sexta-feira, 26 de agosto de 2016

CONSTRUINDO O ALTAR



Texto Base: Salmos 100:1-5 – “Celebrai com júbilo ao Senhor, todas as terras. Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto. Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelha do seu pasto. Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei ao seu nome. Porque o Senhor é bom, e eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração”

Introdução: Um chamado duplo para o culto caracteriza este curto mas relevante hino de louvor.

1-3. Uma Procissão Cheia de Alegria. “Celebrai com júbilo ao Senhor”. Este primeiro chamado para o culto pode muito bem ter sido cantado por um coro fora dos recintos do Templo. O fundamento elementar dessa adoração é o conhecimento de Deus; isto é, um reconhecimento de que o Senhor é Deus, Criador e Pastor do Seu povo, Israel. E este conhecimento conduz ao louvor cheio de alegria, expresso em cânticos.

4, 5. Uma Entrada Cheia de Gratidão. “Entrai por suas portas com ação de graça”. Este segundo chamado para o culto talvez fosse o convite feito por um coro dentro dos recintos do Templo. Os crentes, aproximando-se das portas, eram convidados a continuarem o seu culto entrando por elas e, então, nos átrios. Os fundamentos elementares seguintes são a ação de graças, louvor, oração e conhecimento adicional do caráter de Deus. Os atributos divinos de bondade, amor e fidelidade devem ser reconhecidos pelos crentes em qualquer período de tempo.

Edificar um templo ao Senhor é muito importante, as tarefas nele exercidas devem ser realizadas para a glória de Deus, pois Ele é o único que deve receber honra e glória. Primeiramente quero deixar claro o que representa o Templo e para que servia, serve e servirá.

Templo de acordo com o dicionário Aurélio da língua portuguesa, em uma de suas definições, significa: Casa de oração em que se adora uma divindade; igreja

Templo consagrado ao Senhor, considerado Templo Sagrado, os Templos judaicos registrados na Palavra de Deus, em Jerusalém, são dois, e foram destruídos; considerados a moradia de Deus na Terra; local onde eram realizados os sacrifícios e trazidas as oferendas; o Muro das Lamentações é a muralha remanescente que cercava o Segundo Templo.

Quero compartilhar com os amados algumas características que precedem e sucedem a dedicação a Deus, no caso que vou abordar alguns casos de quando foi-se levantado altares ao Senhor, para então fazer algumas aplicações em nossas vidas e nos dar diretrizes concernentes a importância das nossas vidas, tanto no âmbito físico, quanto no espiritual, dedicadas ao Senhor.

1º - O altar edificado por Noé. (Gênesis 8:20)

“E edificou Noé um altar ao Senhor; e tomou de todo o animal limpo e de toda a ave limpa, e ofereceu holocausto sobre o altar.”

Noé e sua família acabara de sair da arca, Noé estava no auge de sua experiência com Deus, pois mesmo que crendo no tamanho de seu Deus, ele viu e mais do que isso, foi protagonista do maior evento da história em sua geração: O dilúvio e acontecimentos contemporâneos.

Quando Noé decidiu edificar um altar ao Senhor, foi em ações de graças, gratidão a Deus por ser escolhido por Deus e reconhecimento de quem era Deus em sua vida.

Noé ofereceu sacrifícios verdadeiramente de gratidão, em sincera adoração e assim o Senhor Eterno foi agradado e tributado.

Noé tinha a plena consciência de quem era o seu Deus. Noé edificou um altar e consequentemente rendeu ações de graças ao seu Deus, ao nosso Deus.

Celebrai com júbilo ao Senhor, por mais um templo erguido para o seu Louvor!

2º - O altar edificado por Abrão. (Gênesis 12:7)

“E apareceu o Senhor a Abrão, e disse: À tua descendência darei esta terra. E edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera.”

Mais uma das mais fabulosas histórias de relacionamento com Deus aconteceu. Deus convoca Abrão para deixar tudo:

1.      A terra: Isso implica em local onde se construiu uma história de vida, onde se conhece muita gente e se é conhecido por muitos. Ora, vale salientar que Abrão tinha apenas 75 anos de idade, isso mesmo 75! “Sai-te da tua terra...”

2.      A parentela: Isso implica em ter ele que escolher a Jeová ou aos parentes. Uma decisão que poucos compreendem e escolhem o chamado (ORA, o SENHOR disse...). “da tua parentela...”

3.      A casa de teu pai: Isso implica em local de moradia, a “zona de conforto”, o local onde sou bem cuidado. “e da casa de teu pai...”

Abrão recebeu a ordem de "a) renunciar às certezas do passado, b) enfrentar as incertezas do futuro, c) olhar e seguir a direção da vontade de Deus"

4.      A terra que te mostrarei: Isso implica um novo teste de fé. O Senhor encontrou o homem para o Seu propósito, alguém que podia ser colocado sob fortes tensões, um homem que desejaria fazer a vontade de Deus como a coisa mais importante de sua vida. “para a terra que eu te mostrarei.”

