segunda-feira, 26 de setembro de 2011

JUGO DESIGUAL


Texto: 2 aos Corintios 6.14

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” Corrigida e Revisada Fiel ao Texto Original; Revista e Corrigida

“Não vos ponhais sob jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão tem a luz com as trevas?” Versão Restauração

“Não se juntem com descrentes para trabalhar com eles. Pois como é que o certo pode ter alguma coisa a ver com o errado? Como é que a luz e a escuridão podem viver juntas?” Nova Tradução na Linguagem de Hoje

“Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça ou a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz com as trevas?” Nova Versão Internacional

“Não se submetam ao mesmo jugo com os infiéis. Que relacionamento pode haver entre justiça e iniqüidade? Que união pode haver entre luz e trevas?” Edição Pastoral (Traduzida do Latim – A Bíblia Católica


Vamos começar entendendo o fogo do tema. A palavra jugo significa: “canga; junta de bois; submissão; opressão.” Fiquei curioso pra saber o que significa canga: “jugo de bois; opressão; domínio.” Notei que tanto jugo, quanto canga são sinônimos de opressão. Uns dos sinônimos para opressão é: “dificuldade de respiração; sufocação.”

Levando em conta toda uma interpretação de texto, consigo entender o que o Apóstolo Paulo nos diz em sua epístola aos Corintios. Não façam sociedade com os infiéis, isso vai trazer dificuldade de respirar!

A existência da vida humana está na respiração. Quando uma pessoa para de respirar, desfalece. Quando um crente tem comunhão com o ímpio, a tendência é fazer com que o desfalecimento espiritual aconteça.

Vamos voltar para a língua original, o grego: A palavra comunhão (koinonia) envolve “relacionamento íntimo”, como o do casamento ou o relacionamento espiritual com Deus.

Com esses esclarecimentos consigo então chegar a algumas conclusões:
1.       Não devo me prender a relacionamentos que me deixam oprimidos, no caso com os ímpios. Esses relacionamentos envolvem:
·   Sociedade Empresarial
·   Namoros
·   Amizades
2.       Não devo ter comunhão conjugal com alguém que não é cristão;
a.        Pois luz não consegue estar no mesmo lugar que trevas;
b.       Se estiver num quarto escuro, não tem luz e se ligo a lâmpada a escuridão vai embora.
·   Assim deve ser o cristão, como uma lâmpada!

3.       Não devo ter comunhão com alguém que é cristão que não professa a mesma fé ou ordem.
a.        Pois futuramente pode me sufocar espiritualmente, no meu relacionamento com Deus.
b.       O desfalecimento espiritual na vida de um cristão é a pior coisa que pode acontecer, pois trás como reflexo:
·   Apatia
·   Tristeza
·   Depressão
·   Descomprometimento

Meu relacionamento íntimo deve ser com a luz, pois sou luz, estou na luz como Ele na luz está. Filhos da luz devem se relacionar com filhos da luz. A Luz é Jesus.

Não quero dizer que não pode acontecer de uma sociedade com o ímpio dar certo, porém posso afirmar que 99,99% dos casos o negócio não dá certo.

Não vou dizer também que 100% dos relacionamentos conjugais ou namoros com ímpios dão errado, mas posso afirmar que 99,99% dos casos, o cristão se afasta de Deus por causa do parceiro ou parceira.

Prefiro apoiar-me nos 99,99% de chances de acerto do que me arriscar nos 0,01% de probabilidade de erro.

Tire suas conclusões. Eu tirei a minha e decidi que nunca mais quero errar, e para isso, um bom começo é não me envolver em coisas que exigem comunhão com o ímpio e profano, pois desses lugares não posso esperar muita coisa boa.

Que Deus te abençoe
Ricardo Hilário
21/09/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário