quarta-feira, 30 de setembro de 2009

FELICIDADE DO SERVO FIEL.


Salmo 119:1-8
“BEM-AVENTURADOS os retos em seus caminhos, que andam na lei do Senhor. Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e que o buscam com todo o coração. E não praticam iniqüidade, mas andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos. Quem dera que os meus caminhos fossem dirigidos a observar os teus mandamentos. Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos. Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos. Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente.”

Estes oitos primeiros versículos são associados à contemplação da bem-aventurança que procede da observância dos estatutosd do Senhor. Sincera comunhão com Deus se desfruta através do amor àquela Palavra que é a maneira de Deus cominicar-se com a alma através do Espírito Santo. Oração e louvor, bem como toda sorte de atos e sentimentos devocionais, nos faz ter um entendimento do que Deus quer para nossas vidas. Lendo a Palavra, você se sente não só instruído, mas também influenciado com santa emoção e levado a expressar o mesmo.
Os que amam a Sanrta Palavra de Deus são bem aventurados, porque são preservados de contaminação (v.1), porqeu se tornam santos na prática (v.2 e 3) e guiados a ir a Deus sincera e intensamente (v.2). É evidente que se deve desejar um viver santo, porque é isso que Deus ordena (v.4); por isso a alma pia ora por esse viver santo (v.5) e sente que seu conforto e coragem devem depender de sua obtenção (v.6). No prospecto da oração respondida, sim, enquanto a oração está sendo respondida, o coração se enche de gratidão (v.7) e se fixa em solene disposição de não perder a bênção, se o Senhor lhe der a graça que o capacita (v.8).

Obrigado, Senhor! Pelas respostas de oração!
"Grande coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres" Salmo 126:3
Ricardo Hilário

terça-feira, 29 de setembro de 2009

INAUGURANDO O ESPAÇO DE LINK'S NO SITE DA COMJOBB E AGRADECIMENTOS.

Shalom a todos!

O “Blog do Hilário” está agora também no site da COMJOBB; trata-se da inauguração do espaço de “Links”. Esse é o endereço eletrônico: http://www.comjobb.org/links.htm
Acessem o site; tem um projeto muito bom e com certeza, a cada dia será aperfeiçoado!
Oremos por mais este ministério feito com amor e dedicação.
Aproveito o ensejo, para deixar algumas palavras de agradecimentos:
É com muito prazer que venho agradecer a cada elogio e prestígio para com o "Blog do Hilário".
Quero deixar aqui um versículo que carrego comigo e que deve ter tudo a ver com todas as áreas de nossas vidas: "Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." Romanos 11:36
A intenção da criação deste Blog é exclusivamente: O louvor e Glória do nosso Senhor Jesus Cristo!
Mais uma vez, agradeço de coração a cada Leitor, Seguidor e Acompanhante do Blog; que Deus encha a vida de cada um de vocês com a consolação do Espírito Santo e a paz que transcende todo o entendimento.
Que toda a honra seja dada ao Senhor Jesus, o Messias de Israel e Salvador do mundo!
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

MÚSICA NA IGREJA DE CRISTO



Este estudo tem por objetivo analisar de forma singela, porém objetiva, a questão da música e da dança em cultos a Deus, e qual seria a melhor forma de encará-las.

A Música no Velho Testamento
A música está presente em várias passagens do Velho Testamento. Vamos então ver algumas delas, de modo a que possamos entender sua natureza e aplicação em seu contexto original:
Notemos a pureza da razão pela qual a filha de Jefté estava em dança com adufes (dança folclórica de honra de seus entes queridos que chegam da guerra):
"Vindo, pois, Jefté a Mizpá, à sua casa, eis que a sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças; e era ela a única filha; não tinha ele outro filho nem filha." (Juizes 11:34 ACF)
Observemos agora que no cântico de Moisés, não há tambores ou dança (Êxodo 15:2-19)
Mas, em seguida no cântico de Miriã há, mas não há sinal na Palavra de Deus de aprovação ou de reprovação, apenas o registro do fato. Contudo devemos ter em mente o fato de Miriã não ter bom testemunho perante Deus:
"E falaram Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cusita, com quem casara; porquanto tinha casado com uma mulher cusita. (2) E disseram: Porventura falou o SENHOR somente por Moisés? Não falou também por nós? E o SENHOR o ouviu... (9) Assim a ira do SENHOR contra eles se acendeu; e retirou-se. (10) E a nuvem se retirou de sobre a tenda; e eis que Miriã ficou leprosa como a neve; e olhou Arão para Miriã, e eis que estava leprosa." (Números 12:1-2,9-10)
Devemos também notar que a carnalidade que antes fora observada em Miriã acabou por contaminar o povo:
"E, ouvindo Josué a voz do povo que jubilava, disse a Moisés: Alarido de guerra há no arraial. (18) Porém ele respondeu: Não é alarido dos vitoriosos, nem alarido dos vencidos, mas o alarido dos que cantam, eu ouço. (19) E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte;...(21) E Moisés perguntou a Arão: Que te tem feito este povo, que sobre ele trouxeste tamanho pecado? (22) Então respondeu Arão: Não se acenda a ira do meu senhor; tu sabes que este povo é inclinado ao mal;" (Êxodo 32:17-19,21-22)
Quando as mulheres dançaram louvando a Davi mais que a Saul, o resultado foi inveja e tristeza, como pode ser observado em:
"E as mulheres dançando e cantando se respondiam umas às outras, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém, Davi os seus dez milhares. (8) Então Saul se indignou muito, e aquela palavra pareceu mal aos seus olhos, e disse: Dez milhares deram a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão só o reino?" (I Samuel 18:7-8)
A música é criação divina, é dom de Deus:

"Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência. (5) Quem lhe pós as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? (6) Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina, (7) Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?" (Jó 38:4-7)
Mas foi em parte contaminada pelo pecado:
"Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. (14) Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. (15) Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti." (Ezequiel 28:13-15)
"E o nome do seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e órgão." (Gênesis 4:21)
Lembremo-nos que Jubal era descendente de Caim!

