quarta-feira, 2 de junho de 2010

"PAI, EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO."

“Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.
E, havendo dito isso, expirou.” (Lucas 23: 46)

1. ALGO A ACRESCENTAR... ALGO A OMITIR;
U No Salmo 31: 5 encontramos a seguinte frase: “Nas tuas mãos entrego o meu espírito; tu me remiste, ó Senhor, Deus da verdade”.
U Pai foi a palavra acrescentada que demonstrava intimidade;
U “...tu me remiste, ó Senhor, Deus da verdade”. Foi a frase omitida. Mas Por quê?
O Redentor não precisava ser redimido; por essa razão, Ele omitiu essa frase final em sua oração ao Pai.

2. SUAS MÃOS... MEU ESPÍRITO;
U Durante seus trinta e três anos na terra, a vida de Jesus, em certo sentido, esteve nas mãos de outros seres humanos. Maria, José, Simeão, os doutores, João batista e outros;
U Além de todos esses, aqueles que o julgaram, espancaram, zombaram e por fim o crucificaram, fizeram isso, como Pedro afirma, com “mão iníquas”;
U Agora, finalmente, Ele estava de volta às mãos do Pai. Mas o que Jesus colocou nelas?
U Não foi o corpo, que permaneceria na cruz um pouco mais. Foi seu espírito – o íntimo, a parte mais sagrada de seu ser.

3. COMO MORRER... COMO VIVER.
Duas aplicações práticas merecem ao menos um pequeno comentário.
Uma diz respeito a como morrer, e a outra, como viver:

Primeira, nosso Senhor deixou-nos exemplo de como morrer – Apesar de cruelmente maltratado, torturado até quase o ponto de inconsciência, Ele se recusou a revidar de qualquer maneira. Na hora da morte Ele relembrou uma oração, e proferiu as palavras da Escritura com confiança e sem amargura: “Pai, em suas mãos entrego o meu espírito”.

Segunda, nosso Senhor deixou-nos exemplo de como viver – Não há nenhuma chance de encontrarmos em Jesus algum traço de raiz de amargura ou qualquer outra culpa, nem um pequeno fragmento de culpa. Ele nunca pensou em revidar nem buscou se vingar por alguma coisa. Em vez disso, Ele guardava em seu coração trechos das Escrituras e orações.

Não pare antes de perdoar completamente àqueles que não merecem – exatamente como Cristo fez. E continue assim até você aceitar calmamente sua situação atual, sem se importar com toda dor e sofrimento, exatamente como Cristo fez. Lembre-se, Ele ainda estava pendurado na cruz, cercado pela escuridão quando entregou tudo ao Pai. Como seguidor de Jesus, siga seu exemplo.
Aula com texto baseado no livro "As trevas e o amanhecer" de Charles R. Swindoll.

Nenhum comentário:

Postar um comentário