sexta-feira, 6 de novembro de 2009

FILHO PRÓDIGO, AMOR PRÓDIGO, AMIGO PRÓDIGO E SERVIÇO PRÓDIGO!

Lucas 15:12
Quero fazer um paralelo com a história do filho pródigo...

A palavra “pródigo”, para quem não sabe, um dos significados é “gastão”.

O FILHO PRÓDIGO;

O filho mais novo de um certo homem pensou que não precisava mais do pai e que a riqueza que “lhe pertencia” era suficiente para viver. Pediu tudo ao pai, mesmo sem ter direito tão já; um testamento só tem validade após a morte do testador.
No caso, o pai foi tão bondoso que mesmo sem o filho merecer, deu a “parte que lhe pertencia”.
O filho nem sabia o que fazer com tanto dinheiro... o que ele fez?
Gastou tudo e é isso que o intitula como “pródigo”.

Levando essas informações em consideração, quero aqui destacar algumas coisas que muitas vezes nos torna um “pródigo”:

AMOR PRÓDIGO;

Era uma vez uma ilha onde moravam os sentimentos.
Num dia de muita tempestade a ilha toda foi inundada e cada um procurou salvar-se como pode.O AMOR, no entanto, não se apressou, pois queria ficar um pouco mais com sua ilha tão querida. Mas a situação ficou feia e ele começou a se afogar.Ao ver a RIQUEZA passando em seu luxuoso iate, pediu ajuda: - Não posso levar você, não cabe. Meu barco está cheio de ouro e prata!
Ao ver a VAIDADE passar, também pediu ajuda: -Não posso, você está todo sujo e vai sujar meu barquinho!
Ao ver a TRISTEZA passar, também pediu ajuda: -Ah! AMOR, estou tão triste... prefiro ficar sozinha!
A INDIFERENÇA nem sequer respondeu ao seu pedido de socorro.
Foi então que passou um velhinho e a socorreu: -Sobe, AMOR, eu levo você. O Amor ficou tão feliz e aliviado que até se esqueceu de perguntar o nome do seu benfeitor.Chegando ao alto de um morro, onde estavam os sentimentos que se haviam salvado, ele perguntou à SABEDORIA: -Quem é aquele velhinho que me salvou?Ela respondeu: -O TEMPO. Somente o TEMPO é capaz de dar valor a um grande AMOR.

As pessoas andam tão vaidosas, tristes e indiferentes, que nem dão valor ao amor; Tornam-se “pródigos” em seus próprios sentimentos... parecem aquele filho mais novo que pede ao pai a sua parte da herança; Pede ao Pai todo o amor do mundo, como se fosse a sua parte da herança e desperdiçam com sentimentos vãos e se esquece quão importante é amar!
Muitas vezes precisamos passar por muitas quedas, tombos, perder “amores” para saber qual é o verdadeiro amor!

O tempo nos ensina a arte de amar e somente assim podemos gastar nosso amor com quem merece e a reciprocidade deve ser verdadeira!

AMIGO PRÓDIGO;

MEU MELHOR AMIGO DEU-ME UM SOCO
Conta uma lenda árabe que dois amigos viajavam pelo deserto e, em um determinado ponto da viagem, começaram a discutir tanto que um acabou dando um soco no rosto do outro.
O que foi agredido, sem nada dizer, escreveu na areia: HOJE, MEU MELHOR AMIGO DEU-ME UM SOCO NO ROSTO.
Mesmo ressentidos, seguiram viagem juntos e chegaram a um oásis. Enquanto se banhava num dos poços, o que havia levado o soco começou a se afogar, mas, foi salvo pelo amigo.
Ao se recuperar pegou um estilete e escreveu numa pedra: HOJE, MEU MELHOR AMIGO SALVOU-ME A VIDA!
Quando um amigo nos ofende, devemos escrever na areia, onde o vento do esquecimento e do perdão se encarregam de apagar; porém quando nos faz algo grandioso, deveremos gravar na pedra da memória do coração, onde vento nenhum do mundo poderá apagar.

Fiéis são as feridas dum amigo; mas os beijos dum inimigo são enganosos.Provérbios 27.6

Existem tantos “amigos” pródigos!
Existem tantos “amigos” ingratos!

Algumas pessoas dizem serem seus amigos, porém te abraçam com uma faca nas mãos! Temos algumas oportunidades desagradáveis de nos relacionarmos com alguns desses “amigos” e a cada dia que passa vão demonstrando mais e mais para que vieram até a minha vida! Pessoas “crentes” que estão, dia a dia, sendo usada por Satanás, que ao invés de ajudar a sair do buraco, jogam areia aos seus montes para poder deter a nossa subida! Deus é Fiel e sabemos que não irá nos desamparar e que no final das contas é Ele quem nos honrará!

São essas pessoas que chamamos de “amigos pródigos”, que ganham e conquistam amigos, depois saem desperdiçado as amizades, ao invés de se juntar para caminharem juntos, que ao invés de dar um “soco na cara” na hora que precisa e “salvar” na hora necessária, preferem sempre atacar e o final dessas pessoas é: ficarem sós, sem amigos e sem honra!

Tenho pena delas, pois prestaram contas a Deus! “Ai daquele que mexer com o ungido do Senhor!”

SERVIÇO PRÓDIGO;

DÁ NÃO, SENHOR
Um sujeito colocou seu sítio à venda.
Logo no primeiro dia apareceu um interessado.
- Bom dia, estou em busca de uma área para plantio, como é terra daqui, dá milho, feijão? Perguntou-lhe o visitante.
- Dá não, senhor, respondeu o proprietário.
- E mandioca?
- Dá não, senhor.
- Nem mandioca? Espantou-se o homem.
- Dá não, senhor.
O interessado não era um expert em solo, mas conhecia um pouco do assunto, olhou a terra ao seu redor e pareceu-lhe terra boa. Coçou a cabeça, como que para lhe ajudar a entender o caso, e fez a pergunta derradeira: - E se plantar?
- Ah... moço, daí é uma maravilha. Daí dá de tudo. Dá batata, milho, feijão, inté mandioca.

Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará.
II Coríntios 9.6

Muitas vezes deixamos de lado nossa razão de ser como Igreja e nos tornamos trabalhadores pródigos
Deus nos comissionou para levarmos as boas novas de Salvação e o que temos feito?
Pedimos tudo ao Senhor; somos discipulados, temos saúde, temos oportunidades, temos pessoas (sendo essas nossa riqueza) e o que fazemos é ficar em casa assistindo um belo filme, escolhemos trabalhar ao invés de servimos a Deus e assim limitamos o Seu poder e não acreditamos que Ele vai suprir todas as nossas necessidades!
Conheço um comércio onde o dono é de uma determinada “igreja” onde não trabalha por um dia da semana, o dia de mais movimento; no entanto a cada ano que passa, a casa se torna mais freqüentada e sempre melhorando os produtos e será que é coincidência?

Devemos ser “ambiciosos” concernente a obra de Deus! Devemos dar o melhor e não pegar o melhor e dar ao mundo.

Conclusão:
Que sejamos convictos de que não devemos ser “pródigos” nem com as finanças, nem com o amor, nem com as amizades e nem com o serviço de Deus!
Que sejamos sábios e saibamos quão importantes são as riquezas que o Senhor tem nos dado!
Vamos valorizar nosso dinheirinho; nossos relacionamentos amorosos; nossas amizades e também a obra de Deus!
Que Deus nos abençoe!
Ricardo Hilário

Nenhum comentário:

Postar um comentário