã é completa na comunhão com Cristo”. Pois isto é justo. Aqui está se mostrando que esta é um princípio eterno de Deus. V.2 – “Honra a teu pai e tua mãe.” Paulo mostra que a Lei tem a mesma obrigação. “É o primeiro mandamento com promessa” Isto é, uma promessa foi dada à obediência. V.3 – “Para que te vá bem...” FILHO QUE LÊ, VOCÊ TEM OBEDECIDO A SEU PAI? Você tem dado créditos à sua vos?
Agora iremos tratar com os pais: v.4 – Como antes, há um outro lado da responsabilidade. Primeiro foi dada negativamente (não provoqueis à ira a vossos filhos) e, então, afirmativamente. “Mas criai-os na doutrina...” (ler, um pai) Dt.6:7 – Cl.3:20,21.
Exposto aqui deveres de ambas as partes (filhos e pais), quero compartilhar de 3 sábias decisões que homens de Deus (pais) cometeram e que serve de exemplo para nossas vidas hoje.

I. Noé (Gn.7:1) -> Sábia Loucura.
a. Como foi essa sabedoria?

a.I. Ensinou seus filhos por longos dias; Noé obedece todas as ordens Divinas e, ao final de 120 anos (6:3), termina a construção. Deus novamente se revela a Noé e lhe ordena que adentre a arca junto com seus familiares e que leve também os animais.
a.II. Noé pregou o arrependimento; além do tempo levado para construir a arca, houve ainda 7 dias, antes do dilúvio. (Liga-se à tribulação?). 7:10.

b. Qual a reação dos filhos de Noé? Como os filhos de Noé aceitaram a noticia?
b.I. Acreditaram no pai. Podemos imaginar, filhos de Noé nos estudos e saindo da “escola” para ajudar a seu pai na construção da Arca, sendo zombados pelos colegas... eles falariam: “Se meu pai está falando, acredite, pois ele é um homem de Deus!”
b.II. Apoiaram e ajudaram seu pai.

c. Como aplico à minha vida? Noé e sua família, certamente foram zombados e chamados de loucos... Mas ele ensinou seus filhos o caminho correto e os filhos lhe obedeceram. Pais, vocês estão sendo um canal de Deus para com seus filhos?

II. Abraão (Gn.22:9,10) -> Sábia confiança.
a. Abraão confiou em Deus, pois sabia que Deus faria o melhor; Não está relatado aqui no contexto a idade de Isaque, mas certamente ele já era um “mocinho” entendia dos sacrifícios.
b. Isaque confiou no seu pai, pois o mesmo demonstrava segurança e firmeza nas palavras; E é assim que deve ser! Deus sempre quer o melhor para nós!
c. Como aplico à minha vida? Pai, você tem tido um “Isaque” para o Senhor? Que lição de fé, foi a que o filho recebeu do pai... Qual a fé que vossos filhos tem visto em vós? Confie mais no Senhor e passe isso a seu filho.

III. Pai do pródigo (Lc.15:22-24) -> Sábio amor.
a. Mesmo depois do filho ter “traído” seu pai;
a.I. O pai recebeu-o e vestiu-o com as melhores vestes.
a.II. O pai alegrou-se em revê-lo.
a.III. O pai fez um banquete, demonstrando o amor para com o filho.
b. O filho, conhecendo o amor do pai, foi ao encontro dele, sabendo que seria recebido; é tão bom quando podemos sentir o carinho e afeto dos braços paternos.
c. Como aplico à minha vida? Pai, ame mais o seu filho. Tenha mais os seus braços abertos para ele. Siga o exemplo desse pai amoroso, com o sábio amor!
Filho, respeite mais o seu pai, assim poderá sempre ter comunhão e fraternidade; não queira trocar seu conforto do lar para conhecer as maldades desse mundo.