A música dedicada a Deus deve ser santa e santificada, assim como a vida dedicada a Deus deve ser santa e santificada. Deus não irá aceitar cânticos que de qualquer forma apresentem sinais de carnalidade:
"Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias das tuas violas." (Amós 5:23)
"Ai dos que dormem em camas de marfim, e se estendem sobre os seus leitos, e comem os cordeiros do rebanho, e os bezerros do meio do curral. (5) Que cantam ao som da viola, e inventam para si instrumentos musicais, assim como Davi; (6) Que bebem vinho em taças, e se ungem com o mais excelente óleo: mas não se afligem pela ruína de José; (7) Portanto agora irão em cativeiro entre os primeiros dos que forem levados cativos, e cessarão os festins dos banqueteadores." (Amós 6:4-7)
Música indica circunstância

Quando ouvimos uma música algo vem a nossa mente, ou há uma lembrança de algo, ou há uma identificação de circunstância ou ainda de origem.
Assim, vemos que certas músicas nos trazem à lembrança amor romântico (eros + ágape), outras apenas a pura paixão carnal (amor eros), outras ainda nos lembram de nossas brincadeiras infantis, outras incentivam à coragem para lutar (marchas militares), outras ainda o folclore carnal (carnaval, forró, etc..) etc..
Também identificamos as músicas com sua origem, assim músicas de origem mundana, mesmo que tenham a letra modificada para algo dito "cristão", ainda assim serão músicas mundanas, com sua carga carnal.
Também, músicas vinculadas a igrejas hereges transmitem a idéia de que quem as canta se identifica com as doutrinas pregadas nas igrejas onde estas músicas se originaram. Vemos isto em várias músicas de origem católica, ou de muitos movimentos neo-pentecostais.
Devemos estar atentos para não pecar pela carnalidade, ou pela identificação com o mal:
"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. (16) Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. (17) E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (I João 2:15-17)
"Abstende-vos de toda a aparência do mal. (23) E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." (I Tessalonicenses 5:22-23)
A razão da música no culto ao Senhor
Não vamos à Igreja para "assistir" o culto, quem assiste o culto é Deus, nós vamos prestar (ou dar) culto, vamos para adorar a Deus. O culto a Deus deve ser racional e prestado com decência e ordem:
"(36) Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.(1) Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional." (Romanos 11-36,12-1)
"Mas faça-se tudo decentemente e com ordem." (I Coríntios 14:40)
O culto é um momento em que nos apresentamos a Deus reverenciando Sua grandeza. Em tal situação, a música deve ser utilizada para levar as pessoas a se aproximarem de Deus, e não para criar um ambiente de festividade e animação carnal. O objetivo do culto não é criar uma ocasião para o deleite pessoal de quem lá estiver. Sua razão de ser é que nos apresentemos a Deus, em gratidão e reverência, e desta maneira a alegria que sentiremos virá de nossa comunhão com Deus e não de qualquer animação carnal.
Os Instrumentos
Por si só nenhum instrumento musical traz em si qualquer mau. Os problemas começam com a simbologia à qual o instrumento está ligado. Por exemplo, o atabaque está ligado diretamente a cultos satânicos africanos, logo seu uso em um culto a Deus trará em si uma carga totalmente indesejável. Devemos nos ater ao uso de instrumentos que não tragam, dentro da cultura local, indicação de uso que afronte a Deus, como a idolatria, o satanismo, o paganismo, etc.. E devemos utilizá-los como meio de nos aproximarmos de Deus com reverência e piedade:
"Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade;" (Hebreus 12:28)
Sem leviandade:
"E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário e puseram neles fogo, e colocaram incenso sobre ele, e ofereceram fogo estranho perante o SENHOR, o que não lhes ordenara. (2) Então saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. (3) E disse Moisés a Arão: Isto é o que o SENHOR falou, dizendo: Serei santificado naqueles que se chegarem a mim, e serei glorificado diante de todo o povo. Porém Arão calou-se." (Levítico 10:1-3)
E sem carnalidade:
"Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus. (32) Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus." (I Coríntios 10:31-32)
A dança
Vale lembrar que a dança na Bíblia tem relação maior com a cultura do que com as graças a Deus.
Na Palavra de Deus há referências a danças folclóricas puras e inocentes:
"Então disseram: Eis que de ano em ano há solenidade do SENHOR em Siló, que se celebra para o norte de Betel do lado do nascente do sol, pelo caminho alto que sobe de Betel a Siquém, e para o sul de Lebona... (21) E olhai, e eis aí as filhas de Siló a dançar em rodas, saí vós das vinhas, e arrebatai cada um sua mulher das filhas de Siló, e ide-vos à terra de Benjamim... (23) E os filhos de Benjamim o fizeram assim, e levaram mulheres conforme ao número deles, das que arrebataram das rodas que dançavam; e foram-se, e voltaram à sua herança, e reedificaram as cidades, e habitaram nelas." (Juizes 21:19,21,23)
Bem como também há referências a danças sensuais e carnais:
"E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte;" (Êxodo 32:19)
Mas, em cada caso os seus efeitos e conseqüências estão claramente apresentados.
Vemos também em ocasião única e sem qualquer conotação de mandamento ou indicação de que deva ser imitada, Davi sendo retratado a saltar diante do Senhor:
"E Davi saltava com todas as suas forças diante do SENHOR; e estava Davi cingido de um éfode de linho." (II Samuel 6:14)
Comparemos com:
"E Davi ia vestido de um manto de linho fino, como também todos os levitas que levavam a arca, e os cantores, e Quenanias, mestre dos cantores; também Davi levava sobre si um éfode de linho... (29) E sucedeu que, chegando a arca da aliança do SENHOR à cidade de Davi, Mical, a filha de Saul, olhou de uma janela, e, vendo a Davi dançar e tocar, o desprezou no seu coração." (I Crônicas 15:27,29)
Contudo, independente de qualquer outra avaliação, em momento algum Davi realizou dança com conotação sensual ou carnal, como muitas que podem ser vistas em algumas Igrejas tidas como "modernas".
"Louvai ao SENHOR. Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder. (2) Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza. (3) Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa. (4) Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos." (Salmo 150:1-4)
Nesta passagem temos que a palavra traduzida aqui por dança, pode também significar flauta (ver tradução Almeida Revista e Corrigida), o que parece fazer sentido em meio a tantos outros instrumentos. Contudo, mesmo com o significando de dança, não é de modo algum dança sensual ou carnal, mas pura e inocente como uma dança de roda.
Como determinar a boa música Cristã
Sua melodia fala ao nosso espírito, nos eleva, como o hino 1 do Cantor Cristão? Ou nos traz à mente coisas que não estão ligadas a Deus, como é o caso das músicas mundanas com letras trocadas cantadas em algumas igrejas?
Seu ritmo não deve dar margem a danças sensuais ou carnais. A forma de saber é imaginar se o ritmo da música poderia levar alguma pessoa a ficar tentada a balancear seus quadris, da mesma forma que ritmos como o samba ou o rock poderiam fazer:
"Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. (24) Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (João 4:23-24)
A letra da música fala da sã doutrina cristã de forma plena, como é o caso da letra do hino 9 do Cantor Cristão, ou traz em si heresias? Pois, se houver heresias não devemos cantá-la:
"Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém." (I Pedro 4:11)
Existe a menor dúvida quanto à música? Se sim, não devemos cantá-la:
"Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. (23) Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado." (Romanos 14:22-23)
Se houver qualquer possibilidade da música ser pedra de tropeço para alguém, não devemos cantá-la:
"Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça". (Romanos 14:21)
"Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize." (I Coríntios 8:13)
Conclusão
"Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus." (I Coríntios 10:31)
"E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens" (Colossenses 3:23)
"Abstende-vos de toda a aparência do mal." (I Tessalonicenses 5:22)
"A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração. (17) E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai." (Colossenses 3:16-17)
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

