quarta-feira, 30 de junho de 2010

LEVANDO O EVANGELHO

"Notícias
29/6/2010 - 11h49
Kaká distribui DVD cristão para um milhão de pessoas na África do Sul
INTERNACIONAL - O jogador Kaká promoveu nesse domingo (27), na cidade de Johannesburgo, na África do Sul, a estréia mundial de um vídeo cristão produzido por ele. Com o título: “Kaká – Este é o ritmo do meu jogo”, o camisa 10 da Seleção declara a sua fé em Jesus e diz que “todos têm a necessidade de uma liderança, de condução, de saber para onde ir”.
Um trailer do filme foi distribuído na sexta (25). “Eu creio que Deus tem um propósito pra vida de cada um de nós. E acredito que o meu é pelo esporte, pelo futebol, levar o nome de Jesus Cristo”, diz o jogador na capa do DVD. O atleta do Real Madrid costuma comemorar seus gols apontando para cima, agradecendo a Deus. Além disso, ele tem uma mensagem sobre Jesus nas suas chuteiras personalizadas.
Kaká pretende causar impacto com o seu testemunho sobre Cristo para muitas pessoas de diferentes nações, utilizando a sua influente posição como jogador para benefício do Reino de Deus. O filme documentário em DVD está sendo distribuído gratuitamente para um milhão de pessoas que assistem a Copa do Mundo na África do Sul. De acordo com o blog flogvip.net/kakacara, as pessoas estão recebendo o DVD com alegria."
Notícia extraída do site: Portas Abertas

Independentemente da igreja a qual o Sr. "Kaka" é membro, quero aqui destacar uma coisa que em muitos crentes não existe mais: a vontade de falar de Cristo.
É triste quando é marcado um dia de evangelismo e a mesma meia dúzia de irmãos vêm fazer o trabalho de levar as boas novas. Oxalá que todos os salvos em Cristo Jesus levasse a sério o cristianismo, pois ser cristão não é brincadeira e nem muito menos participar de um clube eclesiástico.
Fica o desafio: Levantemos a bandeira do verdadeiro Evangelho e mostremos a todos que nos cercam, a paz que habita em nós!

Deus abençoe!

Ricardo Hilário

terça-feira, 22 de junho de 2010

UMA NECESSIDADE EMERGENCIAL!

"Estes que têm alvoroçado o mundo, chegaram também aqui;” Atos 17:6b

O que vou abordar, trata-se de uma necessidade emergencial! Quando comecei a preparar este sermão, lembrei-me da Igreja Primitiva, a qual praticou de verdade a “Evangelização Neotestamentária”. No texto em análise, encontramos mais uma passagem onde os irmãos eram perseguidos, e nem por isso deixavam sua fé em Jesus Cristo. Jasom, o equivalente grego para Josué, ao que parece era um judeu crente que abrira as portas da sua casa a Paulo e Silas. A população atacou a casa de Jasom, pretendendo arrastar Paulo e Silas ao tribunal.
Jasom ouviu falar das intenções da população e removeu Paulo e Silas para um lugar seguro. Portanto, em lugar dos evangelistas, Jasom e diversos irmãos foram levados à presença das autoridades. O perigo era grande, pois os crentes difundiam e defendiam a autoridade de Jesus; o imperador romano via isso com maus olhos e não queria ter rivais, então mandava perseguir de verdade os cristãos.
A realidade histórica é essa; mas agora quero trazer a nossa mente a realidade contemporânea:
O que acontece hoje em dia, em pleno século XXI pode-se resumir em três palavras: “FALTA DE FOGO ESPIRITUAL!”
As Igrejas Fundamentais são sãs na fé, a maioria dos membros vivem vida separada, é dado muita ênfase à doutrina bíblica e ano a ano os Institutos Batista tem formado muitos servos e servas do Senhor; entretanto falta alguma coisa: Falta de um fogo santo que venha inflamar o nosso povo e o ponha a arder para a glória do Filho de Deus!
Nos tempos bíblicos a Igreja “alvoroçava o mundo”. Quando os ousados discípulos de Cristo entravam em novas cidades proclamando sua mensagem de imediata e eterna salvação, as autoridades clamavam: “Estes que têm alvoroçado o mundo chegaram também aqui;”
Infelizmente em nosso século é o mundo quem alvoroça a Igreja, pois muitas vezes falta aos discípulos de hoje tanto a ousadia, como o poder.
Quero chamar a vossa atenção para alguns pontos importantes deste sermão:
I. O Problema.