CONCLUSÃO: Vimos aqui, apenas três dos inúmeros exemplos na Bíblia concernentes à vida paterna.
(Filhos digam) A melhor coisa do mundo é poder ter um amigo/pai e um pai/amigo, ao nosso lado!
(Pais digam) A melhor coisa é ver nossos filhos crescerem sendo orientados pelo Senhor e acompanharmos o seu crescimento!
PAIS, ENSINEM VOSSOS FILHOS. (Como Noé)
PAIS, DEMONSTRE MAIS CONFIANÇA EM DEUS AOS VOSSOS FILHOS. (Como Abraão)
PAIS, AMEM MAIS OS VOSSOS FILHOS. (Como o pai do pródigo)
NÃO TER ALGUÉM PARA ENSINAR É FÁCIL E BOM, MAS NÃO TER COM QUEM APRENDER É DIFÍCIL E RUIM DE MAIS!!!
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

quinta-feira, 15 de abril de 2010

CULTO DE LOUVOR.

Shalom a todos!

No dia 10 de Abril de 2010, aconteceu mais um culto de Louvor e Adoração ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, para ser mais exato, é o nosso segundo culto de louvor.

Foi uma enorme bênção!!!

Na ocasião estivemos louvando a Deus com corinhos tradicionais e também com alguns contemporâneos, que falaram muito ao nosso coração, além de exaltar a majestade de Cristo.
Estivemos trazendo também a Palavra do Senhor com o seguinte tema: "Celebração e Louvor; será?" Logo estarei postando essa mensagem para apreciação.
Agradeço a todos os irmãos e amigos que se fizeram presentes cultuando a Deus e participando da comunhão após o culto.

Segue algumas fotos:

Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

segunda-feira, 5 de abril de 2010

OS 6 JULGAMENTOS DE JESUS

Geralmente passamos do Getsêmani para o Gólgota, e esquecemos dos detalhes dos julgamentos, sim julgamentos, foram seis no total.

UMA QUESTÃO DE TEMPO

No mundo romano, o dia começava quando o relógio apontava 24:01 e durava até as outras 24:00h;
No mundo Judaico, o dia ia das 18:01h as 18:00.
O período que das 18:00 as 06:00 eram divididos em 4 vigílias: À Tarde, à meia-noite, o Canto do Galo e o Amanhecer. (cada vigília durava 3 horas)

PRINCIPAIS EVENTOS

SEXTA – Dia do Sofrimento
Meia-noite às 2 horasGetsêmane: oração, traição, prisão

Mateus 26:30-56;

3 às 5 da manhã, Julgamentos diante das autoridades Judias
1. Anás (sumo sacerdote emérito)
2. Ceifás (sumo sacerdote em atividade)
Negativas de Pedro
3. Sinédrio (suicídio de Judas)

Mateus 26:57-68; 26:69-75; 27:127:3-10

6 às 9 da manhã, julgamentos diante das autoridades Romanas (Civil)
1. Pilatos
2. Herodes
3. Pilatos(zombaria dos soldados)

Mateus 27:2-14; 27:15-26; 27:27-31

9 da manhã às 3 da tarde
Crucificação Morte

Mateus 27:31-49; 27:50-56;

Antes do pôr-do-sol Sepultamento

Mateus 27:57-60

MANOBRAS ILEGAIS

Os três primeiros julgamentos foram de caráter Religioso. Acusação = Blasfêmia
Os outros três foram de caráter civis. Acusação = Traidor
Todos julgamentos ilegais. Acompanhe as ilegalidades:
- O réu tinha direito a um advogado;
- As testemunhas tinham que ter boa reputação;
- Segundo o Talmude*, não se poderia ouvir testemunho relacionado a um crime capital durante a noite;
- Depois de ouvir o testemunho em um crime capital, os membros da corte judaica não podiam dar o veredicto imediatamente. Era exigido que eles se recolhessem às suas casas durante dois dias e duas noites antes de apresentarem seu parecer. Na linguagem do código, eles deveriam “comer comida leve, beber vinho leve e dormir bem, e retornar mais uma vez e ouvir o testemunho contra o acusado”;
- Outro ato ilegal: O código exigia que os membros do Sinédrio votassem um de cada vez, começando pelos membros mais novos, para que eles não fossem influenciados pelos mais velhos.