CONGRESSO COMJOBB (ALGUNS AVISOS)

Olá!!!
Irmãos que vão ao 3º congresso da COMJOBB, aqui vai alguns avisos:

Itens à levar:
  • Bíblia;
  • Caneta;
  • Caderneta para anotações;
  • Travesseiro;
  • Lençol;
  • Cobertor;
  • Produtos de higiene pessoal;
  • Shorts e Camiseta para a piscina, para todos os Congressistas;
  • Traje de gala, para participação no "jantar de Gala";
  • Muita disposição a absorver todos os alimentos espirituais;
  • Muita animação para os momentos de lazer.
Haverá algumas programações especiais:
  • "Jantar de Gala" (Sábado);
  • "Noite da Fogueira" (Domingo);
  • Serenata;
  • Entre outras...

Preletores a baixo;

Que Deus abençoe!

Ricardo Hilário


YOM KIPPUR

Hoje é comemorado o Dia do Perdão na cultura judáica e quero compartilhar um pouco mais sobre esse assunto com todos os leitores e amigos.
O Yom Kipur ou Kippur (do hebraico יום כיפור) é um dos dias mais importantes do judaísmo. No calendário hebreu começa no crepúsculo que inicia o décimo dia do mês hebreu de Tishrei (que coincide com setembro ou outubro), continuando até ao seguinte pôr do sol. Os judeus tradicionalmente observam esse feriado com um período de jejum de 25 horas e reza intensa.

Datas
Seguem-se as datas dos próximos Yom Kipur, segundo o calendário gregoriano:
2009: 28 de Setembro;
2010: 18 de Setembro.

Nota: o feriado começa no pôr do sol do dia precedente às datas referidas.