Ninguém pode negar, que na perspectiva humana é de fato sem luz e melhora. Em matéria de evangelização bíblica, a Igreja de nossos dias vai progressivamente piorando e não melhorando. Os historiadores registram para as gerações futuras o quadro amargo de nossa retirada e não o nosso avanço. Deparei a alguns dias atrás com uma estatística realmente feia e preocupante e que revela como estamos fracassando e cada vez mais.
“Em 1.850 cinco cristãos levavam um ano para conduzir uma alma a Jesus. Em 1.900 eram precisos quatorze cristãos para fazer a mesma coisa. Em 1.919 já levavam vinte e um crentes, um ano para conduzir uma alma a Jesus. Em 1.990 trinta cristãos era preciso para conduzir uma alma a Cristo.
Hoje vemos um quadro um pouco pior, pois o número de seitas e heresias tem só aumentando, fazendo até com que pessoas tenham se decepcionado com a Graça de Deus e abandonado a “fé” (se á que tinham fé verdadeira em Jesus).
O escritor da epístola aos Hebreus já havia exortado os crentes (Hebreus 5:12), e o mais interessante é que é aplicável a muitos crentes do presente século: “alimentação líquida e não sólida.”

Conta-se uma história que um certo viajante de trem, na Índia, foi abordado por um oficial que entrou e fez várias perguntas, anotando as respostas. Informado que fazia parte do recenseamento (conjunto de dados e estatísticas dos habitantes do pais, com base em suas características) a que o governo procedia, o viajante comentou quem sem dúvida levaria semanas para completar. Mas o funcionário respondeu: “Não senhor, começamos hoje ao meio dia e terminaremos até à noite.”
O viajante, admirado, perguntou: “Mas o senhor quer dizer que o censo de toda a Índia se realiza dentro de um só dia?” Respondeu o funcionário: “Sim, mas o senhor precisa lembrar de que somos 200.000 pessoas trabalhado.”

Será que estamos trabalhando em unidades, dezenas, milhares, milhões...?

II. A Solução.

A solução do problema é a evangelização, ou seja, missões locais primeiramente. O Senhor disse em Mateus 5:13 e 14 no sermão do monte aos seus discípulos: “Vós sois o sal da terra... luz do mundo...” se não houver sal, a comida não fica boa, se não houver luz, tudo é escuridão.
Sabemos quais utilidades o sal tem e sabemos a utilidade que a luz tem. Quando não temos o sal em nossa dispensa é que damos valor a ele; quando há um apagão é que damos valor a energia elétrica que ascende as nossas lâmpadas.
Basta folhearmos as páginas do Livro de Atos para ver a prova daquilo que o fogo santo pode realizar em vidas consagradas. (exemplos de fogo: fogo da copa; fogo da paixão; fogo do emprego novo; fogo do veículo novo; fogo de uma casa nova; fogo de uma viagem muito esperada...) Lembra-se dos discípulos de Emaús? Em Atos 2:37 – 47 notamos a conversão de quase 3.000 almas. Atos 6:1 diz: “Multiplicou-se o número de discípulos...”; v.7: “Crescia a palavra de Deus e... se multiplicava o número de discípulos”; Atos 9:31 vemos que “a Igreja... crescia em número”. Atos 12:24 afirma com expressão: “A palavra de Deus crescia e se multiplicava.” Essa era a qualidade da Igreja Neotestamentária.
O sucesso da evangelização bíblica calculava-se pela tabuada de multiplicação; a de hoje, não chega nem mesmo a dar boa soma!
Chegou a hora de a igreja do presente século seguir o exemplo do Novo Testamento e acender o fogo santo.
Certa manhã um pregador da geração passada recebeu pelo correio um recado de um dos membros de sua igreja, perguntando: “Irmão: não acha que chegou o tempo – ou então está se aproximando muito – em que devia haver maior esforço por parte da igreja para convencermos os homens a que venham a Cristo?” Hoje estamos nesse tempo!!!
Não é essencial que o fogo comece grande. Todo fogo começa pequeno. Isso é verdade quanto ao fogo natural, e ainda mais ao fogo espiritual.

