segunda-feira, 28 de novembro de 2011

SÉRIE GRANDES ENSINOS, GRANDES DECISÕES - PARTE 02

Tema: Um investimento imperceptível.
Texto: “Aquilo que o homem semear, isso também ceifará.” Gálatas 6.7

Introdução: Todos nós devemos investir em várias aplicações. O mundo corre atrás de melhores investimentos. As empresas investem em ações, MKT, publicidade e até mesmo em pessoas. Pessoas investem em caderneta de poupança, CDB, Ações, Título de Capitalização, Imóveis, entre outros.
Quero trazer os nosso conhecimento um investimento que quase ninguém é capaz de lembrar e que não é necessário dinheiro e nem tão pouco experiência no mundo financeiro. Esse investimento é chamado de “CARINHO”.

Conta-se: Havia uma pequena aldeia onde não existia dinheiro. Tudo o que as pessoas precisavam para viver feliz elas obtinham trocando CARINHO umas com as outras, simbolizado por um floquinho de algodão.

Era comum as pessoas darem seus floquinhos sem querer nada em troca, pois sabiam que receberiam outros num outro momento, outro dia.
Uma bruxa, que vivia fora da aldeia, convenceu um garoto a não mais dar seus floquinhos. Desta forma ele seria a pessoa mais rica da cidade e teria tudo o que quisesse. Iludido pelas palavras da malvada, o menino, que era uma das pessoas mais populares e queridas da aldeia, passou a juntar seus floquinhos e em pouquíssimo tempo sua casa estava repleta deles, ficando até difícil de se mexer ali.
Quando se deu conta, a cidade já não tinha mais CARINHO. E em seu lugar apareceram coisas ruins como a GANÂNCIA, ROUBO, ÓDIO, XINGAMENTO, INDIFERENÇA.
O menino foi o primeiro a sentir-se TRISTE e SOZINHO e foi procurar a velha para dizer-lhe umas boas, mas não a encontrou. Disposto a reparar o mal, pegou uma grande carriola, colocou todos os seus floquinhos nela e caminhou pela cidade disposto a distribuí-lo graciosamente a todos. Mas as pessoas não recebiam CARINHO a tanto tempo que o olhavam com DESCONFIANÇA.
Por fim, conseguiu distribuir todos eles, mas não recebeu nenhum de volta e ficou em dúvida se tinha feito a coisa certa. Foi quando a ESPERANÇA apareceu e disse-lhe que continuasse até que todos voltassem a se lembrar da importância de dar e receber CARINHO. Ao que ele respondeu: - Não tenho mais CARINHO para dar, minha carriola está vazia.
Tem sim, disse-lhe a ESPERANÇA, sua carriola pode estar vazia, mas seu coração, com certeza, está cheio.
- É verdade, disse o menino, já não me sinto mais triste e sozinho, que mistério é esse?
- Ao distribuir CARINHO, você estava semeando uma boa semente, e todos o que semeiam uma semente tão boa como esta, certamente colherão em abundância.

Diante desta fábula e do texto de Gálatas 6.7, chego a 3 pontos importantes:

I.     Tenho livre vontade de fazer o que quero.
a.     Deus nos dá livre arbítrio
Você é você e sempre será você, porém você pode ser quem Deus quer sem deixar de ser você. Ele não te obriga a nada, mas uma coisa é verdade: se você faz aquilo que é Sua vontade, tem muitas recompensas. Experimente e veja que é verdade!
b.     Ao tê-lo, cabe a eu tomar a decisão
Escolher a decisão certa não é fácil, mas ao fazê-la, entendo o perfeito sentido da vida e passo a dar valor a ela e ao que me cercam. Eu decido o que fazer. Mas se o “eu” tomar a decisão, acabo na maioria das vezes tomando decisões carnais que não são permanentes.
II.    Recebo aquilo que estou oferecendo
a.     O importante é dar sem esperar em troca
Logicamente que a reciprocidade deve ser verdadeira, porém se não houver, não fique triste, pois em breve receberá de outrem o que você nem imagina. Na fábula, tudo começou com o egocentrismo de um menino, orientado por uma bruxa. Não seja egocêntrico.
b.     Mas é bom receber o que damos com alegria e prazer
Dou com alegria: Amor, esperança e CARINHO. Receber isso é muito bom. Como é bom receber os “floquinhos” e dar sem nem mesmo perceber. Dou com ira: GANÂNCIA, ROUBO, ÓDIO, XINGAMENTO, INDIFERENÇA Não gosto de receber porradas...
III.   Consigo reparar a má semeadura.
a.     Se me reorganizar
Se algo na minha vida está me fazendo plantar semente ruim, a semeadura é má. Para semear bem, minhas sementes devem germinar e crescer e isso leva tempo, por esse motivo devo me reorganizar.
b.     Se tomar atitude
Se tiver atitude, mudo minha postura e reparo os erros anteriores. Com atitude, a próxima etapa é que pessoas sejam contagiadas com a minha atitude.

Conclusão: Deus não nos fez marionetes, Ele nos criou para o louvor da Sua Glória, porém cabe a nós fazermos ou não a Sua vontade. Ele quer que vivamos amorosamente, trocando os nossos “floquinhos” e não “pedras”. Ele nos elegeu e nos criou para sermos amáveis. “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.” Romanos 12.10; “Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro;” 1Pedro 1.22.
Vamos ser amáveis, vamos ser carinhosos, ajudando-nos uns aos outros, para a edificação do corpo de Cristo, do povo de Deus! “Sigamos, pois, as coisas que servem para a paz e para a edificação de uns para com os outros... Portanto cada um de nós agrade ao seu próximo no que é bom para edificação.” Romanos 14.19 e 15.2.
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

Nenhum comentário:

Postar um comentário