Proibições
Existem 5 proibições no Yom Kipur:
Comer (come-se um pouco antes do pôr-do-sol ainda na véspera do dia até o nascer das estrelas do dia de Yom Kipur);
Usar calçados de couro;
Relacionamento conjugal;
Passar cremes, desodorante, etc. no corpo;
Banhar-se por prazer.
A essência destas proibições é causar aflição ao corpo, dando, então, prioridade à alma. Pela perspectiva judaica, o ser humano é constituído pelo yetzer hatóv (o desejo de fazer as coisas corretamente, que é identificado com a alma) e o yetzer hará (o desejo de seguir os próprios instintos, que corresponde ao corpo). Nosso desafio na vida é "sincronizar" nosso corpo com o yetzer hatóv. Uma analogia é feita no Talmud entre um cavalo (o corpo) e um cavaleiro (a alma). É sempre melhor o cavaleiro estar em cima do cavalo!

Orações
Durante as orações fala-se o Vidui, uma confissão, e Al Chet, uma lista de transgressões entre o homem e Deus e o homem e seu semelhante. É interessante notar duas coisas: primeiro, as transgressões estão em ordem alfabética (em hebarico). Isto torna a lista bastante abrangente, além de permitir a inclusão de qualquer transgressão que se queira na letra apropriada.
Em segundo, o Vidui e Al Chet estão no plural, o que pretende transmitir a ideia de que o povo judeu é um povo "entrelaçado", onde todos devem ser responsáveis pelos outros. Mesmo não cometendo uma determinada ofensa, pretende-se transmitir uma carga de responsabilidade por aqueles que a cometeram - especialmente se a transgressão pudesse ter sido evitada por aqueles que não arcarão com as culpas.

Dia do Perdão - Yom Kippur (1878)
Durante um longo ano comete o homem toda sorte de erros, atropelos, voluntários, involuntários. O processo da teshuvá (arrependimento, retorno ao bem) não poderá realizar-se magicamente em um dia. A tradição judia coloca ao mês de EluI, último do ano, como prefácio para ir preparando o homem para a reflexão profunda, até o grande caminho interior. Cedo, nas manhãs de Elul se ouve o som do shofar: Desperta povo!
Uma semana antes de Rosh Hashaná, também durante a madrugada, se dizem as orações que se chamam "selichot" - perdões). O 1º de Tishrei é o grande dia, a base para um ano novo e um novo ano de vida. Depois seguirão nove dias até o dia do perdão. Dez dias, para aprofundar-se dentro de si, afastar o mal, aproximar o bem. O processo chega a sua culminância no dia 10º de Tishrei : Yom Kipur.
A expiação, Kipur, na raiz hebraica, refere-se ao "que cobre", ou seja, o castigo que envolve o ato perverso. Tudo o que se pode anular, deter ou parar é o castigo; mas não o ato cometido; esse ato está aí e a única maneira de superá-la é através de uma transcendental modificação da conduta pessoal posterior. Os atos são do homem, seguirão sendo dele, e a conseqüência, sua responsabilidade. Deus pode apagar o castigo, não o ato. O jejum - que acompanha todo o dia do perdão - por sua parte não faz milagre. O jejum do dia não sacrifica nada a favor de Deus, sendo que tal idéia seria eminentemente pagã. O que faz é reconcentrar o homem em seu espírito, afastá-lo, por algumas horas, da servidão do homem ao corpo e a suas necessidades.
Observa-se também que as más ações ou transgressões têm duas polaridades: uma do homem em relação ao homem e a outra, do homem em relação a Deus. A primeira é a da vida diária, exterior, social e inter-humana. A outra, do âmbito da alma, é o segredo da consciência. A primeira é coisa de homens, e os homens têm de resolvê-la: "As transgressões que vão de homem a homem, não são expiadas pelo Yom Kipur, se antes não forem perdoadas pelo próximo ".
Daí que se costuma pedir previamente o perdão de nossos semelhantes, se eles não perdoam, Deus não poderá intervir.
Jejum no Yom Kipur
É o dia do perdão - quando Deus perdoa a todo Israel. Durante esse dia, nada pode ser comido ou bebido, inclusive água. Não é permitido lavar a boca, escovar os dentes ou banhar o corpo. Somente o rosto e as mãos podem ser lavados pela manhã, antes das orações. Não se pode carregar nada, acender fogo, fumar, nem usar eletricidade. O jejum não é permitido para crianças menores de 9 anos, pessoas gravemente enfermas, mulheres grávidas e aquelas que deram a luz há menos de trinta dias.
Se uma pessoa enquanto estiver jejuando passar mal, a ponto de quase desmaiar, deve-se lhe dar comida até que se recupere. Se houver perigo de uma epidemia, e os médicos da cidade aconselharem que é necessário comer a fim de resistir à moléstia, exige-se que todos comam.
Existem outras proibições, além daquelas contra trabalhar, comer ou beber. As relações conjugais são proibidas, bem como o uso de perfumes e ungüentos, exceto para fins médicos. Além disso, sapatos e outras peças da indumentária feitas de couro não podem ser usadas no Yom Kipur, pois não se pode usar nenhum material para o qual seja necessário matar um animal.
Após o Yom Kipur, espera-se que haja festa e alegria, não perdendo de vista o fato de que o feriado é um dia santo de júbilo.
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