CONCLUSÃO: Quando perguntaram a Moody como se podia avivar uma igreja fria e morta, ele respondeu: “Acenda um belo fogo no púlpito!” Paulo deu o mesmo conselho ao jovem pregador Timóteo em I Timóteo 4:13-16.
Oxalá que a paixão de todo evangelista, todo pastor, todo crente, fosse a de fazer e de ser o máximo para Jesus e Sua Igreja! Que Deus nos desse uma igreja cheia de pessoas das quais pudesse dizer como se disse aos homens que seguiram a Saul depois que Samuel o ungiu rei: “... uma tropa de homens cujos corações Deus tocara” (I Samuel 10:26).
Que devemos fazer? O pastor a quem nos referimos, o que recebeu o recado postal de um dos membros da igreja, resumiu a condição do verdadeiro avivamento, ao dizer: “Todo o assunto, pois, vem a dar nisto: cada membro da igreja há de se consagrar. Generalizações não resolvem. Quando os membros da igreja pararem de falar naquilo que acham que pode, ou deve, ou precisa, ou poderia, ou deveria, ou seria feito, e começarem a perguntar: ‘Senhor, que queres que eu faça?’ – então o avivamento virá com poder.”

O senhor Jesus nos contempla lá dos céus e vê se estamos cumprindo o nosso dever. Não podemos recuar. Havemos de atacar. Vamos ser sempre uma igreja que quer ganhar almas pra Jesus, multiplicando reuniões evangelísticas, pregando mensagens evangelísticas, exaltando experiências evangelísticas e seguindo métodos evangelísticos.
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

sábado, 12 de junho de 2010

CRESCENDO EM CRISTO.

Eclesiastes 12:1
“Lembra-te do teu criador...”
História do grande peixe.

Era Jonas um profeta de Deus que recebeu o chamado de Deus para levar a uma nação cujo nome era Nínive. Jonas (o profeta fujão) achou que o Senhor não iria se zangar se fosse pregar em outro lugar (Társis). Jonas não queria ir pra Nínive porque era uma cidade de ladrões e a dificuldade de pregar lá seria muito grande, ele achou que possivelmente seria perseguido e acabaria perecendo. Mas ele não confiou em Deus. Deus então teve que mostrar a ele o quanto era pequeno e necessitava obedecer a Deus mandando uma tempestade sobre o navio que embarcou para Tarsis. Com o barco quase afundando, os marinheiros ficaram desesperados e começaram a jogar no mar tudo que era supérfluo. Começaram a invocar cada um o seu deus e viram que não adiantava. Jonas no entanto tinha descido para o porão do navio afim de esconder-se de Deus. O chefe do navio foi até Jonas e perguntou-lhe: “- Como é que você está dormindo? Levanta-te e peça socorro ao teu Deus. Pode ser que ele tenha pena de nós e não deixe a gente morrer.” Sabendo que a tempestade era porque Jonas fugia de Deus, jogaram ele no mar. Nisso veio um grande peixe e engoliu a Jonas... Então Jonas dentro do grande peixe se lembrou de Deus e viu que não era ninguém, orou ao Senhor para que Deus o tirasse de lá e automaticamente fez uma oração de entrega à Deus, na qual ofereceu sua vida em sacrifício e prometeu pagar o voto, ai sim Deus o ouviu e ordenou que o peixe vomitasse a Jonas.

• Abrindo nossas bíblias no livro do profeta Jonas, vemos uma história muito conhecida; vemos também (1:4) que a tripulação do navio era pagã e tinha outros deuses; vendo então que seus deuses não resolveram aquela situação, lembraram de Jonas (o profeta) um homem que temia a Deus (1:6).
• O desespero tinha tomado conta de todos no navio (1:14) – fazendo-os agora lembrar de Deus todo poderoso – pois Jonas tinha declarado a eles que a tempestade acontecia por causa de sua fuga da presença de Deus.

• JONAS COMEÇA ENTÃO SUA QUEDA PARA QUE DEUS POSTERIORMENTE VIESSE A LEVANTÁ-LO (mesmo sem ele saber).