* Os Judeus seguiam a Lei Mosaica, interpretada por lês no Talmude, uma espécie de código legal daquela época, enquanto os romanos se guiavam pelo código de direito romano. Estes documentos estabeleciam os limites legais, não permitindo nenhuma área “dúbia”.

Se Jesus tivesse sido condenado à morte pela lei judaica, teria sido apedrejado. Mas, sob a lei romana do primeiro século, a penalidade exigida era a morte por crucificação.

OS SEIS JULGAMENTOS

1
Anãs, ex-sumo sacerdote dos judeus.
Jô. 18: 13-23
Falsamente acusado de desacato a Anãs
ILEGAL – realizado à noite. Sem acusação específica. Prevenção. Violência.
Judaico e Religioso
Declarado culpado de desacato e levado às pressas a Caifás

2
Caifás, genro de Anãs
Mt. 26:57-68
Mc. 14:53-65
Jo. 18:24
Declarar ser o Messias, O Filho de Deus – blasfêmia (punida de morte, segundo a lei dos judeus)
ILEGAL – Preso à noite. Testemunho falsa. Prevenção. Violência.
Judaico e Religioso
Declarado culpado de blasfêmia e levado às pressas ao Sinédrio

3
O Sinédrio – formado por setenta homens que governavam Israel.
Mc 15: 1a
Lc 23: 1-7
Declarar ser o Filho de Deus – blasfêmia
ILEGAL – Cristo foi mantido preso, embora fosse considerado inocente. Sem advogado de defesa. Violência.
Judaico e Religioso
Declarado culpado de blasfêmia e levado às pressas ao oficial romano, Pilatos.

4
Pilatos, governador da Judéia, que já estava sendo “fritado” por Roma
Mt 27: 11-14
Mc 15:1b-5
Lc 23:1-7
Jo 18:28-38
Traição (a acusação foi mudada, pois traição era punida com a morte por Roma)
ILEGAL – Falta de dados. Zombaria no tribunal. Sem advogado de defesa. Violência
Romano e Civil
Declarado inocente..., mas lavado às pressas a Herodes Antipas, a multidão rejeita o julgamento de Pilatos.

5
Herodes Antipas, governador da Galiléia
Lc 23:8-12
Nenhuma acusação foi feita
ILEGAL – Sem provar a culpa
Romano e Civil
Maltratado e humilhado; retornou a Pilatos sem nenhuma decisão de Herodes Antipas
6
Pilatos (segunda vez)
Mt 27:15-16
Mc 15:6-15
Lc. 23:18-25
Jo 18:29-19:6
Traição, mas sem provas. (Pilatos propõe que a multidão escolha entre Cristo e um criminoso, Barrabás
ILEGAL – Sem provar a culpa, Pilatos permitiu que um inocente fosse condenado.
Romano e Civil
Declarado inocente, mas Pilatos “lavou suas mãos” e permitiu que Ele fosse crucificado
NAQUELE ATO DE INJUSTIÇA, A JUSTIÇA DE DEUS FOI SATISFEITA. ASSIM COMO OS HOMENS DERRAMARAM SUA IRA SOBRE CRISTO DURANTE SEUS JULGAMENTOS E EM SUA MORTE, A IRA DE DEUS CONTRA O PECADO FOI COMPLETAMENTE LANÇADA SOBRE CRISTO NA CRUZ. COMO RSULTADO, A ÚNICA COISA QUE SEPARA A HUMANIDADE PERDIDA DE DEUS É SUA AVILTANTE INCREDULIDADE.


Aula com texto baseado no livro "As trevas e o amanhecer" de Charles R. Swindoll.