sábado, 26 de setembro de 2009

DAVI E O ANÃO


A batalha mais famosa descrita no Antigo Testamento não foi travada entre dois exércitos, mas entre duas pessoas. Foi a batalha no Vale de Elá entre Davi e Golias;
O vale de Elá não era uma ravina estreita, parecendo-se mais com um grande desfiladeiro. O local antigo tinha aproximadamente 1,5Km de largura e na direção da estrada do desfiladeiro ele ficava ainda mais largo. No fundo, entre as encostas, ficava o leito do ribeiro onde Davi encontrou as pedras para a sua funda. De um lado ficava uma enorme encosta de 800m ou mais de largura; do lado oposto achava-se outra vasta rampa de 800m, alargando-se cada vez mais. O exército de Israel estava entrincheirando numa encosta; na outra, o exército filisteu;
Este era o cenário. Vamos considerar agora os principais personagens. Primeiro havia Golias, cujo tamanho e aparência eram tão impressionantes que o escritor o descreve em detalhes precisos;

GOLIAS: FRENTE E CENTRO

1 Samuel 17: 4 – 9;
Altura: aproximadamente 3 metros;
Ele usava o que chamaríamos de cota de malha, que era uma roupa de baixo pesada, uma espécie de lona, entrelaçada com anéis de bronze sobrepostos, que ia do ombro ao joelho e pesava entre 80 e 90 quilos;
Mas ele ainda usava um capacete de bronze, caneleiras de bronze para proteger as pernas, e levava um dardo ou lança de bronze entre os ombros. Só a cabeça da lança pesava seiscentos siclos de ferro, ou cerca de 9 a 11 quilos;
O relato bíblico diz também que ele tinha um escudeiro que o protegia. O escudo por ele usado chegava a ser do tamanho de um homem adulto;
E insistentemente este homem desafiava Israel para que escolhesse um representante que o enfrentasse;

ENTRA DAVI... O VERDADEIRO GIGANTE

Jessé manda Davi levar alimento para seus irmãos e um presente para o comandante;
1 Samuel 17: 22-23 – Imagine o momento. Davi está de pé conversando com seus irmãos, quando de repente ouve um grito do outro lado da ravina. Na mesma hora, todos que o cercam começam a recuar e entrar em suas barracas (17: 24);
Ele olha para o outro lado do campo de batalha e vê o homem gigantesco, em sua armadura, gritando ameaças e amaldiçoando o Deus de Israel. Isso deixou Davi furioso!
1 Samuel 17: 28 – É um retrato do que os cristãos têm de suportar quando há necessidade de ficar firmes na fé; recebem uma rajada de balas, lançada no geral por membros da sua própria família;
Saul soube das perguntas de Davi e o manda chamar. Davi, então, se dispõe a lutar (17:37);
Saul tenta ajudá-lo em sua preparação, mas não tem sucesso;
O grande encontro (1 Samuel 17: 40-46).

SAI GOLIAS... “O ANÃO”

Imagine só a cena! Davi se encontrava frente àquela enorme criatura, sem sentir-se intimidado;
Davi vivia segundo um princípio muito simples: nada a ser provado, nada a perder;
A batalha (1 Samuel 17: 47-50)
Desta batalha, emergiu a verdade evidente para as tropas de ambos os lados da Vale de Ela: Golias era o anão e Davi o gigante.

LIÇÕES GIGANTESCAS QUE VALEM SER LEMBRADAS

Ganhar batalhas é extremamente significativo. Lembre-se disso! Onde você guarda as suas lembranças? Você se esquece rapidamente das vitórias? Quebre esse hábito! Deus não desperdiça vitórias. Quando faz algo que só ele pode fazer, diz então a você: “Não esqueça disso”. Nos dias do Antigo Testamento, Deus fez seu povo levantar enormes pilhas de pedras como memórias das várias vitórias que conquistara para serem vistos e lembrados por todos.
Quatro lições emergem desta importante batalha entre Davi e Golias:
1. Enfrentar gigantes é uma experiência que intimida;
2. Guerrear é uma experiência solitária;
3. Confiar em Deus é uma experiência estabilizadora;
4. Conquistar vitórias é uma experiência memorável.

Jamais esqueça isso: A GUERRA É DO SENHOR!

texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A MAIOR AUTORIDADE DE TODOS OS TEMPOS

Mateus 28:18

Introdução: Existem várias autoridades. –Polícia; -Professores; -Pais; -Avós; -Patrões; -Pastores; etc.
Quero falar a você, que todas as autoridades, sendo boas ou ruins aos nossos olhos, foram colocadas por Deus no lugar onde estão (Rm.13:1) “Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.”; mas existe uma autoridade que é Autoridade sobre tudo e todos, uma pessoa que recebeu toda a autoridade na terra e no céu. O nome dessa Autoridade é Jesus.
Quero destacar algumas autoridades de Jesus:

1. Autoridade para curar. (Lucas 18:35-42)

Um cego físico, tem uma certa dificuldade em andar pelas ruas, devido a obstáculos, carros, pessoas... Aquele homem judeu, cego, estava sentadinho à beira de um caminho pedindo esmolas. Quando ouviu uma multidão de pessoas se aproximando, logo deve ter imaginado que iria conseguir encher sua bolsa de moedas.
Esse cego, certamente já conhecia os prodígios e milagres que o Senhor Jesus fazia e sabia te toa a autoridade que Ele tinha.
Curioso para saber que multidão era aquela, ele perguntou a alguém da rua o que acontecia. Logo responderam que era Jesus que passava.
Ele logo deve ter pensado: “Agora é minha vez de ser curado!” Começou a gritar o nome de Jesus e ainda fazia um pedido especial: “Tem misericórdia de mim!”
Mas as pessoas começaram a repreender o cego, mas Jesus ouviu a sua voz, mesmo em meio à tantas outras e chegou-se a ele e curou a cegueira daquele homem.
Mesmo em meio a essa multidão que te cerca e quer te impedir de pedir a cura (física e/ou espiritual) ao Senhor Jesus, ele pode te ouvir, mas você deve fazer como aquele cego; chamar Jesus e pedir misericórdia.
Reconheça a sua situação de miserável e pecador, clame por misericórdia e o Senhor Jesus vai ouvir a tua voz e falará com você.
Não esqueça da atitude do cego após a cura: (v.43); ele seguiu a Jesus. Siga-o também!!!
Ele é a autoridade certa para curar, tanto físico como espiritualmente! (precisou buscar)

2. Autoridade para ressuscitar mortos. (Lucas 7:11-16)
Você sabe o que é ser sozinho? Jesus sabia muito o que isso significa. Nas últimas horas de sua vida Ele estava só também; todos O abandonaram...
A Palavra de Deus diz que Jesus estava vindo de Cafarnaum à uma cidade chamada Naim e logo se deparou com um cortejo fúnebre. Muitas pessoas estavam neste cortejo, logo deduz-se que a mãe (viúva) daquele “defunto” era uma pessoa muito querida. Jesus moveu-se de íntima compaixão e disse à viúva: “não chore”.
Jesus disse para ela não chorar e logo foi ao caixão do filho e disse para aquele jovem levantar.
Mais uma vez, Jesus fez um milagre e muitos louvaram a Deus. Todas as notícias de curas e milagres se espalhavam por toda a parte.
Muitas pessoas buscavam a Jesus à espera de um milagre. Porém nem todas as pessoas Jesus curou, ressuscitou ou coisa parecida. Todo milagre aconteceu na hora certa, no local certo e com as pessoas certas, e tudo para a glória, louvor e honra a Deus.
Dessa vez, a viúva não precisou chamar a Jesus, ela estava contrita e Jesus sabia o que ela carregava em seu coração e Ele aproveitou a ocasião para mostrar à multidão que Ele é Deus e que tem toda a autoridade! (não buscou)

3. Autoridade de suprir necessidades. (Lucas 5:1-11)
As pessoas hoje em dia não têm tanta vontade de ouvir a Palavra de Deus. Mas nos dias do ministério de Jesus era diferente (não precisamos voltar muito no tempo). Muitas pessoas iam atrás de Jesus procurando bênçãos materiais e físicas. Infelizmente iam e vão atrás da bênção errada... em meio à multidão, Jesus conseguiu subir num barco que estava na praia, um barco de pescadores. Esse barco era de Pedro.
Jesus disse para sair da praia e assim foi feito. Ele então ensinava o povo e após haver ensinado, falou a Pedro para que procurasse um lugar bem fundo para que pudesse lançar a rede de pesca.
Pedro então, com o seu jeito durão e cheio de orgulho, disse a Jesus que não teria peixes, pois já havia passado a noite toda com seus companheiros e não conseguiram pescar nada. Mas, mesmo contrariado, ouviu a voz de Jesus, pois sabia que Jesus sabia o que estava falando...
O que aconteceu? Aqueles homens viram o milagre do suprimento! Muitos e muitos peixes foram pescados, de tal forma que até os barcos ao redor foram abençoados e precisaram ajudar, porém, mesmo com a ajuda quase que os barcos afundavam de tanto peso. Um barco só não suportou a quantidade de peixes pescados.
Qual a reação de Pedro? Logo prostrou-se aos pés de Jesus e reconheceu o seu estado de miséria. Mas Jesus disse: “- Não tenha medo; de agora em diante você será pescador de homens.”
E o que as pessoas que estavam perto de Jesus e viram tudo fizeram? “Deixaram tudo e o seguiram.” (Confiaram)
Deixe a sua vida velha para trás! Siga a Jesus, na confiança do suprimento.