Vemos a covardia e medo de Jonas; assim foi descendo e caindo por não confiar no Senhor e não obedecê-lo.
Jonas já tinha começado a descer (cair) pois fugia de Deus... Sabemos que não há outro caminho senão obedecer o que Deus nos ordena a fazer. Jonas começa fugindo de Deus (1:3) descendo para Jope (uma cidade portuária) desceu para dentro do barco. Deus, como é onipresente e onisciente, viu aquela atitude de Jonas e logo mandou ao mar um grande vento e grande tempestade (1:4). Jonas ainda continuava a fugir de Deus; desceu ainda mais, dessa vez para porão do navio, se deitou e dormiu um profundo sono (1:5).
Jonas desceu mas uma vez ao lançarem ele ao mar (1:15). Deus, afim de ensinar a lição a Jonas preparou um grande peixe (baleia Mateus 12:38-40) que viesse a engolir a Jonas e fizesse com que ele reconhecesse que precisava de Deus.

• JONAS COMEÇA ENTÃO RECONHECER QUE PRECISA DE DEUS, MAS AINDA DESCENDO...

Deus ainda lança Jonas no profundo do mar (2:3) e ele começa a exaltar a Deus e faz a promessa de oferecer sacrifício com a voz do agradecimento. Diz ainda: “o que votei pagarei: do Senhor vem a salvação” (2:9).
• JONAS COMEÇA AGORA SUA NOVA CAMINHADA; ABEDECER A DEUS E PREGAR PARA ARREPENDIMENTO DOS NINIVITAS. (3:3-5)

Vale a pena frisar que a história de Jonas não é uma simples alegoria como se diz por alguns líderes religiosos e teologias modernistas; temos a prova de que Jonas foi um personagem histórico e real (II Reis 14:25) e o caráter de Jonas é confirmado pelo Senhor Jesus em (Mateus 12:38-41). Não hesitamos em afirmar que, te,os aqui um fato e não ficção, uma história e não uma fábula.

Toda essa história tem o seu motivo. Além da conversão dos ninivitas, foi uma tipificação do nosso Senhor Jesus Cristo em sua morte e ressurreição, pois Ele ficou três dias na sepultura antes de ressuscitar; Ele foi enviado para morrer por nós (nos lavar de nossos sujos pecado) e só por Ele temos acesso ao Pai (João 14:6).

Como podemos ser lavados e ir para o céu morar com Jesus (ir para onde Ele foi)?
Reconhecendo que somos pecadores e não podemos nos salvar (Efésios 2:8,9) “porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de voz, é dom de Deus. Não vem das obras para que ninguém se glorie;”
É tão simples ser lavado pelo poder de Deus;
Mas as perguntas vêem:

1. Por que eu devo ser salvo?
Resposta: porque somos pecadores – (Romanos 3:23 – “porque todos pecaram e separados estão da glória de Deus;” Romanos 3:10 – “como está escrito: não há um justo, nenhum sequer.”)
Como vimos anteriormente: - não podemos nos salvar (Efésios 2:8,9)
Já estamos condenados – (João 3:18a – “Quem crê nele –Jesus- não é condenado; mas quem não crê já está condenado,...”)

2. Como Deus providenciou a minha Salvação?
Resposta: Cristo morreu por nós – (Romanos 5:8 – “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” I Coríntios 15:3 – “Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras”)

3. O que devo fazer para ser salvo?
Resposta: devemos receber a Cristo – (João 1:12 –“Mas, todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;”) devo recebe-lo pela oração – (Romanos 10:13 – “porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”) devo confessar diante dos homens – (Romanos 10:10 – “Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a Salvação.”)

4. Quando devo ser salvo?
Resposta: agora, pois o dia de amanha pertence a Deus, não sabemos se estaremos vivos nos próximos minutos. (Provérbios 27:1 – “não presumas do dia de amanha, porque não sabes o que ele trará.” Em outras palavras: “Não planeje coisas para o futuro, pois você não sabe o que vai acontecer amanhã.”)

5. Após isso o que acontece?
Resposta: temos a vida eterna – (João 5:24 – “na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.” – I João 5:13 – “estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus.”)

