quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

ECUMENISMO? NÃÃÃÃÃÃÃÃOOO!!!


"Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo" (Colossenses 2.8).

Se não prestarmos atenção logo os Crentes em Cristo estarão neste movimento que desperta o lado amoroso de qualquer pessoa. A unidade, a fraternidade, o amor, o companheirismo e a amizade são virtudes que todo cristão deve praticar. Quem não gosta dessas coisas? Como recusar uma proposta tão digna como o ideal ecumênico? Como dizer "não" ao amor, à amizade, à aproximação? Como não querer andar com pessoas que têm o mesmo “Deus”*?
*É o que prega o Ecumenismo. Um só Deus, uma só Religião, todos são iguais, etc.
O que é ecumenismo?
(Ecumenismo é uma palavra que vem do termo grego oikoumene, seu significado é "mundo habitado" ou, ainda, "aquilo que pertence a este mundo".) Trata-se de uma palavra usada mais no âmbito cristão. Às vezes é utilizada de maneira abrangente, sendo também empregada para denominar o diálogo entre todas as religiões, neste caso o nome apropriado seria diálogo inter-religioso ou apenas "diálogo religioso", ou até podemos dizer um comum acordo entre todas as Religiões.
O Dicionário Aurélio define ecumenismo como movimento que visa à unificação das igrejas cristãs (católica, ortodoxa e protestante*).
*Ainda bem que Batista não é protestante!!!

(No Brasil existem vários organismos de natureza ecumênica. O mais importante parece ser o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) fundado em novembro de 1982, com sede em Brasília e cujo símbolo é um barco. Seus membros são: "Igreja Católica Apostólica romana, Igreja Cristã Reformada, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Metodista, Igreja Presbiteriana Unida do Brasil e Igreja Católica Ortodoxa Siriana do Brasil".)
Somos diferentes na excência!
"Que comunhão [pode haver] entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo?" (2 Co 6.15)
Quem será a autoridade final em assuntos doutrinários no ecumenismo, uma vez que, imagina-se, todas as Religiões juntas um dia, não necessariamente unificadas, mas, pelo menos, "andando juntos"? Quando se anda junto, mostra que há uma comunhão e quando há comunhão é sinal de que todos os pensamentos são comuns. Por esse fato não devemos praticar o culto a Deus com igrejas que não praticam da mesma fé o ordem (não pode haver comunhão). Ter um amigo de outra denominação é diferente de cultuar juntos, misturando todas as práticas e costumes.
Para o Batista, a Bíblia é a única autoridade, a única regra de Fé e prática. Para o católico romano, nem tanto, porque este aceita outras fontes com força autoritária igual ou superior à Bíblia. Para o Adventista é aceito como inspirado por Deus obras de Ellen W. (Ex.: Livro “O Grande Conflito”. Para os Testemunhas de Jeová, Jesus não é Deus, para o Espírita seguir os ensinamentos de Allan Cardec e Chico Xavier é excencial, e por aí vai...
Para os católicos romanos, o papa é o supremo pastor e doutor de todos os fiéis. O Batista não aceita a possibilidade de atender aos anseios do papa porque Jesus é a única referência, o modelo, "o caminho, a verdade e a vida". Um outro ponto de forte desacordo está no culto a Maria, algo que o Batista abomina por ser um ponto inegociável que fere ferozmente a Doutrina de Deus.
Caminhos diferentes
"(...) para que [Deus] nos ensine os seus caminhos, e andemos pelas suas veredas (...)" (Mq4.2).

O maior argumento do Batista contra a proposta ecumênica da Igreja Católica Romana fundamenta-se em Amós 3.3: "Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?"
É possível servir e adorar ao Senhor Jesus e a Maria, ao mesmo tempo? É possível seguir a Bíblia e as tradições católicas romanas sem ferir a soberania de Deus? É possível submeter-se à autoridade do papa e a do Senhor Jesus, como cabeças da Igreja? É possível dizer que Jesus não é Deus? É possível ter contato com pessoas que já morreram? Sem falar na reencarnação. Quem sabe, posso ser Davi, Daniel, Paulo, Timóteo ou que sabe até Jesus? Se conseguir dizer "sim" a estas indagações, então pode ser que comecemos a pensar no ideal ecumênico.
Uma outra questão diz respeito ao "jugo desigual", quando o apóstolo Paulo pergunta: "Que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?" (2 Co 6.14).
A diferença é tudo
"... para fazerdes diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo" (Lv 10.10).
A questão das diferenças é fundamental. Não é fácil conciliar convicções que não se harmonizam.
Quero abaixo fazer um comparativo de Doutrinas básicas que diferenciam o Batista do catolicismo, pois são os cabeças desse movimento propagado e quase imposto pela Igreja Católica.

Fundamento:
Igreja Batista: Jesus Cristo, a Pedra (At 4:11; Ef 2:20);
Igreja Católica: São Pedro;

Cabeça:
Igreja Batista: Jesus Cristo (1 Co 11:3, Ef 1:22, Cl 1:18);
Igreja Católica: Papa;

Mediador:
Igreja Batista: Jesus Cristo (1 Tm 2:5, Hb 9:5; 12:24);
Igreja Católica: Jesus, Maria e todos os santos;

Salvação:
Igreja Batista: Pela graça por meio da fé (Rm 3:24; 5:2, Ef 2:8-9; Tt 2:11; 3:7);
Igreja Católica: Graça, obras, indulgências, etc.;

Autoridade:
Igreja Batista: Bíblia Sagrada (Sl 1; Hb 4:16);
Igreja Católica: Bíblia, Tradição, Magistério da Igreja;

Culto:
Igreja Batista: Segundo as Escrituras (1 Co 14:26, Ef 5:19) Espiritual;
Igreja Católica: Cerimonial;

Objeto de Culto:
Igreja Batista: Só a Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) (Mt 4:10, Jd 25);
Igreja Católica: Pai, Filho, Espírito Santo, Maria, hóstia, santos, imagens, relíquias;

Após a Morte:
Igreja Batista: Estar com Cristo (Fp 1:21-23, 2 Co 5:1-10);
Igreja Católica: Fogo do Purgatório (Fp 1.21-23; 3.20; Hb 11.14-16);
Que Deus abençoe!
Ricardo Hilário

Nenhum comentário:

Postar um comentário