4. Autoridade para levar o homem para o céu. (Lucas 17:20-37)
Existe apenas uma autoridade e um caminho para o céu (“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. – João 14:6”). Esse caminho é a autoridade certa para leva-lo ao céu. O homem está morto em seus pecados (“Porque todos pecaram e separados estão da glória de Deus – Romanos 3:23; “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.” Romanos 5:12). Mas existe alguém que veio a este mundo para dar vida eterna e dar o direito de todos aqueles que crêem em Seu nome se tornarem filhos de Deus (“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;” - João 1:12). Essa autoridade chama-se Jesus.
Fazer o desenho na lousa, plano da salvação...
Ele quer te levar ao céu, juntamente com aqueles que entregaram sua vida a Ele. Assim como foi nos dias de Noé, a humanidade se encontra; fazendo tudo a seu bel prazer, fazendo maldade... Assim como foi nos dias de Ló (Sodoma), a sociedade está.
Quando Noé e sua família entraram na Arca, Ló saiu de Sodoma, Deus acabou com a raça humana. Noé (dilúvio universal); Ló (fogo do céu sobre Sodoma e Gomorra).
Acontecerá de igual modo no dia do Senhor: No dia em que o Senhor vir buscar os salvos; não dará tempo para se despedir de ninguém, nem vender, nem comprar mais nada. Não poderemos olhar para trás, como fez a esposa de Ló e virou uma estátua de sal.
Quem quiser guardar a sua vida, perderá a vida eterna, mas aqueles que deixarem para trás a sua vida e seguir a Jesus, vai achar a Vida Eterna!
Essa autoridade, que é o Senhor Jesus, ainda diz mais: “Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar. Naquele dia, quem estiver no telhado, tendo as suas alfaias em casa, não desça a tomá-las; e, da mesma sorte, o que estiver no campo não volte para trás. Lembrai-vos da mulher de Ló. Qualquer que procurar salvar a sua vida, perdê-la-á, e qualquer que a perder, salvá-la-á. Digo-vos que naquela noite estarão dois numa cama; um será tomado, e outro será deixado. Duas estarão juntas, moendo; uma será tomada, e outra será deixada. Dois estarão no campo; um será tomado, o outro será deixado.” Lucas 17:30-36
E ai, você quer ficar ou ir? Ter ou não a vida eterna?
A única autoridade para te levar ao céu é Jesus, e Ele quer te dar a vida hoje! Ele morreu por você e por mim... (Recebeu.)

Conclusão:
Jesus tem toda a autoridade! Encontre com esse homem, o próprio Deus que entregou-se a si mesmo para te dar a vida eterna.
Ele tem autoridade para curar!
Ele tem autoridade para ressuscitar!
Ele tem autoridade para suprir as necessidades!
Ele tem autoridade para leva-lo ao céu!
Ele tem toda a autoridade!!!
Ele te chama!!
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

sábado, 19 de setembro de 2009

UM NINGUÉM QUE NINGUÉM NOTOU.


O rei Saul era um homem realmente estranho. Depois de tornar-se rei de Israel, seus atos e decisões logo revelaram ao povo que ele era um homem egoísta, irritadiço, odioso e mesquinho. Com o passar do tempo, algo abalou-o psicologicamente, de forma que nos últimos anos do seu governo ele perdeu o contato com a realidade, provando não estar qualificado para o cargo.
­ Não muito depois de Saul subir ao trono, Samuel o apanhou em três atos graves de desobediência:
1. Saul tomou uma terrível decisão (1 Sm 13);
2. Fez um voto insensato contra o próprio filho (1 Sm 14); e finalmente
3. Desobedeceu abertamente a Deus (1 Sm 15).
­ Saul era do tipo que tentava sempre justificar seus erros.
­ Samuel chegou no fim de suas forças. O povo elegera Saul como rei, mas ele não tinha mais condições de sê-lo. O que deveriam fazer? Os inimigos cercavam Israel e eles precisavam de alguém para usar o cetro. Mas, quem? Samuel não sabia nem podia imaginar. O povo também não sabia. Ninguém sabia... exceto Deus.

O HOMEM SE ACOVARDA... DEUS PROVÊ

­ O que Samuel não compreende – e geralmente nós também não – é que por trás do cenário, Deus já conhecia o dia de hoje, esta semana e você também. Ele sabia exatamente o que ia fazer. Deus sempre sabe como agir em nossa vida. Ele sabe perfeitamente o que é melhor para nós;
­ Deus, então, se revela a Samuel (1 Sm 16.1)
­ Deus tem coisas extraordinárias em mente para seus filhos. A beleza desta aventura chamada fé é que podemos confiar em que Deus nunca nos desviará do caminho. Ele sabe exatamente onde está nos levando. Nossa função é obedecer.

O HOMEM ESCOLHE... DEUS CORRIGE

­ Inicia-se e eleição o “escolhido de Deus”;
­ Samuel não sabia qual o homem que Deus iria indicar. Os filhos de Jessé estão de pé, olhando para Samuel, e este também os observa. Rosto a Rosto;
­ Jessé revela dois erros muito comuns cometidos pelos pais.
1. Ele não apreciava igualmente todos os filhos;
2. Ele deixou de cultivar entre eles o respeito mútuo.

O HOMEM ESQUECE... DEUS LEMBRA

­ 1 Samuel 16.11
­ Com a ajuda de Deus, Samuel tem agora a perspectiva certa. Nada iria impedi-lo de encontrar o escolhido de Deus!
­ O que Davi fez depois da unção? Veja 1Sm 16. 17-19 e 17. 14-15

DEUS FALA... NÓS RESPONDEMOS

Podemos aprender hoje pelo menos três lições importantes:

1. As soluções de Deus são no geral estranhas e simples, portanto fique aberto;
2. As atividades de Deus são geralmente súbitas e surpreendentes; fique preparado; e
3. As escolhas de Deus são sempre soberanas e seguras; seja sensível.
texto extraído do livro "Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus" cujo autor é Sharles Swindoll.

3º CONGRESSO COMJOBB


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

ENCONTRO AMIGOS DE SIÃO.