PARA OS SALVOS EM CRISTO JESUS: voltando à história de Jonas; Por que, muitas vezes, nós (por que nós? Porque também me incluo) achamos que a vontade de Deus será algo que iremos desanimar? (Jonas 1:1-3).
Deus chamou Jonas para ir a Nínive. Jonas porém estava com medo de ir e pegou um navio que estava indo para a direção oposta – Tarsis (Pagou sua passagem: mais sedo ou mais tarde, pagamos pelos nossos erros). Nós conhecemos o resto da história. Jonas foi jogado para fora do navio e foi engolido por um grande peixe. Dentro do peixe, ele se arrependeu do que estava fazendo. O peixe o cuspiu para fora, e Jonas foi para Nínive. Por que nós achamos que o que Deus quer que façamos será horrível? Ele nos chama e sabemos que nos guia, e então, às vezes, nós fugimos para Tarsis para tentarmos ficar longe dele. Para onde você acha que Deus está chamando você? Você está pronto? Ou você está comprando uma passagem para Társis? Será que Ele vai te enviar um grande peixe para conseguir a sua atenção? Deus é um Deus amoroso e, mesmo que possam haver dificuldades, ele não chamaria você para fazer algo que você detesta sem nenhum motivo. Talvez você esteja com medo por causa de algo novo ou diferente, mas você não precisa ter medo achando que Deus está errado. Ele conhece você e sabe de sua capacidade, Deus não é homem para que minta ou se engane (Números 23:19 – “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não confirmaria?” Assim, quando Deus chama você para Nínive, vá depressa. A barriga de um grande peixe não é um bom lugar para se começar a confiar em Deus. (Filipenses 2:13 – “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.”)
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

quarta-feira, 2 de junho de 2010

"PAI, EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO."

“Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.
E, havendo dito isso, expirou.” (Lucas 23: 46)

1. ALGO A ACRESCENTAR... ALGO A OMITIR;
U No Salmo 31: 5 encontramos a seguinte frase: “Nas tuas mãos entrego o meu espírito; tu me remiste, ó Senhor, Deus da verdade”.
U Pai foi a palavra acrescentada que demonstrava intimidade;
U “...tu me remiste, ó Senhor, Deus da verdade”. Foi a frase omitida. Mas Por quê?
O Redentor não precisava ser redimido; por essa razão, Ele omitiu essa frase final em sua oração ao Pai.

2. SUAS MÃOS... MEU ESPÍRITO;
U Durante seus trinta e três anos na terra, a vida de Jesus, em certo sentido, esteve nas mãos de outros seres humanos. Maria, José, Simeão, os doutores, João batista e outros;
U Além de todos esses, aqueles que o julgaram, espancaram, zombaram e por fim o crucificaram, fizeram isso, como Pedro afirma, com “mão iníquas”;
U Agora, finalmente, Ele estava de volta às mãos do Pai. Mas o que Jesus colocou nelas?
U Não foi o corpo, que permaneceria na cruz um pouco mais. Foi seu espírito – o íntimo, a parte mais sagrada de seu ser.

3. COMO MORRER... COMO VIVER.
Duas aplicações práticas merecem ao menos um pequeno comentário.
Uma diz respeito a como morrer, e a outra, como viver:

Primeira, nosso Senhor deixou-nos exemplo de como morrer – Apesar de cruelmente maltratado, torturado até quase o ponto de inconsciência, Ele se recusou a revidar de qualquer maneira. Na hora da morte Ele relembrou uma oração, e proferiu as palavras da Escritura com confiança e sem amargura: “Pai, em suas mãos entrego o meu espírito”.

Segunda, nosso Senhor deixou-nos exemplo de como viver – Não há nenhuma chance de encontrarmos em Jesus algum traço de raiz de amargura ou qualquer outra culpa, nem um pequeno fragmento de culpa. Ele nunca pensou em revidar nem buscou se vingar por alguma coisa. Em vez disso, Ele guardava em seu coração trechos das Escrituras e orações.

Não pare antes de perdoar completamente àqueles que não merecem – exatamente como Cristo fez. E continue assim até você aceitar calmamente sua situação atual, sem se importar com toda dor e sofrimento, exatamente como Cristo fez. Lembre-se, Ele ainda estava pendurado na cruz, cercado pela escuridão quando entregou tudo ao Pai. Como seguidor de Jesus, siga seu exemplo.
Aula com texto baseado no livro "As trevas e o amanhecer" de Charles R. Swindoll.