segunda-feira, 5 de abril de 2010

OS 6 JULGAMENTOS DE JESUS

Geralmente passamos do Getsêmani para o Gólgota, e esquecemos dos detalhes dos julgamentos, sim julgamentos, foram seis no total.

UMA QUESTÃO DE TEMPO

No mundo romano, o dia começava quando o relógio apontava 24:01 e durava até as outras 24:00h;
No mundo Judaico, o dia ia das 18:01h as 18:00.
O período que das 18:00 as 06:00 eram divididos em 4 vigílias: À Tarde, à meia-noite, o Canto do Galo e o Amanhecer. (cada vigília durava 3 horas)

PRINCIPAIS EVENTOS

SEXTA – Dia do Sofrimento
Meia-noite às 2 horasGetsêmane: oração, traição, prisão

Mateus 26:30-56;

3 às 5 da manhã, Julgamentos diante das autoridades Judias
1. Anás (sumo sacerdote emérito)
2. Ceifás (sumo sacerdote em atividade)
Negativas de Pedro
3. Sinédrio (suicídio de Judas)

Mateus 26:57-68; 26:69-75; 27:127:3-10

6 às 9 da manhã, julgamentos diante das autoridades Romanas (Civil)
1. Pilatos
2. Herodes
3. Pilatos(zombaria dos soldados)

Mateus 27:2-14; 27:15-26; 27:27-31

9 da manhã às 3 da tarde
Crucificação Morte

Mateus 27:31-49; 27:50-56;

Antes do pôr-do-sol Sepultamento

Mateus 27:57-60

MANOBRAS ILEGAIS

Os três primeiros julgamentos foram de caráter Religioso. Acusação = Blasfêmia
Os outros três foram de caráter civis. Acusação = Traidor
Todos julgamentos ilegais. Acompanhe as ilegalidades:
- O réu tinha direito a um advogado;
- As testemunhas tinham que ter boa reputação;
- Segundo o Talmude*, não se poderia ouvir testemunho relacionado a um crime capital durante a noite;
- Depois de ouvir o testemunho em um crime capital, os membros da corte judaica não podiam dar o veredicto imediatamente. Era exigido que eles se recolhessem às suas casas durante dois dias e duas noites antes de apresentarem seu parecer. Na linguagem do código, eles deveriam “comer comida leve, beber vinho leve e dormir bem, e retornar mais uma vez e ouvir o testemunho contra o acusado”;
- Outro ato ilegal: O código exigia que os membros do Sinédrio votassem um de cada vez, começando pelos membros mais novos, para que eles não fossem influenciados pelos mais velhos.

* Os Judeus seguiam a Lei Mosaica, interpretada por lês no Talmude, uma espécie de código legal daquela época, enquanto os romanos se guiavam pelo código de direito romano. Estes documentos estabeleciam os limites legais, não permitindo nenhuma área “dúbia”.

Se Jesus tivesse sido condenado à morte pela lei judaica, teria sido apedrejado. Mas, sob a lei romana do primeiro século, a penalidade exigida era a morte por crucificação.

OS SEIS JULGAMENTOS

1
Anãs, ex-sumo sacerdote dos judeus.
Jô. 18: 13-23
Falsamente acusado de desacato a Anãs
ILEGAL – realizado à noite. Sem acusação específica. Prevenção. Violência.
Judaico e Religioso
Declarado culpado de desacato e levado às pressas a Caifás

2
Caifás, genro de Anãs
Mt. 26:57-68
Mc. 14:53-65
Jo. 18:24
Declarar ser o Messias, O Filho de Deus – blasfêmia (punida de morte, segundo a lei dos judeus)
ILEGAL – Preso à noite. Testemunho falsa. Prevenção. Violência.
Judaico e Religioso
Declarado culpado de blasfêmia e levado às pressas ao Sinédrio

3
O Sinédrio – formado por setenta homens que governavam Israel.
Mc 15: 1a
Lc 23: 1-7
Declarar ser o Filho de Deus – blasfêmia
ILEGAL – Cristo foi mantido preso, embora fosse considerado inocente. Sem advogado de defesa. Violência.
Judaico e Religioso
Declarado culpado de blasfêmia e levado às pressas ao oficial romano, Pilatos.

4
Pilatos, governador da Judéia, que já estava sendo “fritado” por Roma
Mt 27: 11-14
Mc 15:1b-5
Lc 23:1-7
Jo 18:28-38
Traição (a acusação foi mudada, pois traição era punida com a morte por Roma)
ILEGAL – Falta de dados. Zombaria no tribunal. Sem advogado de defesa. Violência
Romano e Civil
Declarado inocente..., mas lavado às pressas a Herodes Antipas, a multidão rejeita o julgamento de Pilatos.

5
Herodes Antipas, governador da Galiléia
Lc 23:8-12
Nenhuma acusação foi feita
ILEGAL – Sem provar a culpa
Romano e Civil
Maltratado e humilhado; retornou a Pilatos sem nenhuma decisão de Herodes Antipas
6
Pilatos (segunda vez)
Mt 27:15-16
Mc 15:6-15
Lc. 23:18-25
Jo 18:29-19:6
Traição, mas sem provas. (Pilatos propõe que a multidão escolha entre Cristo e um criminoso, Barrabás
ILEGAL – Sem provar a culpa, Pilatos permitiu que um inocente fosse condenado.
Romano e Civil
Declarado inocente, mas Pilatos “lavou suas mãos” e permitiu que Ele fosse crucificado
NAQUELE ATO DE INJUSTIÇA, A JUSTIÇA DE DEUS FOI SATISFEITA. ASSIM COMO OS HOMENS DERRAMARAM SUA IRA SOBRE CRISTO DURANTE SEUS JULGAMENTOS E EM SUA MORTE, A IRA DE DEUS CONTRA O PECADO FOI COMPLETAMENTE LANÇADA SOBRE CRISTO NA CRUZ. COMO RSULTADO, A ÚNICA COISA QUE SEPARA A HUMANIDADE PERDIDA DE DEUS É SUA AVILTANTE INCREDULIDADE.


Aula com texto baseado no livro "As trevas e o amanhecer" de Charles R. Swindoll.

Nenhum comentário:

Postar um comentário