Shalom alechem!
Conheça um pouco mais da cultura em que Jesus viveu, a cultura israelita. Saiba tudo concernente às notícias, festas, louvores e muito mais!
Abaixo o convite ao encontro: entrada FRANCA.
Deus abençoe!
Ricardo Hilário

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

ROSH HASHANÁ (ANO NOVO JUDÁICO)

Mais um ano findando ao povo judeu... Na próxima sexta feira (18/09), após o por do sol, os judeus comemoram o "Rosh Hashaná", o ano novo. Quero aqui estender a todos os amigos judeus um SHANÁ TOVÁ UME TUKÁ! (Um ano novo bom e doce!).
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
Rosh Hashaná (em hebraico ראש השנה , literalmente "cabeça do ano") é o nome dado ao ano-novo no judaísmo. Dentro da tradição rabínica, o Rosh Hashaná ocorre no primeiro dia do mês de Tishrei, primeiro mês do ano no calendário judaico rabínico e sétimo mês no calendário bíblico.
A Torá refere-se a este dia como o Dia da Aclamação (Yom Teruá Levítico 23:24), pelo que os judeus caraítas seguem esta data mas não o consideram como princípio do ano.
Já a literatura rabínica diz que foi neste dia que Adão e Eva foram criados e neste mesmo dia incorreram em erro ao tomar da árvore da ciência do bem e do mal. Também teria sido neste dia que Caim teria matado seu irmão Abel. Por isto considera-se este dia como Dia de Julgamento (Yom ha-Din) e Dia de Lembrança (Yom ha-Zikkaron), o início de um período de instrospecção e meditação de dez dias ( Yamim Noraim) que culminará no Yom Kipur, um período no qual se crê o Criador julga os homens.
Contagem nos ultimos anos:
Ano hebraico - Início (depois do entardecer)
5763 - 6 de setembro de 2002
5764 - 26 de setembro de 2003
5765 - 15 de setembro de 2004
5766 - 3 de setembro de 2005
5767 - 22 de setembro de 2006
5768 - 12 de setembro de 2007
5769 - 29 de setembro de 2008
5770 - 18 de detembro de 2009
Tradições e costumes
A comemoração é efetuada durante os dois primeiros dias de Tishrei conforme o costume pós-exílico para se garantir a comemoração no dia correto nas comunidades da Diáspora.
A celebração começa ao anoitecer na vespéra com o toque do shofar. É costume se comer certos alimentos representativos durante o Rosh Hashaná como maçãs com mel e açúcar para representar um ano doce. Também se come "Rosh shel Dag", cabeça de peixe. Esse alimento incentiva a começar um ano bom com a cabeça, a parte mais alta do corpo. Durante a tarde do primeiro dia se realiza o tashlikh, um costume de recitar-se certas preces e jogar pedras ou pedaços de pão na água como um símbolo da eliminação dos pecados.
Durante os Yamim Noraim muitas orações (selichot) e poemas religiosos ( piyuttim) são entoados junto com as orações normais.
Que Deus o Pai de Abraão nos cubra com sua Paz!
Ricardo Hilário

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

INDEPENDÊNCIA OU MORTE!

"E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará." (João 8:32)

Estamos numa data comemorativa, onde todos são levados a lembrar da independência de nossa nação das mãos dos portugueses.
Quero trazer a tona um assunto pouco lembrado pela nossa nação.

Ser dependente em certo ponto é bom e em outro é ruim.

Quero destacar duas formas de dependência que nos "faz bem":

1. Quando menos de idade (Pais);
2. Quando crentes no Salvador Jesus (devemos ser dependentes de Deus).

Duas formas de dependências que nos "faz mal":

1. Dependência química (algo muito difícil de deixar);
2. Dependência do pecado (simples de deixar).
Vou falar agora, somente de como se pode gritar "Independência"! E, se não tiver essa atitude o que restará é "Morte".

Vou usar o exemplo da dependência do pecado:
Todo o homem em sua natureza, é dependente do pecado; nasce pecador e precisa ser liberto dele.
Um dia Deus, em seu grande amor, nos deu uma forma muito fácil de nos desprendermos do pecado, e essa forma chama-se Jesus; que através da sua morte na cruz do Calvário, nos libertou da perdição e nos pode perdoar toda a vez em que pedirmos perdão.

Não quero aqui, fazer apologia ao pecar liberadamente, mas quero dizer: se existe algum pecado em sua vida, tirando a sua paz, lembre-se de que Jesus está pronto a te perdoar; é só orar e pedir para que Ele te renove e perdoe seu pecado!

Conheça a verdade que liberta!

Há uma música do Robson Nascimento que gosto muito onde a letra começa asim: "Quem é que te liberta? Jesus! Quem é o libertado? Sou eu! E a liberdade nos foi dada? Na cruz! Pelo Filho Santo de Deus..."

Mostremos esta liberdade que Cristo nos dá! "E como ouvirão se não há quem pregue?"

Mostre a todos que desacreditam de você, que o mesmo Deus de Isaías, Daniel, Paulo e Barnabé, é o mesmo Deus a quem você serve!

Seja independente do pecado! Assuma a sua posição de filho por adoção e viva a alegria e paz na alma que só o Espírito Santo de Deus pode te dar! Não é seu dinheiro que pode dar; não é seu conjuge; não é seu namorado nem namorada; não são seus amigos; só Deus na pessoa do Espírito Santo vai te dar!

Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário