terça-feira, 4 de maio de 2010

"PAI, PERDOA-LHES"

As últimas palavras de uma pessoa são, freqüentemente, de grande importância ou significado. Seus queridos se aproximam, em silêncio, não querendo perdeu aquelas palavras finais de despedida. No caso de Jesus, isto certamente foi mais que verdadeiro. Antes de Jesus dar o último suspiro na cruz, Ele fez sete que declarações extremamente significativas, que ficaram conhecidas como “As Sete Palavras de Cristo na Cruz”.
Nas próximas aulas, vamos estudar bem de perto cada uma destas declarações, pois nelas estão escondidas verdades eternas, que não podemos deixar escapar.
Estas são as palavras finais do Salvador:

“Pai, perdoa-lhes; pois não sabem o que estão fazendo”;
“Hoje você estará comigo no Paraíso”;
“Mãe, aí está o seu Filho. Filho, aí está sua mãe”;
“Meu Deus, meu Deus, por que me desamparaste?”;
“Tenho sede”;
“Está consumado”;
“Em tuas mãos entrego o meu espírito”.

As três primeiras declarações foram feitas enquanto o dia estava claro (das 9 ás 12 horas). Elas relacionavam a outras pessoas e ao relacionamento de Jesus com elas.
As outras quatro declarações foram feitas na escuridão que cobria a terra (das 12 as 15 horas). Elas falavam do próprio Cristo e de seu relacionamento com Deus.

DUAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

As palavras de Jesus são um cumprimento das Escrituras. (Is. 53: 11,12); e
Jesus fez uma oração de intercessão.

QUATRO PARTES SIGNIFICATIVAS

A oração de Jesus tem quatro partes significativas:
1) É dirigida: Ao Pai;
2) Apresenta um pedido: Perdoá-lhes;
3) Tem um objetivo: porque eles;
4) O Motivo: não sabem o que fazem.

“EU O CRUCIFIQUEI”

Espiritualmente falando, nós participamos desta cena – você e eu. Veja o que Paulo diz em Cl. 2: 13-14:

“e a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente
com ele, perdoando-nos todos os delitos; e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós
nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz;”

Quando o Senhor Jesus pediu ao Pai que os perdoasse, Ele também pensou em nós.
Todos os judeus e todos os gentios (incluindo eu e você) desde então, têm acesso ao perdão de Deus, Pai, através da morte de Cristo, o Filho.
E bondosamente, Ele continua perdoando...


Aula com texto baseado no livro "As trevas e o amanhecer" de Charles R. Swindoll.

Um comentário:

  1. Graça e paz

    Ola vi o seu perfil na UBE valeu a pena conferir ,as postagens são uma benção e bom ver que tem bastante gente cheia como um vaso transborda da glória de Deus e passa através da internet que você continue assim usando a internet como arma poderosa para resgatar os perdidos
    já estou te seguindo
    aproveito para te convidar pra visitar o meu e compartilhar os meus post com você e seu amigos no blog

    http://jcbguerreiros.blogspot.com/

    ResponderExcluir