Após ouvir as promessas do Senhor, contidas dos versículos 1 ao 4, Abrão “tomou” a Sarai, sua mulher, seu sobrinho Ló, todos os bens que haviam adquirido e ALMAS QUE ACRESCERAM EM HARÃ, em outras palavras, convocou a sua esposa, seu sobrinho e “as almas que acresceram” em sua HARÃ e nem sequer deu explicações, rumo à terra que o Senhor prometeu, onde certamente seria o melhor lugar para eles estarem, pois quem os dirigiu foi o? SENHOR! ALELUIA!!! Quando Deus chama alguém, Ele não chama e nos coloca sozinhos na batalha. E movido de gratidão, o que fez Abrão? EDIFICOU UM ALTAR.

Deus lhe deu a terra como possessão e prometeu que seus descendentes a possuiriam depois dele. Com tribos guerreiras por todos os lados, Abrão encontraria dificuldades em estabelecer seus direitos na nova terra. Fez um bom começo, entretanto, levantando imediatamente um altar e oferecendo sacrifícios a Jeová. Conforme sua vida na Palestina foi tomando forma, ele declarou total dependência do Senhor e sua sincera dedicação.

 Celebrai com júbilo ao Senhor, por mais um templo erguido para o seu Louvor e sua Honra!
 
3º - O altar edificado por Moisés. (Êxodo 17:15)

“E Moisés edificou um altar, ao qual chamou: o Senhor é minha bandeira.”

Moisés edificou o altar ao Senhor em motivos de gratidão, sobre o quanto o Senhor era a Força e Bandeira de Israel. Nesse altar que Moisés edificou, o nome foi posto de “Jeová Nissi”, ou seja, O SENHOR É MINHA BANDEIRA.

Imagine que experiência com Deus esse homem teve. Planejou a batalha, deu ordem ao líder Josué e levou Arão e Hur para que lhe servisse de companhia, pois ele sabia que a força e vitória da guerra só viria pelo Senhor. Nos momentos de cansaço, Moisés teve dois companheiros! Que lindo ensinamento!!! Deus coloca pessoas do nosso exército ao nosso lado para nos fortalecer quando cansados e o resultado dessa ajuda se dá única e exclusivamente para a glória de Deus!

Celebrai com júbilo ao Senhor, por mais um templo erguido para o seu Louvor, sua Honra e para anunciar a Palavra Dele!
 
4º - O altar restaurado por Elias. (1 Reis 18:30)

“Então Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e restaurou o altar do Senhor, que estava quebrado.”

Elias já tinha passado por tanta coisa... Um confronto contra o rei Ababe, uma fuga para uma beira de rio, corvos servindo de garçons, uma viúva que não tinha nem o que comer, um suprimento do alimento e agora, o desafio aos profetas de Baal.

Elias tinha plena confiança no que estava fazendo e no Deus ao qual ele servia. Neste momento, então Elias disse . . . “Chegai-vos a mim.” Confiantemente, com calma e segurança, o profeta agora continuou invocando o único Deus verdadeiro, o Deus de Israel. Para construção do seu altar, ele escolheu doze pedras – uma para cada uma das tribos de Israel. Embora política e socialmente divididas, na mente de Deus elas continuavam sendo um único povo, com um só Senhor e uma esperança messiânica. Portanto, Elias construiu o altar com exatamente doze pedras, como testemunho delas e contra elas. À volta do altar abriu uma fossa bastante grande para conter duas medidas, isto é, dois alqueires de sementes (medida para secos). “De maneira que a água corria ao redor do aliar;” ele encheu também de água o rego. Terminando os arranjos para o sacrifício, Elias fez o estranho pedido de ensopar o altar com água três vezes, até que o rego transbordou. Isto foi feito para provar a validade absoluta do milagre que ia se seguir. Elias insistiu em tornar a prova o mais difícil possível para Deus, para que a resposta pudesse destacar-se em contraste mais claro e mais agudo com a impotência de Baal e seus profetas.

Sabemos da continuação dessa história dos versos seguintes e, após Deus mandar fogo do céu para consumir o holocausto, “toso o povo, caíram sobre seus rostos”, ou seja, se humilharam e reconheceram enfim quem é o verdadeiro Deus e “disseram: SÓ O SENHOR É DEUS! SÓ O SENHOR É DEUS!”

Celebrai com júbilo ao Senhor, por mais um templo erguido para o seu Louvor, sua Honra, para anunciar a Palavra Dele e levar as boas novas de salvação!

Conclusão: Os quatro personagens bíblicos aqui destacados (Noé, Abrão, Moisés e Elias) só edificaram os altares ao Senhor, porque o Senhor era com eles. O reconhecimento do quanto Deus era importante na vida deles os motivou para preparar sacrifícios ao Senhor. Os atributos divinos de bondade, amor e fidelidade devem ser reconhecidos pelos crentes em qualquer período de tempo.

Deus está conosco em todo o tempo, em cada Templo erguido e principalmente em cada sacrifício de louvor (Hebreus 13:15) que dedicamos ao Senhor.

Celebrai com júbilo ao Senhor, por mais um templo erguido para o seu Louvor, sua Honra, para anunciar a Palavra Dele, levar as boas novas de salvação e consequentemente oferecer a vida eterna de graça aos ouvintes das boas novas!

Deus abençoe
Ricardo Hilário

Nenhum comentário:

Postar um comentário