domingo, 10 de janeiro de 2010

VENCENDO AS DIFICULDADES.


- Algumas das experiências mais difíceis para o cristão são provocadas na esteira do pecado. Este é um assunto que não gostamos de tratar na família de Deus, mas que precisa ser abordado. Na verdade, você poderia ficar surpreso se soubesse quantas vezes a Palavra de Deus trata desse assunto;
“Porque semeiam ventos e segarão tormentas.” Oséias 8.7
- A vida de Davi chegou a um impasse semelhante. Deus ama profundamente Davi... e, portanto, ele o disciplina com severidade. Davi precisa aprender a lição inesquecível de que devemos levar Deus a sério. Que ele pretende dizer o que diz sobre a santidade. Que devemos refletir o caráter do nosso Pai celestial. Pedro escreve: “...segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo vosso procedimento” (1 Pe 1.15);
- Há duas espécies de sofrimentos em meio à tormenta: o tipo de sofrimento que merecemos por termos sido desobediente, e o tipo de sofrimento que não merecemos, mas experimentamos na esteia da transgressão de outrem;
- Mas como enfrentar a tempestade causada por outros? Quer você ou outra pessoa tenha provocado o problema, o que você faz quando colhe a tempestade que outros prepararam? Como lida com ela?
- A melhor ilustração em toda a Escritura, talvez você se interesse em saber, é encontrada na vida de Davi.

DAVI RESPONDE CORRETAMENTE
- Encontramos na resposta de Davi quatro diretrizes úteis para seguirmos quando temos de passar pela tempestade, seja por tê-la causado ou quando somos apanhados na esteira de alguém que a provocou.
1. A primeira reação de Davi foi a oração. – 2 Samuel 12. 15-16
* Nota que durante a oração Davi não saiu de casa. Não foi ao lugar de adoração. Sabemos isso porque o texto diz mais tarde que ele se lavou e mudou de roupa antes de ir para à casa do Senhor para adorar. Parece então evidente que ele não saiu até essa hora;
* Algumas coisas são preciosas demais para compartilhar. São profundas, pessoais ou penosas demais. Ao sondar a nossa alma, devemos ficar quietos para poder ouvir o Senhor dizer tudo o que quer para nós em nossos corações. Davi orou... e nós também devemos orar.
2. A segunda resposta de Davi foi enfrentar as conseqüências com realismo. – 2 Samuel 12. 18
* Quando você enfrenta as conseqüências do vento, deve evitar a amargura. Em vista do sofrimento, especialmente desde que confessou seus pecados a ele e angustiou-se pelo seu erro, deve esforçar-se para não culpar Deus. Pensamentos irão invadi-lo, como: Como pôde fazer isto comigo, Senhor? Eu te servi duramente tantos anos. Confesseis humildemente e sinceramente a minha desobediência... e veja agora o que me tirou! A reação de Davi não contém qualquer desses sentimentos. Pelo contrário, ele aceitou imediata e realisticamente o que acontecera e depois adorou o Senhor.
3. A terceira resposta de Davi foi reivindicar as verdades da Escritura. – 2 Samuel 12. 21-23
* Ele enfrenta a situação, ele a aceita, não a nega. Diz na verdade: - Isto aconteceu. Por que deveria jejuar?
* Quantas pessoas continuam a jejuar depois da morte de um ente querido, pensando talvez que desse modo poderão fazer a pessoa voltar. Ou começam a pensar em entrar em contato com um médium, para poder de alguma forma comunicar-se com o morto. Apesar de ser uma decisão insensata, incorreta e não-bíblica, são muitos os que a tomam.mas o filho de Deus, ao enfrentar a realidade, diz: - É permanente. Não posso trazer de volta meu ente querido. Não tentarei negar essa verdade, nem tentarei fazer barganhas com Deus. No consolo de conselho de Deus confiarei para atravessar esta crise.
4. E a quarta resposta de Davi: ele se recusou a desanimar. – 2 Samuel 12. 4-25
* Uma das cenas mais patéticas da terra é ver um filho de Deus ficar sentado num canto cheio de autopiedade. É necessário tanta (às vezes mais) força espiritual e propósito para recuperar-se e continuar como para passar por uma crise.
* Davi, ao vencer a tempestade, nos dá algumas diretrizes excelentes. Ele orou, ele enfrentou as conseqüências de maneira, ele entregou tudo ao Senhor enquanto reivindicava a verdade bíblica referente à morte, e depois recusou-se a desistir. Continuou a viver, apoiado na força do seu Deus.

UM BREVE RESUMO
Enfrentar a tempestade é uma experiência solitária. Você nunca estará mais sozinho emocionalmente do que quando se acha no redemoinho das conseqüências. Desejará que outros o ajudem, mas isso não é possível. Eles vão querer estar ao seu lado, irão importar-se com você, mas nas maioria das vezes terá de vencer sozinho a tempestade.
Vencer a tempestade é também um aprendizado – Salmo 32. 8-10
Enfrentar a tempestade, graças a Deus, é também uma experiência temporária;
Por último, quero mencionar que vencer a tempestade é uma experiência que nos torna humildes – Deuteronômio 8. 2

A TERRA NÃO TEM TRISTEZAS QUE O CÉU NÃO POSSA CURAR
Que Deus te abençoe!
Ricardo Hilário

Nenhum comentário:

Postar um comentário